Centenário da Lei de Acidentes de Trabalho: análise sobre acidentes em fábricas de tecidos do Rio de Janeiro na Primeira República

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2019.e66124

Palavras-chave:

Legislação, Acidentes de Trabalho, Operários Têxteis

Resumo

O presente artigo procura ressaltar o centenário da promulgação do Decreto nº 3.724, de 15 de janeiro de 1919, que regulava as obrigações resultantes dos acidentes de trabalho. Está dividido em duas partes: na primeira, analiso e apresento alguns debates acerca das condições de trabalho que acarretavam acidentes em fábricas de tecidos no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, nas primeiras décadas do século XX; na segunda, examino o contexto de promulgação dessa lei e sua aplicação por parte dos industriais têxteis, membros da Sociedade Cooperativa de Seguros Operários em Fábricas de Tecidos.

 

Biografia do Autor

Isabelle Pires, Doutoranda em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda em História Social pelo PPGHIS/UFRJ. Mestre em História, Política e Bens Culturais pelo CPDOC/FGV. Graduação em História pela UFRRJ.

Referências

ANDRIETTA, Simone Aparecida de Oliveira. Acidente do trabalho. Histórico legislativo e a proteção dos direitos do cidadão. Dissertação de mestrado - Universidade Metodista de Piracicaba, Pós-Graduação, Curso de Mestrado em Direito, 2009.

ARAVANIS, Evangelia. A industrialização no Rio Grande do Sul nas primeiras décadas da República: a organização da produção e as condições de trabalho (1889-1920). Revista Mundos do Trabalho, vol. 2, nº 3, jan-jul, 2010.

BARBOSA, Marialva. Entre tragédias e sensações: o jornalismo dos anos 1920. In: História cultural da imprensa: Brasil, 1900-2000. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

FERRAZ, Eduardo Luís Leite. Acidentados e remediados: a lei de acidentes no trabalho na Piracicaba da Primeira República (1919-1930). Revista Mundos do Trabalho, vol. 2, nº 3, jan-jul, 2010.

GOMES, Angela de Castro. Burguesia e Trabalho. Rio de Janeiro: Editora Campus Ltda, 1979.

JESUS, Ronaldo Pereira de. Historiografia sobre mutualismo (1875-1914) em Portugal e no Brasil. Estudos Ibero-Americanos, Porto Alegre, v. 42, n. 3, 2016.

LAMARÃO, Sérgio Tadeu de Niemeyer. “A energia elétrica e o parque industrial carioca (1880-1920). In: Simpósio internacional Globalización, innovación y construcción de redes técnicas urbanas em América y Europa, 1890-1930: Brazilian Traction, Barcelona Traction y otros conglomerados financieros y técnicos. Anais [...]. Universidad de Barcelona, 2012. p. 7. Disponível em: http://www.ub.edu/geocrit/Simposio/cLamarao_Aenergia.pdf. Acesso em: 17 jun. 2019.

DE LUCA, Tania Regina. A grande imprensa no Brasil da primeira metade do século XX. In: DE LUCA, Tania Regina; MARTINS, Ana Luiza. (orgs.). História da imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2008, v. 1, p. 149-175.

MAC CORD, Marcelo, BATALHA, Claudio H. M. (Orgs). Organizar e proteger: Trabalhadores, associações e mutualismo no Brasil (séculos XIX e XX). Campinas: Editora da Unicamp, 2014.

MOURA, Esmeralda Blanco B. de. Mulheres e menores no trabalho industrial: os fatores sexo e idade na dinâmica do capital. Petrópolis: Vozes, 1982.

MOURA, Esmeralda Blanco B. Infância operária e acidente do trabalho em São Paulo. In: DEL

PRIORE, Mary (Org.). História das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, 1991.

NASCIMENTO, Marcelo Mascaro. Revisão de normas prometida por Bolsonaro aumentará acidentes de trabalho? Exame, 30 mai. 2019. Disponível em: https://exame.abril.com.br/carreira/revisao-de-normas-prometida-por-bolsonaro-aumentara-acidentes-de-trabalho/ . Acesso em: 17 jun 2019.

OLIVEIRA, Márcio Piñon de. “Quando a fábrica cria o bairro: Esratégias do capital industrial e produção do espaço metropolitano no Rio de Janeiro”. Scripta Nova - Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales, Vol X, nº 218, 2006.

OLIVEIRA, Newton C. de. A economia do sinistro: contribuição ao estudo dos acidentes de trabalho na indústria têxtil durante o Estado Novo, 1937-1945. Niterói: Dissertação de mestrado em História/UFF, 1993.

PINHEIRO, Paulo Sérgio; HALL, Michael M. A Classe operária no Brasil (1889-1930) – Documentos Vol. 1. São Paulo: Editora Alfa Omega, 1979.

SILVA, Ana Beatriz Ribeiro Barros. Acidentes, adoecimento e morte no trabalho como tema de estudo da História. In: OLIVEIRA, Tiago Bernardon de (Org). Trabalho e trabalhadores no Nordeste: análises e perspectivas de pesquisas históricas em Alagoas, Pernambuco e Paraíba [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2015, pp. 215- 240.

SILVA, Ana Beatriz Ribeiro Barros. Brasil, o “campeão mundial de acidentes do trabalho”: controle social, exploração e prevencionismo durante a ditadura empresarial-militar brasileira. Revista Mundos do Trabalho, V. 7, Nº 13, jan-jun de 2015.

TOLEDO, Edilene. Um ano extraordinário: greves, revoltas e circulação de ideias no Brasil em 1917. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 30, no 61, p. 497-518, maio-agosto 2017.

TOLEDO, Edilene. Verbete sobre Primeiro Congresso Operário Brasileiro. Disponível em: http://cpdoc.fgv.br/sites/default/files/verbetes/primeira-republica/PRIMEIRO%20CONGRESSO%20OPER%C3%81RIO%20BRASILEIRO.pdf . Acesso em: 28 de jun. 2019.

VERSIANI, Flávio Rabelo. Industrialização e economia de exportação: a experiência brasileira antes de 1914. Revista Brasileira de Economia, v. 34, nº 1, 1980.

VERSIANI, Flávio Rabelo; VERSIANI, Maria Teresa R. O. A industrialização brasileira antes de 1930: Uma contribuição. In: VERSIANI, Flavio Rabelo; BARROS, José Roberto Mendonça de. (Orgs). Formação econômica do Brasil: a experiência da industrialização. São Paulo: Saraiva, 1978.

VISCARDI, Cláudia Maria Ribeiro. Estratégias populares de sobrevivência: o mutualismo no Rio de Janeiro republicano. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 29, nº 58, 2009.

Downloads

Publicado

2019-11-08

Edição

Seção

Artigos