Programa de educação postural: um relato de experiências com alunos do ensino fundamental

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-8042.2020e71859

Palavras-chave:

Educação postural, Postura corporal, Educação física escolar

Resumo

Problemas posturais causam por dor e limitações funcionais. Uma medida eficaz para evitar problemas posturais consiste no desenvolvimento de Programas de Educação Postural, em fase escolar. Este relato de experiência descreve as atividades teóricas e práticas realizadas com alunos do Ensino Fundamental. Participaram 75 escolares de ambos os sexos (9-12 anos) e três professoras (24-28 anos). A ação foi desenvolvida em quatro fases: i) planejamento; ii) piloto; iii) execução; iv) avaliação (entrevista com professores). As atividades incidiram em jogos, brincadeiras e canções adaptadas para posições corporais específicas: i) sentar, ii) deitar, iii) agachar e iv) pegar um objeto no alto. Com base no relato dos professores de classe, verificou-se que o Programa de Educação Postural desenvolvido foi efetivo, pois transformou os hábitos posturais dos escolares em sala de aula, além de ampliar e qualificar os conhecimentos e as atividades diárias dos professores.

Biografia do Autor

Alef Andrade Rego, Universidade Federal do Vale do São Francisco/Univasf

Bacharel em Educação Física pela Universidade Federal do Vale do São Francisco/Univasf. Membro do Programa de Educação tutorial PET-Biomecância.

Marcelo de Maio Nascimento, Universidade Federal do Vale do São Francisco/Univasf

Possui graduação em Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1987). Expecialização em Treinamento Físico e Desportivo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1988), Mestrado em Ciências do Esporte pela Escola Superior de Educação Física de Colônia/Alemanha (1996) e doutorado em Ciências do Esporte pela Escola Superior de Educação Física de Colônia/Alemanha (2007). Marcelo se especializou em Dança/Teatro e Esporte e Gestão Ambiental pela Escola Superior de Educação Física de Colônia/Alemanha. Professor das disciplinas de Dança e Ginástica na Escola Superior de Educação Física de Colônia/Alemanha (2006-2010). Entre os anos de 1989-2010 atuou como professor de dança no Cologne Dance Center Koln/Alemanha e Tanz-Haus NRW Duesseldorf/Alemanha. Ministrou diversos workshops e coreografou espetaculos de dança em diferentes países europeus. Atualmente é professor Adjunto nível 01 da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) junto ao Colegiado de Educação Física com as seguintes funções: Professor das disciplinas de Dança, Ginástica e Esporte e Gestão ambiental, coordenador do Núcleo Temático (Educação, Cultura e Movimento), responsável pela linha temática "Cultura do Movimento e Meio Ambiente" e pelo convênio firmado entre o CEFIS/UNIVASF e o Instituto de Esporte e Meio Ambiente da Universidade de Esportes de Colônia/Alemanha (Deutsche Sporthochschule Koln), coordenar do projeto de Extensão: Pilates e o Idoso- Contribuições para o equilíbrio corporal, coordenador do GEPELMA-Grupo de Pesquisa e Estudo em Lazer e Meio Ambiente e, GEDAGIN-Grupo de Estudo em Dança e Ginástica, ambos credenciados ao CNPq. Integrante do corpo docente do Programa Master em Dança (V.I.E.W.) da Universidade de Esportes de Colônia/Alemanha desde 2012.

Referências

AZEVEDO, Rogério et al. O contributo da Educação Física na detecção e prevenção de problemas posturais nos alunos. Didática da educação física: perspectivas, interrogações e alternativas, p. 61-72, 2018.

DE SOUZA, Aryane Karoline Vital. A influência do peso da mochila escolar de alças sobre o controle postural de crianças. 2016.

DOS SANTOS Moreira, Maria Cecília; Voos, Mariana Calil; Caromano, Fátima Aparecida. A capacitação de professores do ensino fundamental para orientação de alunos sobre a postura sentada. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, v. 14, n. 1, p. 20-31, 2014.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 8 reimpr. São Paulo: Atlas, v. 201, 2007.

GOTFRYD, Alberto Ofenhejm et al. Análise epidemiológica, de hábitos de vida e de fatores psicossociais de pacientes com dorso lombalgia em unidade de pronto atendimento ortopédico. Einstein (São Paulo), v. 13, n. 2, p. 243-248, 2015.

MELLO, Júlio Brugnara et al. Projeto Esporte Brasil: perfil da aptidão física relacionada ao desempenho esportivo de crianças e adolescentes. Rev. Bras. Cineantropom. Desempenho Hum, v. 18, n. 6, p. 658-66, 2016.

MENOTTI, Jaíne et al. A importância da educação postural evitando situações que possam afetar a saúde de crianças e adolescentes em idade escolar. Revista Perspectiva: Ciência e Saúde, v. 3, n. 2, 2018.

MINAYO, María Cecilia De Souza. DESLANDES, Suely Ferreira; NETO, Otávio Cruz; GOMES, Romeu. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

MOREIRA, JACQUELINE; CORNELIAN, BIANCA DOS REIS; LOPES, CARMEM PATRÍCIA BARBOSA. A importância do bom posicionamento postural em escolares–O papel do professor de educação física. Revista Uningá Review, v. 16, n. 3, 2018.

NASCIMENTO, Paulo Roberto Carvalho do; COSTA, Leonardo Oliveira Pena. Prevalência da dor lombar no Brasil: uma revisão sistemática. Cadernos de Saúde Pública, v. 31, p. 1141-1156, 2015.

NASCIMENTO. Uma perspectiva em extensão universitária: programa de educação tutorial PET-Biomecânica. Em Extensão, v. 14, n. 1, p. 91-105, 6 jun. 2015.

NOLL, Matias et al. Escolas posturais desenvolvidas no Brasil: revisão sobre os instrumentos de avaliação, as metodologias de intervenção e seus resultados. Revista brasileira de reumatologia= Brazilian journal of rheumatology, Campinas, SP. Vol. 54, n. 1, (fev. 2014) p. 51–58, 2014.

NOLL, Matias et al. High prevalence of inadequate sitting and sleeping postures: a three-year prospective study of adolescents. Scientific reports, v. 7, n. 1, p. 14929, 2017.

NOLL, Matias; CANDOTTI, Cláudia Tarragô; VIEIRA, Adriane. Escola postural: revisão sistemática dos programas desenvolvidos para escolares no Brasil. Movimento, v. 18, n. 4, 2012.

ORITA, L. L.; OLIVEIRA, D. V. DE; FRANCO, M. F. Estudos acerca da postura em crianças e adolescentes em fase escolar: relação com hábitos de vida. Caderno de Educação Física e Esporte, v. 16, n. 2, p. 93–100, 2018.

OSHIRO, V. A.; FERREIRA, P. G.; DA COSTA, R. F. Alterações posturais em escolares: uma revisão da literatura. Revista de Atenção à Saúde, Santos, v. 5, n. 13, p. 15-22, 2010.

RIBEIRO, Mara Dayanne Alves et al. Programas de escola de postura desenvolvidos entre 2004-2014: aspectos metodológicos. Fisioterapia Brasil, v. 17, n. 4, p. 415-427, 2016.

SEDREZ, Juliana Adami et al. Fatores de risco associados a alterações posturais estruturais da coluna vertebral em crianças e adolescentes. Revista Paulista de Pediatria, v. 33, n. 1, p. 72-81, 2015.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Pesquisa qualitativa. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, p. 116-173, 1987.

VIEIRA, A.; TREICHEL, T. L.; CANDOTTI, C. T.; NOLL, M.; BARTZ, P. T. Efeitos de um Programa de Educação Postural para escolares do terceiro ano do Ensino Fundamental de uma escola estadual de Porto Alegre (RS). Fisioterapia e Pesquisa, v. 22, n. 3, p. 239–245, 2015.

VIEIRA, Adriane et al. Efeitos de um Programa de Educação Postural para escolares do terceiro ano do Ensino Fundamental de uma escola estadual de Porto Alegre (RS). Fisioterapia e pesquisa, v. 22, n. 3, p. 239-245, 2015.

Downloads

Publicado

2020-08-25

Edição

Seção

Porta Aberta