A necessidade histórica da cultura corporal: limites e possibilidades sob a ordem capitalista

Autores

  • David Romão Teixeira UFRB
  • Fernanda Braga Magalhães Dias Rede Estadual da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2011v23n36p94

Palavras-chave:

Educação Física, Esporte, Lazer

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar uma reflexão sobre a constituição histórica da cultura corporal e o seu desenvolvimento na sociedade capitalista, apontando as particularidades da relação capital-trabalho-cultura corporal, a fim de identificar como o trato com o conhecimento da cultura corporal pode contribuir na formação dos trabalhadores no intuito de avançar qualitativamente na construção de possibilidades que atendam verdadeiramente às necessidades humanas, num processo lutas pela superação da ordem social vigente, rumo à emancipação humana.

Biografia do Autor

David Romão Teixeira, UFRB

Licenciado em Educação Física (UFBA). Mestre em Educação (UFSC). Professor Assistente do Centro de Formação de Professores da UFRB. Líder de grupo GEPEFE/UFRB e pesquisador do grupo LEPEL. Contato: david_romao@ufrb.edu.b

r

 

Fernanda Braga Magalhães Dias, Rede Estadual da Bahia

Licenciada em Educação Física (UEFS). Mestre em Educação (UFSC). Professora da rede estadual da Bahia. Contato: dias_fernanda@ymail.com

Downloads

Publicado

2011-11-04