Um balanço dos estudos da tradução no Brasil.

Autores

  • Maria Paula Frota Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5007/%25x

Resumo

O presente artigo tem como proposta central fazer um balanço dos estudos da tradução desenvolvidos no Brasil a partir de 1996, ano em que é lançado o primeiro número da Cadernos de Tradução. Entretanto, para melhor caracterizar o campo de investigação, é delineado o seu contexto histórico, o qual tem como marco inicial a publicação, em 1952, do pioneiro Escola de tradutores de Paulo Rónai. Tal contextualização apresenta a produção bibliográfica exclusivamente voltada para a tradução e a institucionalização desta no país em diversas frentes, como a do ensino e a das associações profissionais e acadêmicas. Chegando a 1996, o artigo continua a apresentar os principais fóruns de produção e intercâmbio de conhecimentos da disciplina e passa a focar os trabalhos nela realizados de modo a discernir suas principais áreas e sub-areas de interesse, seus objetos de pesquisa e perspectivas teórico-metodológicas. Fica patente uma marcante expansão dos estudos brasileiros sobre a tradução, ao lado de uma ampliação da acentuada diversidade que desde o início os caracterizou.

Biografia do Autor

Maria Paula Frota, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Possui doutorado em Lingüística pela Universidade Estadual de Campinas e docente na área de Tradução do Departamento de Letras da PUC-Rio. É autora do livro _Singularidade na escrita tradutora: linguagem e subjetividade nos estudos da tradução, na lingüística e na psicanálise_. Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2007-04-30

Edição

Seção

Dossiê 10 anos Cadernos de Tradução