Fontes e acervos para a história do trabalho na era digital

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2021.e85201

Resumo

A virada digital impôs novas questões epistemológicas ao ofício do historiador, especialmente no que se refere às formas de armazenar, tratar e acessar a informação. Desde que computadores passaram a ser utilizados para processamento de dados, o tradicional suporte em papel dos documentos utilizados como fontes históricas foi colocado em xeque. É essencial, portanto, refletir sobre os impactos da era digital na história – ou da história digital – sobre as formas tradicionais de pesquisa e de narrativas sobre o passado. O objetivo com esta seção de debates e sua apresentação é refletir sobre as possibilidades abertas pelo mundo da informação digital e enfrentar esses desafios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deivison Gonçalves Amaral, PUC-Rio

Doutor em História Social pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professor do Departamento de História da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). E-mail: deivisonamaral@gmail.com. ORCID: http://orcid.org/0000-0002-3828-2280.

Fabiane Popinigis, UFRRJ - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Doutora em História Social pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professora Adjunta do Departamento de História e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), do Departamento de História da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). E-mail: fpopinigis@gmail.com. ORCID: http://orcid.org/0000-0001-5218-0566.

Referências

BRASIL, Eric; NASCIMENTO, Leonardo Fernandes. História digital: reflexões a partir da hemeroteca digital brasileira e do uso de CAQDAS na reelaboração da pesquisa histórica. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v. 33, n. 69, p. 196-219, 2020.

CASTELLUCCI, A.; GERBELLI, C. C.; LACERDA, D. P.; PERUSSATTO, M. K.; SCHEER, M. I.; SILVA, N. G. da. Os êxitos da história social do trabalho. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 12, p. 1-12, 2020.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1982.

FICKERS, Andreas. Towards a new digital historicism? Doing history in the age of abundance. In: FICKERS, Andreas; DE LEEUW, Sonja (ed.). Making sense of digital sources. Journal of European History and Culture, v. 1, n. 1, p. 12-18, 2012 apud NOIRET, Serge. História Pública Digital. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 28-51, maio 2015.

LONER, B. A. Apresentação. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 1-10, 2009.

POPINIGIS, Fabiane; SOUZA, Robério Santos; MORAES, Renata. Apresentação do dossiê: Associativismo e experiências negras nas lutas por direitos nos mundos do trabalho. Revista Latinoamericana de Trabajo y Trabajadores, n. 2, 2021.

PUTNAM, L. The transnational and the text-searchable: digitized sources and the shadows they cast. The American Historical Review, v. 121, n. 2, p. 377-402, 2016.

SPERANZA, Clarice Gontarski; SCHMIDT, Benito; Acervos do Judiciário trabalhista: lutas pela preservação e possibilidades de pesquisa. In: MARQUES, Antonio José; STAMPA, Inez Terezinha. Arquivos do mundo dos trabalhadores: coletânea do 2o Seminário Internacional O Mundo dos Trabalhadores e seus Arquivos: memória e resistência. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional; São Paulo: Central Única dos Trabalhadores, 2012.

Downloads

Publicado

2021-12-16

Como Citar

AMARAL, . G.; POPINIGIS, . Fontes e acervos para a história do trabalho na era digital. Revista Mundos do Trabalho, Florianópolis, v. 13, p. 1–6, 2021. DOI: 10.5007/1984-9222.2021.e85201. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/mundosdotrabalho/article/view/85201. Acesso em: 4 dez. 2022.

Edição

Seção

Debates