Caracterização episódica sobre o tema da saúde nos currículos de formação em Educação Física em uma universidade federal pública

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2019e61593

Palavras-chave:

Saúde, Capacitação de recursos humanos em saúde, Currículo, Educação superior

Resumo

Investiga como se dão as caracterizações episódicas do tema da saúde nos currículos do Centro de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Espírito Santo. Trata-se de uma investigação qualitativa na qual se acessaram documentos curriculares e se entrevistaram sete professores dos cursos de licenciatura e bacharelado. A chave de análise dos dados é enfocada na teoria da estruturação de Anthony Giddens, sobretudo, na noção de episódio. Os dados apontam para três episódios: I) sobre a ruptura com o currículo mínimo e a presença exógena do tema da saúde; II) sobre relação ao redirecionamento para a formação de professores e a saída do Centro Biomédico; III) sobre o nascimento de um novo curso e seus paradoxos. Essa caracterização episódica nos possibilita problematizar como o tema da saúde vem sendo abordado nos currículos de formação em EF – inclusive sobre a pouca presença no curso de licenciatura e a majoritária biologização no curso de bacharelado.

Biografia do Autor

Victor José Machado de Oliveira, Universidade Federal do Amazonas, Faculdade de Educação Física e Fisioterapia

Doutor em Educação Física pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Federal do Espírito Santo (2018). Mestre em Educação Física pelo PPGEF/UFES (2014). Licenciado em Educação Física pela Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo (2011). Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Educação Física e Fisioterapia da Universidade Federal do Amazonas.

Ivan Marcelo Gomes, Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Educação Física e Desportos

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (1994), mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco (2000) e doutorado em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina (2008). Atualmente é professor efetivo do Centro de Educação Física e Desportos na Universidade Federal do Espírito Santo. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação Física (PPGEF/CEFD/UFES).

Referências

BAGRICHEVSKY, Marcos. A formação profissional em educação física enseja perspectivas (críticas) para atuação na saúde coletiva? In: FRAGA, Alex Branco; WACHS, Felipe (orgs.). Educação física e saúde coletiva: políticas de formação e perspectivas de intervenção. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2007, p. 33-46. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/84911/000606426.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 18 set. 2017.

BRACHT, Valter. A constituição das teorias pedagógicas da educação física. Cadernos Cedes, Campinas, ano XIX, nº 48, p. 69-88, ago 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v19n48/v1948a05.pdf. Acesso em: 26 mai. 2017.

BRACHT, Valter. Identidade e crise na educação física: um enfoque epistemológico. In: BRACHT, Valter; CRISORIO, Ricardo (orgs.). A educação física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: PROSUL, 2003, p. 13-29.

BRACHT, Valter. Educação Física & Ciência: cenas de um casamento (in)feliz. 4. ed. Ijuí: Unijuí, 2014.

BRASIL. CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE, 8, 1986. Brasília, Anais. Brasília: Ministério da Saúde, 1987. Disponível em: http://www.ccs.saude.gov.br/cns/pdfs/8conferencia/8conf_nac_anais.pdf. Acesso em: 15 nov. 2017.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Resolução nº 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, Brasília, 4 de março de 2002a. Seção 1, p. 8-9. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res1_2.pdf. Acesso em: 17 abr. 2018.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Resolução nº 2, de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior. Diário Oficial da União, Brasília, 4 de março de 2002b. Seção 1, p. 9. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res2_2.pdf. Acesso em: 17 abr. 2018.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Reuni: Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Diretrizes Gerais). Brasília, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/diretrizesreuni.pdf. Acesso em: 27 abr. 2018.

BRUGNEROTTO, Fábio; SIMÕES, Regina. Caracterização dos currículos de formação profissional em Educação Física: um enfoque sobre saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 149-172, jan/mar 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/physis/v19n1/v19n1a08.pdf. Acesso em: 28 set. 2017.

CARVALHO, Yara Maria; CECCIM, Ricardo Burg. Formação e educação em saúde: aprendizados com a Saúde Coletiva. In: CAMPOS, Gastão Wagner de Souza et al. (orgs.). Tratado de Saúde Coletiva. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006, p. 137-170.

CARVALHO, Yara Maria. Entre o biológico e o social. Tensões no debate teórico acerca da saúde na Educação Física. Motrivivência, Florianópolis, ano XVII, n. 24, p. 97-105, jun 2005. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/860/3890. Acesso em: 11 mai. 2017.

COSTA, Dayane Aparecida Silva et al. Diretrizes curriculares nacionais das profissões da Saúde 2001-2004: análise à luz das teorias de desenvolvimento curricular. Interface, Botucatu, v. 22, n. 67, p. 1183-1195, ago 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v22n67/1807-5762-icse-1807-576220170376.pdf. Acesso em: 26 mai. 2019.

CUNHA, Maria Isabel. O Professor Universitário na Transição de Paradigmas. Araraquara: Junqueira & Marins Editores, 2005.

DESSBESELL, Giliane; CABALLERO, Raphael Maciel da Silva. Educação Física, currículo e formação para o campo da saúde: alguns movimentos possíveis. In: WACHS, Felipe; ALMEIDA, Ueberson Ribeiro; BRANDÃO, Fabiana Fernandes de Freitas. (orgs.). Educação Física e Saúde Coletiva: cenários, experiências e artefatos culturais. Porto Alegre: Rede UNIDA, 2016, p. 113-130. Disponível em: http://historico.redeunida.org.br/editora/biblioteca-digital/serie-interlocucoes-praticas-experiencias-e-pesquisas-em-saude/educacao-fisica-e-saude-coletiva-cenarios-experiencias-e-artefatos-culturais-pdf. Acesso em: 09 mar. 2017.

GIDDENS, Anthony. A constituição da sociedade. 3. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

MACHADO, Thiago da Silva. Sobre o impacto do Movimento Renovador da Educação Física nas identidades docentes. 2012. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, 2012. Disponível em: http://portais4.ufes.br/posgrad/teses/tese_5394_THIAGO%20MACHADO%20DISSERTA%C7%C3VERS%C3O%20FINAL.pdf. Acesso em: 13 abr. 2017.

NASCIMENTO, Paulo Magalhães Monard; OLIVEIRA, Marcio Romeu Ribas. Perspectivas e possibilidades para a renovação da formação profissional em Educação Física no campo da saúde. Pensar a Prática, Goiânia, v. 19, n. 1, p. 209-219, jan/mar 2016. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/36253/pdf. Acesso em: 23 fev. 2018.

PAIVA, Fernanda Simone Lopes; ANDRADE FILHO, Nelson Figueiredo; FIGUEIREDO, Zenólia Cristina Campos. Formação inicial e currículo no CEFD/UFES. Pensar a Prática, Goiânia, v. 9, n. 2, p. 213-230, jul/dez 2006. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fef/article/view/170/157. Acesso em: 14 jun. 2017.

PASQUIM, Heitor Martins. A Saúde Coletiva nos cursos de graduação em Educação Física. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 193-200, jan/mar 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v19n1/16.pdf. Acesso em: 10 mar. 2017.

PIZANI, Juliana; BARBOSA-RINALDI, Ieda Parra. Identidade dos cursos de licenciatura e bacharelado em Educação Física no Paraná: uma análise das áreas do conhecimento. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 28, n. 4, p. 671-82, out/dez 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbefe/v28n4/1807-5509-rbefe-28-4-0671.pdf. Acesso em: 13 jan. 2018.

RODRIGUES, José Damião et al. Inserção e atuação do profissional de Educação Física na atenção básica à saúde: revisão sistemática. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, Pelotas, v. 18, n. 1, p. 5-15, jan 2013. Disponível em: http://rbafs.org.br/RBAFS/article/view/2390/pdf53. Acesso em: 21 ago. 2017.

TEDESCO, Silvia Helena; SADE, Christian; CALIMAN, Luciana Vieira. A entrevista na pesquisa cartográfica: a experiência do dizer. Fractal: Revista de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, p. 299-322, mai/ago 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/fractal/v25n2/06.pdf. Acesso em: 28 set. 2017.

VINUTO, Juliana. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, Campinas, v. 22, n 44, p. 201-218, ago/dez 2014. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/tematicas/article/view/2144/1637. Acesso em: 16 mar. 2017.

Downloads

Publicado

2019-09-24