Detecção de ondas gravitacionais

Autores

  • José Maria Filardo Bassalo Academia Paraense de Ciências, Belém, PA
  • M. Cattani Instituto de Física, Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2016v33n3p879

Palavras-chave:

Teoria de Gravitação de Einstein, Ondas gravitacionais, Pulsares, Buracos-negros

Resumo

Em 11 de fevereiro de 2016, por ocasião de uma Conferência realizada na National Science Foundation (NSF), em Washington, D.C., o físico norte-americano David Reitze, Diretor Executivo do Laser Interferometer Gravitacional-Wave Observatory (LIGO) anunciou que haviam sido observadas em 14 de setembro de 2015 Ondas Gravitacionais (OG). Esse evento foi denominado GW150914. Uma segunda observação de OG foi feita também pelo LIGO em 26 de dezembro de 2015 denominado de GW151226. Os sinais detectados nesses eventos são similares e foram gerados pela coalescência (fusão) de um sistema binário formado pois dois Buracos-Negros (BN). As fontes de OG estariam localizados, respectivamente, a distâncias de ~ 410 Mpc e de ~ 440 Mpc da Terra. Para entendermos o significado desses extraordinários eventos, faremos um breve resumo histórico sobre as OG e os BN. 

Biografia do Autor

José Maria Filardo Bassalo, Academia Paraense de Ciências, Belém, PA

Formou-se em Engenharia Civil pela antiga Escola de Engenharia do Pará; em 1965, recebeu o título de Bacharel em Física pela Universidade de Brasília; em 1973 e 1975, respectivamente, obteve os títulos de Mestre em Física e Doutor em Física, pela Universidade de São Paulo. 

M. Cattani, Instituto de Física, Universidade de São Paulo

Mauro Cattani é professor Titular no Instituto de Física da Universidade de São Paulo desde 1985. 

Downloads

Publicado

2016-12-15

Edição

Seção

História e Filosofia da Ciência