Infância e limiar em Walter Benjamin

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2018v36n3p992

Resumo

Este estudo de natureza teórica busca evidenciar aspectos da infância presentes na obra de Benjamin, a partir da ideia de limiar. Encontramo-nos com ela em lugares do pensamento onde o filósofo se detém sobre a importância das zonas limiares e dos locais de passagens para uma experiência com o moderno. Tais lugares do pensamento sinalizam e indicam marcas que contribuem para conferir à infância sua modernidade, bem como abrem caminho para pensar os sentidos da infância no tempo presente. Nossa hipótese é de que a ideia de infância é atravessada por núcleos conceituais e imagéticos importantes na obra do autor, como força mobilizadora, tanto desses conceitos como da ideia de infância. Foram encontrados sinais de um pensamento que brinca com as noções constituintes da imagem da infância da qual fala o autor. É justamente esse "brincar filosófico" o que aproxima a noção benjaminiana de infância de ideias densas e conceitos importantes, no contexto de suas reflexões, como a noção de limiar.

Biografia do Autor

Eduardo Oliveira Sanches, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Possui graduação em Educação Física (UEM - 2002) e em Pedagogia (INSEP - 2012). É mestre em Fundamentos da Educação (UEM - 2007) e doutor em Educação (FCT/UNESP - Presidente Prudente - 2017). Desenvolve pesquisa em projetos vinculados a área da educação pela UEM e pela UNESP, cujo temáticas abordadas são: lúdico; infância; cultura da criança; Walter Benjamin; indústria cultural, (semi)formação; Escola de Frankfurt.

Divino José da Silva, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (FCT/UNESP/Presidente Prudente)

Possui graduação em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1989), mestrado em Fundamentos da Educação pela Universidade Federal de São Carlos (1994) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1999). Desde de 1998 é professor assistente doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (FCT/UNESP/Presidente Prudente). É professor de Filosofia da Educação no Departamento de Educação e no Programa de Pós-Graduação- Mestrado e Doutorado desta mesma Faculdade. Foi Coordenador do Programa de pós-graduação da FCT/UNESP entre junho de 2010 a junho de 2013. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Filosofia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, teoria crítica e educação, ética e educação, vida administrada e formas de controle sobre a vida, tecnociência e educação, cerebralização da educação e biopolítica. Tem abordado estas temáticas à luz dos seguintes autores: Theodor Adorno, Walter Benjamin, Hannah Arendt e Foucault.

Downloads

Publicado

2018-10-23

Como Citar

Sanches, E. O., & Silva, D. J. da. (2018). Infância e limiar em Walter Benjamin. erspectiva, 36(3), 992–1006. https://doi.org/10.5007/2175-795X.2018v36n3p992

Edição

Seção

Artigos