O desenvolvimento da linguagem oral da criança: contribuições da Teoria Histórico-Cultural para a prática pedagógica na creche

Autores

  • Michelle de Freitas Bissoli FACED - Manaus - AM

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v32n3p829

Resumo

O desenvolvimento da linguagem oral da criança é histórica e socialmente condicionado e, por isso, não natural. Neste artigo, que resulta de pesquisa de caráter teórico, tem-se por objetivo re% etir sobre as contribuições dos autores da Teoria Histórico-Cultural (especialmente Vigotski, Leontiev, Luria, Elkonin, Lísina e Zaporozet) para a prática pedagógica nas creches, focalizando, de modo particular, o desenvolvimento da linguagem oral nos três primeiros anos de vida, suas especi! cidades e formas de intervenção sobre ele. Parte-se do pressuposto de que a comunicação constitui uma atividade essencial para o homem e de que a linguagem oral, ao se desenvolver, permite à criança apropriar-se dos signi! cados das palavras de forma progressiva e, com eles, dos construtos sócio-culturais da humanidade de modo a formar suas funções psíquicas superiores. Com base no levantamento bibliográfico a respeito do tema, busca-se sistematizar alguns princípios da Teoria Histórico-Cultural capazes de orientar professores e professoras para um trabalho que enfoque a linguagem oral como objeto de uma prática intencional nas creches, respeitando o direito das crianças pequenas ao desenvolvimento integral.

Biografia do Autor

Michelle de Freitas Bissoli, FACED - Manaus - AM

Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Professora do Curso de Pedagogia e da Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Downloads

Publicado

2014-04-22

Como Citar

Bissoli, M. de F. (2014). O desenvolvimento da linguagem oral da criança: contribuições da Teoria Histórico-Cultural para a prática pedagógica na creche. erspectiva, 32(3), 829–854. https://doi.org/10.5007/2175-795X.2014v32n3p829

Edição

Seção

Artigos de Dossiês Temáticos