Entre percursos formativos e comunidades de aprendentes: políticas curriculares para a educação integral no Brasil

Autores

  • Roberto Rafael Dias Silva Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2017v35n3p838

Palavras-chave:

Políticas curriculares, Educação integral, Conhecimento escolar

Resumo

O presente artigo examina os regimes de implementação das políticas curriculares de ampliação da jornada escolar desenvolvidas nos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Ao inscrever-se no campo dos Estudos Curriculares, procurou-se compreender seus processos de seleção e organização do conhecimento escolar. As políticas examinadas são implementadas a partir de duas noções distintas e complementares, quais sejam: percursos formativos e comunidades de aprendentes. Constatou-se, através de uma análise textual dos documentos curriculares orientadores das referidas políticas, uma significativa preocupação com os processos de seleção dos conhecimentos escolares a serem ensinados; todavia, ainda se notaram algumas dificuldades para indicar os critérios orientadores para as referidas escolhas, bem como as racionalidades pedagógicas que justificam sua implementação.

Biografia do Autor

Roberto Rafael Dias Silva, Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS

Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS).

Downloads

Publicado

2017-12-31

Edição

Seção

Volume 35 número 3 2017