Análise tradutória de textos acadêmicos em ciências humanas: Um estudo de caso

Monique Pfau, Philippe Humble

Resumo


Com o propósito de internacionalização, a pesquisa acadêmica vem sendo amplamente traduzida e publicada para o inglês. No Brasil, existem várias publicações bilíngues em todas as áreas acadêmicas disponíveis no Portal SciELO. Em áreas relacionadas às Ciências Humanas, a necessidade de traduzir referências culturais tende a ser mais frequente do que nas Ciências Exatas e Naturais. A pesquisa em Ciências Humanas está principalmente concentrada em questões culturais como crenças, rituais, comportamentos, hábitos, etc. Este artigo apresenta um estudo de caso de um artigo acadêmico publicado de forma bilíngue sobre a História da Escravidão Brasileira. A análise é baseada em como as referências culturais brasileiras são representadas em inglês e os possíveis efeitos que podem causar nos leitores do texto-alvo. Considerando as especificidades de textos acadêmicos nas Ciências Humanas, nosso referencial teórico está fundamentado em duas bases: de um lado, nos Estudos Interculturais e, de outro, no Funcionalismo Alemão. Os resultados mostram o(a) tradutor(a) de textos acadêmicos em Ciências Humanas em um papel de colaboração ativa e preocupação com seu público internacional acadêmico.

Palavras-chave


Referências culturais; Ciências humanas; Internacionalização

Texto completo:

PDF/A (English)

Referências


Bakhtin, Michael. Estética da Criação Verbal. Translated by Paulo Bezerra. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

Foucault, Michel. As Palavras e as Coisas – uma arqueologia das ciências humanas. Translated by Salma Tannus Muchail. Ed. Martins Fontes, 2000.

Hofstede, Geert H. Culture Consequences: comparing values, behaviours, institutions, and organisations across nations. Sage Pubications, 1980.

Hofstede, Geert H., Hofstede, Gert Jan, et al. Exploring Culture – Exercises, Stories and Synthetic Cultures. Intercultural Press, 2002.

Mayoral Asensio, Roberto. “La traducción de referencias culturales.” Sendebar: Boletín de la EUTI de Granada, vol. 1, no. 10, 1999, pp. 67-88.

Meneghini R., and Packer, A. L. “Is there science beyond English?” EMBO Reports, vol. 8. no. 2, 2007, pp. 112–116.

Nadal, Lúcia Luque. “Los culturemas: ¿unidades lingüísticas, ideológicas o culturales?” Language Design, vol. 1, no. 11, 2009, pp. 93-120.

Nord, Christiane. Text Analysis in Translation. Rodopi, 2005.

Price, R. Maroon societies: Rebel slave communities in the Americas. JHU Press, 1996.

Swales, John M. Genre Analysis – English in academic research settings. Cambridge University Press, 1990.

Mazurechen, Sandro. “A Lusofonia em Xeque”. Palavra Nula. 7. Mar. 2011. https://palavranula.wordpress.com/2011/03/07/a-lusofonia-em-xeque/. Accesses 26 April 2018.

Righetti, Sabine. “Língua portuguesa esconde ciência nacional”. Revista Escola de Minas, vol. 64 no. 4, 2011, p. 396-398.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2019v39n2p146



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.