Entrevista com Christiane Nord

Monique Pfau, Meta Elisabeth Zipser

Resumo


Quando pensamos em tradução e enfocamos em aspectos como "por que traduzir?" "quem será meu leitor?" "como abordar os aspectos das culturas?", certamente nos vem o nome da pesquisadora alemã Christiane Nord. No meio acadêmico dos Estudos da Tradução, dos últimos trinta anos, é provável que seu nome se faça presente como teórica importante nos cursos de tradução, na abordagem prática da formação de tradutores, enriquecendo discussões, formando perfis profissionais.  Seu trabalho como teórica, professora e tradutora já trouxe um material bastante rico para pensar sobre os Estudos da Tradução e a Tarefa do Tradutor. Ela traz o funcionalismo alemão como uma teoria de tradução aplicável tanto no exercício profissional do tradutor, como na análise comparativa entre texto-fonte e texto-alvo em uma abordagem comunicativa eficiente e real.

Nesta entrevista que Nord gentilmente proporcionou, recebendo-me em sua residência em Heidelberg, conversamos sobre algumas questões que aparecem em discussões com colegas que também usam a teoria funcionalista alemã para suas pesquisas e pensam em tradução enquanto teoria e prática. Nord, como lecionando uma de suas aulas, esclarece dúvidas sobre o uso da teoria na prática, sobre os primeiros passos do aprendiz em tradução até se tornar um profissional e sobre questões reais que circundam o mercado da tradução. Ela também traz algumas estratégias e técnicas que o tradutor pode adotar, dependendo do cliente e do leitor, sugerindo possíveis modos de relacionamento entre eles para que o trabalho seja satisfatório para todas as partes, defendendo o conceito de lealdade de sua teoria.

A entrevistada também discute sobre a definição de convenções culturais, fazendo um paralelo ao conceito de normas (Toury, 1995) e pondera sobre seu significado, trazendo diversos exemplos reais como formas de encontrar as convenções de uma cultura. Também conversamos a respeito do conceito de “culturema”, trazido historicamente pela autora e atualmente muito discutido em outras composições teóricas e, ainda,  sobre “referências culturais”, com casos específicos. Finalmente, nossa conversa encerra com uma breve reflexão sobre o uso do funcionalismo na língua de sinais, reforçando a atualidade da teoria.


Palavras-chave


Christiane Nord, Referências Culturais, Convenções Culturais

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2014v2n34p313



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.