A corporação cristã em perspectiva transnacional: interações e transferências entre as organizações católicas para trabalhadores de Camaragibe (Brasil) e Val-des-Bois (França)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2019.e67231

Palavras-chave:

Corporação cristã, Catolicismo social, Associativismo, História do Trabalho, História Transnacional

Resumo

O artigo analisa as interações e transferências transnacionais entre corporações operárias confessionais e o ativismo de leigos católicos, especialmente de empresários, entre Brasil e França. Busca especialmente entender as conexões do militante Carlos Alberto de Menezes, de Pernambuco, com Léon Harmel, de Val-des-Bois, França, na última década do século XIX e primeira do século XX. Especial atenção é dada ao modelo de corporação cristã e à cultura do bon patron que Menezes aprendeu com Harmel, trouxe ao Brasil, adaptou e recriou em Camaragibe.

Biografia do Autor

Deivison Gonçalves Amaral, PUC-Rio

Doutor em História Social pela Unicamp

Referências

AGUIAR, Sylvana; LIMA, Lúcio Renato Mota. A fábrica de tecidos de Camaragibe e sua organização cristã do trabalho (1891-1908). REVTEO – Revista de Teologia e Ciências da Religião da UNICAP/PE. Dezembro de 2012, n. 1, v.01. pp.160-195.

AMARAL, Deivison. Catolicismo e trabalho: a cultura militante dos trabalhadores de Belo Horizonte (1909-1941). Curitiba: Editora Appris/Editora Prismas, 2018.

ANDES, Stephen J. C., YOUNG, Julia G. (ed.) Local church, global church. Catholic activism in Latin America from Rerum Novarum to Vatican II. Washington: The Catholic University of America Press, 2016.

AZEVEDO, Ferdinand. Ação Social Católica no Brasil: corporativismo e sindicalismo. São Paulo: Edições Loyola, 1986. p. 17.

BARROS, José D’Assunção. História comparada – da contribuição de Marc Bloch à constituição de um moderno campo historiográfico. História Social, Campinas, nº 13, 2007. p. 07-21.

BATALHA, Claudio (org). Dicionário do movimento operário na cidade do Rio de Janeiro do século XIX aos anos 1920: militantes e organizações. São Paulo, SP: Fundação Perseu Abramo, 2009. 298p.,

CHALHOUB, Sidney; SILVA, Fernando Teixeira da. Sujeitos no imaginário acadêmico: escravos e trabalhadores na historiografia brasileira desde os anos 1980. Cadernos AEL, Campinas, vol.14, n.26, 2009.

COLLIER, Eduardo. Carlos Alberto de Menezes: pioneirismo sindical e cristianismo. Recife: Digital Graph ed., 1996.

FARIAS, Damião D. Em defesa da ordem. São Paulo: Hucitec, 1998.

FREDRICKSON, George M. From Exceptionalism to Variability: Recent Developments in Cross-National Comparative History. The Journal of American History, Vol. 82, No. 2 (Sep. 1995), pp. 587-604.

HARMEL, Léon. Manuel d’une Corporation Chrétienne par Léon Harmel. Paris, 1877.

HEYRMAN, Peter. Belgian Catholic entrepreneurs' organizations, 1880 to 1940: A dialogue on social responsibility. Journal of Business History, 56. Jahrg., H. 2. (2011), pp. 163-186.

KOCKA, Jürgen; HAUPT, Heinz-Gerhard. (ed.) Comparative and Transnational History. 2019.

LARA, S. H. Blowing in the wind. E. P. Thompson e a experiência negra no Brasil. Projeto História, São Paulo, n. 12, 1995.

LARA, Silvia H.. Escravidão, cidadania e história do trabalho no Brasil. Projeto História, São Paulo, n. 16, 1998.

LINDEN, Marcel van der. Trabalhadores do mundo: ensaios para uma história global do trabalho. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2013. 518 p.

LINEBAUGH, Peter. A hidra de muitas cabeças: marinheiros, escravos, plebeus e a história oculta do Atlântico revolucionário. Coautoria de Marcus Buford Rediker. São Paulo: Companhia das Letras, 2008. 440 p.

LOPES, José S. L. A tecelagem dos conflitos de classe na cidade das chaminés. São Paulo: Marco Zero, 1988.

MAC CORD, Marcelo. Artífices da cidadania: mutualismo, educação e trabalho no Recife oitocentista. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2012. 438 p.

MACIEL, Osvaldo B. A. Trabalhadores, identidade de classe e socialismo: os gráficos de Maceió (1895 - 1905). Maceió: Editora da UFAL, 2009. p. 173.

MISNER, Paul. Catholic Labor Movements in Europe: Social Thought and Action, 1914-1965. Washington: Catholic University of America Press, 2015. p. 6.

NEGRO, Antonio Luigi. Paternalismo, populismo e história social. Cadernos AEL, v.11, n.20/21, 2004.

NORD, Philip G. Three Views of Christian Democracy in Fin de Siècle France. Journal of Contemporary History, vol 19, nº 4, Reassessments of Fascism (Oct. 1984), pp. 713-727

PASTURE, Patrick. Histoire du syndicalisme chrétien international: la difficile recherché d’une troisième voie. Paris: L’Harmattan, 1999. p. 480.

REIS, J. J. Rebelião escrava no Brasil: a história do levante dos Malês, 1835. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SCOTT, Rebecca J. Provas de liberdade: uma odisseia atlântica na era da emancipação. Coautoria de Jean M. Hébrard. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2014. 292 p.

SOUZA, Jessie Jane Vieira de. Círculos Operários: a Igreja Católica e o mundo do trabalho no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ, 2002. 320 p.

STEIN, Stanley J. Origens e evolução da indústria têxtil no Brasil 1850-1950. Rio de Janeiro: Campus, 1979.

THOMPSON, E. P. Costumes em comum. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. p. 29-30.

TRIMOUILLE, Pierre. Léon Harmel et l'usine chrétienne du Val-des-Bois (1840-1914): Fécondité d'une expérience sociale. C.H.C DE LYON, n° 15 – Lyon, 1974.

VOSS, Lex Heerma van; PASTURE, Patrick; MAEYER, Jan De (Ed.). Between Cross and Class: comparative histories of Christian labour in Europe 1840-2000. Amsterdam: Peter Lang, 2005.

Downloads

Publicado

2019-10-22

Edição

Seção

Artigos