Totalitarismo empresarial: uma análise do sistema Bata no Brasil e no Chile (1940-1970)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2020.e72518

Palavras-chave:

Sistema Bata, Controle social, Totalitarismo empresarial

Resumo

A partir dos anos 1930, a Bata Shoes Corporation, empresa de origem checa, consolidou-se como uma organização multinacional que figurou entre os maiores produtores mundiais de calçados e foi precursora na realização de transformações de ordem econômica, organizacional e social nas suas instalações em mais de 40 países. Além da racionalização dos processos produtivos, fundou escolas industriais para formar seus dirigentes industriais e notabilizou-se por construir vilas operárias dotadas de aparatos assistenciais para os seus funcionários. Neste artigo, analiso como se deu a implantação do sistema Bata – conjunto de métodos de produção e de técnicas de gestão – no Brasil e no Chile, entre as décadas de 1940 e 1970, tendo como principal objetivo interpretar as características do projeto de controle social que buscava exercer um domínio praticamente total sobre os trabalhadores, indo além dos espaços e dos tempos de trabalho, ao adentrar as esferas domésticas e os períodos de ócio.

Biografia do Autor

Vinícius de Rezende, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Doutor em História Social e Pós-doutorado em Sociologia do Trabalho pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); Professor do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Referências

ALVAREZ, José Sierra. El obrero soñado. Ensayo sobre el paternalismo industrial (Asturias, 1860-1917). Madri: Siglo XXI, 1990.

BENÍTEZ S., Jorge Esteban. “De lo concedido a lo conquistado”: paternalismo, conflicto y acción sindical en la fábrica de calçados CATECU-BATA de Peñaflor (1953-1973). Dissertação (Mestrado em História) - Faculdade de Humanidades, Universidade de Santiago de Chile, Santiago, 2018.

BERNARDO, João. Economia dos conflitos sociais. 2ª ed. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

BERNARDO, João. Democracia Totalitária: teoria e prática da empresa soberana. São Paulo: Cortez, 2004.

BLAY, Eva Alterman. Eu não tenho onde morar: vilas operárias na cidade de São Paulo. São Paulo: Nobel, 1985.

BRANDES, Stuart D. American Welfare Capitalism, 1880-1940. Chicago: The University of Chicago Press, 1976.

BRAVERMAN, Harry. Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX. 3. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1980.

BRODY, David. The rise and decline of welfare capitalism. In: Workers in Industrial America: essays on the twentieth century struggle. New York: Oxford University Press, 1980, p. 48-81.

COSTA, Georgia C. C. da. As cidades da Companhia Bata (1918-1940) e de Jan Antonin Bata (1940-1965). Relações entre a experiência internacional e a brasileira. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - FAU, USP, São Paulo, 2012.

COSTA, Hélio da. Em busca da memória. Comissão de fábrica, partido e sindicato no pós-guerra. São Paulo: Scritta, 1995.

CURY, Márcia. O protagonismo popular: experiências de classe e movimentos sociais na construção do socialismo chileno (1964-1973). Campinas, SP: Ed. da Unicamp, 2017.

DUBRIEL, Hyacinthe. L’exemple de Bat’a. La libération des initiatives individuelles dans une entrerpise géante. Paris: Grasset, 1936.

FRIEDMANN, Georges. Bat’a ou les leçons d’une entreprise géante. Annales d’histoire économique et sociale, t. 9, n. 47, p. 501-507, sep. 1937.

FONTES, Paulo. Trabalhadores e cidadãos: Nitro Química: a fábrica e as lutas operárias nos anos 50. São Paulo: Annablume, 1997.

FORTES, Alexandre. Nós do quarto distrito: a classe trabalhadora porto-alegrense e a Era Vargas. Caxias do Sul/Rio de Janeiro: Educs/Garamond, 2004.

GATTI, Alain. BATA, une expérience économique et sociale exceptionnelle. Revue internationale des relations de travail, v. 1, n. 4, p. 125-137, déc. 2003.

GOMES, Angela Maria de Castro. A invenção do trabalhismo. 2ª ed. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

GRANDIN, Greg. Fordlândia. Ascensão e queda da cidade esquecida de Henry Ford na Selva. Rio de Janeiro: Rocco, 2010.

LE BOT, Florent. La “famille” du cuir contre Bata: malthusianisme, corporatisme, xénophobie et antisémitisme dans le monde de la chaussure en France, 1930-1950. Revue d’Histoire Moderne et Contemporaine, Paris: Belin, 52, n. 4, p. 131-151, 2005.

Le Mouvement social, n. 144, Paternalismes d'Hier et d'Aujourd'hui., p. 1-134, jul.-sep. 1988.

LEOPOLDI, Maria Antonieta. A economia política do primeiro governo Vargas (1930-1945): a política econômica em tempos de turbulência. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de A. N. (org.) O Brasil Republicano. O tempo do nacional-estatismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, p. 241-285.

LINDEN, Marcel Van der. História do Trabalho: o velho, o novo e o global. Revista Mundos do Trabalho, v. 1, n. 1, p. 11-26, 2009.

LOPES, José S. L. A tecelagem dos conflitos de classe na “cidade das chaminés”. São Paulo/ Brasília: Marco Zero/Ed. UnB, 1988.

LOPES, José S. L. Fábrica e vila operária: considerações sobre uma forma de servidão burguesa. In: Mudança social no Nordeste: a reprodução da subordinação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979, p. 41-98.

MEYER III, Stephen. The five dollar day. Labor management and social control in the Ford Motor Company, 1908-1921. Albany, NY: State University of New York Press, 1981.

NELSON, Daniel. Managers and workers. Origins of the new factory system in the United States. 1820-1920. Madison, Wisconsin: The University of Wisconsin Press, 1975.

NOVAES, Sônia Barreto de. Lugares de memória e mídias digitais: a narrativa transversal de Batatuba. Tese (Doutorado em Meios e Processos Audiovisuais) - ECA, USP, 2014.

PERROT, Michelle. Os excluídos da história: operários, mulheres e prisioneiros. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

PERUTKA, Lukas; BALABAN, Milan e HERMAN, Jan. The Presence of the Bat’a Shoe Company in Central America and the Caribbean in the Interwar Period (1920-1930). America Latina en la Historia Economica, v. 2, p. 42-76, 2018.

PHILIPP, Rudolf. Der unbekannte Diktator Thomas Bata. Berlin: Agis-Verlag, 1928.

PINHEIRO, Paulo S; HALL, Michael M. A classe operária no Brasil. Condições de vida e de trabalho, relações com os empresários e o Estado. v. II. São Paulo: Brasiliense, 1981.

REID, Donald. Industrial Paternalism: discourse and practice in Nineteenth-Century French mining and Metallurgy. Comparative Studies in Society and History, v. 27, n. 4, p. 579-607, 1985.

REZENDE, Vinícius de. Vidas fabris: trabalho e conflito social no complexo coureiro-calçadista de Franca-SP (1950-1980). São Paulo: Alameda, 2017.

SILVA, Fernando Teixeira da. A carga e a culpa. Os operários das Docas de Santos: direitos e cultura de solidariedade. 1937-1968. São Paulo: Hucitec, 1995.

STANINGHER, Lilian Pires. BATATUBA: vila industrial da Companhia de Calçados Bata no interior de São Paulo – 1942. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - FEC, Unicamp, 2018.

THOMPSON, E. P. A formação da classe operária inglesa. 3v. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

THOMPSON, E. P. La sociedad inglesa del siglo XVIII: ¿Lucha de clases sin clases? In: Tradición, revuelta y consciencia de clase. Estudios sobre la crises de la sociedad preindustrial. 2ª ed. Barcelona: Editorial Crítica, 1984.

VENEGAS VALDEBENITO, Hernán; MORALES BARRIENTOS, Diego. Um caso de paternalismo industrial en Tomé: familia, espacio urbano y sociabilidad de los obreros textiles (1920-1940). HISTORIA, n. 50, v. I, p. 273-302, 2017.

VERGARA, Ángela; DINIUS, Oliver J. (edit.). Company Towns in the Americas. Landscape, power, and working-class communities. Georgia: University of Georgia Press, 2011.

VERGARA. Ángela. Paternalismo industrial, empresa extranjera y campamentos mineros en América Latina: un esfuerzo de historia laboral y transnacional. Avances del Cesor, Año X, n. 10, p. 113-128, 2013.

WEID, Elisabeth von der. O fio da meada: estratégia de expansão de uma indústria têxtil. Companhia América Fabril, 1878-1930. Rio de Janeiro: FCRB-CNI, 1986.

ZAHAVI, Gerald. Negotiated Loyalty: welfare capitalism and the shoeworkers of Endicott Johnson, 1920-1940. The Journal of American History, v. 70, n. 3, p. 602-620, dec. 1983.

ZELENY, Milan. Bat'a system of management: managerial excellence found. Human Systems Management, v. 7, n. 3, p. 213-219, 1988.

Downloads

Publicado

2020-06-02

Edição

Seção

Artigos