Percursos e tendências das pesquisas sobre educação indígena na Região Sul do Brasil

Maria Aparecida Bergamaschi

Resumo


Este artigo decorre de uma pesquisa que, inicialmente, subsidiou o trabalho especial apresentado na Reunião Científica Regional - X ANPEd Sul, em 2014. A partir dos registros encontrados no portal de teses da Capes (teses e dissertações defendidas) e no site do evento (trabalhos apresentados nas reuniões regionais), elaborei um levantamento minucioso das pesquisas realizadas nos últimos 15 anos (2002 a 2016), tecendo um panorama para a compreensão de possíveis significados e tendências que anunciam. A educação e a escola indígena começaram a ser tema de atenção nas pesquisas acadêmicas a partir da antropologia e, desde os anos 90 do século XX se tornam evidentes também no campo da educação. Assim como em todo o Brasil, as pesquisas realizadas na Região Sul andam pari passu com o movimento dos próprios coletivos indígenas, que implementam com maior intensidade processos de escolarização em suas terras e fora delas. Em decorrência, há um estreitamento do diálogo das universidades e das(os) pesquisadoras(es) com os povos originários da região, o incremento na produção bibliográfica, o fortalecimento do movimento político que implementa as ações afirmativas e o ingresso de estudantes indígenas nas universidades, inclusive nos programas de pós-graduação, inaugurando a autoria indígena também nas pesquisas acadêmicas.


Palavras-chave


Educação indígena; Pesquisa em educação; PPG região sul do Brasil

Texto completo:

PDFA

Referências


ALMEIDA, Maria Inês. Desocidentada: experiência literária em terra indígena. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

ALMEIDA, Maria Inês; QUEIROZ, Sônia. Na captura da voz: as edições da narrativa oral no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

AQUINO, Elda Vasques. Educação Escolar Indígena e os Processos Próprios de Aprendizagens: espaços de inter-relação de conhecimentos na infância Guarani/Kaiowá, antes da escola, na Comunidade Indígena de Amambai, MS. Dissertação de Mestrado, UCDB, 2012.

BALANDIER, Georges. A desordem: elogio do movimento. Tradução Suzana Martins. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1997.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida. Nhembo’e. Enquanto o encanto permanece! Processos e práticas de escolarização nas aldeias Guarani. Tese. Programa de Pós-Graduação em Educação. Faculdade de Educação - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005.

BERGAMASCHI, Maria Aparecida. Processos e práticas educativas dos povos ameríndios no Brasil: um olhar a partir de pesquisas contemporâneas Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, 20 (35), 2012. http://epaa.asu.edu/ojs/1076.

BRITO, Edson Machado de. A Educação Karipuna do Amapá no Contexto da Educação Escolar Indígena Diferenciada na Aldeia do Espírito Santo. Tese. Programa de Pós-Graduação em Educação. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2012.

CALUDINO, Zaqueu Key. A formação da pessoa nos pressupostos da tradição - Educação Indígena Kanhgág. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2013.

CAPACLA, Marta Valéria. O debate sobre a educação indígena no Brasil (1975-1995): Resenhas de teses e livros. Brasília / São Paulo: MEC / MARI, 1995.

FERREIRA, Bruno. Educação Kaingang: processos próprios de aprendizagem e educação escolar. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2014.

GASCHÉ, Jorge. La motivación política de la educación intercultural indígena y sus exigências pedagógicas. ¿Hasta dónde abarca la interculturalidad? In. BERTELY, María, et all... Educando em la diversidade cultural. Investigaciones y experiências educativas interculturales y bilíngues. Quito-Equador: Ediciones Abya Yala, 2008.

GEERTZ, Clifford. Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

GRUPIONI, Luis Donisete Benzi. A educação Indígena na Academia: inventário comentado de dissertações e teses sobre educação escolar indígena no Brasil (1978-2002). Em Aberto. Brasília. V. 20, n 76, p. 197-238, fev. 2003.

LOPES DA SILVA, Aracy; FERREIRA, Mariana Kawall Leal (orgs.). Antropologia, História e Educação – A questão indígena na escola. São Paulo: Global: 2001.

LUCIANO, Gersem José dos Santos; HOFFMANN, Maria Barroso; OLIVEIRA, Jô Cardoso. Olhares indígenas contemporâneos II. Brasília: Centro Indígena de Estudos e Pesquisas – CINEP, 2012.

LUCIANO, Gersem José dos Santos; OLIVEIRA, João Cardoso de; HOFFMANN, Maria Barroso. Olhares Indígenas Contemporâneos. Brasília: Centro Indígena de Pesquisas, 2010.

MONTE, Nietta Lindenberg. Cronistas em viagem e educação indígena. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

PALADINO, Mariana. “Quando los antropólogos son indígenas”: una discusión de la producción acadêmica de autoria indigena en Brasil. NOVARO, Gabriela, PADAWER, Ana y HECHT, Ana Carolina (comp.). Educación, pueblos indígenas y migrantes. Reflexiones desde Argentina, Brasil, Bolívia, México y España. Buenos Aires: Editorial Biblos. 2015, p. 227-254.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

TASSINARI, Antonella Maria Imperatriz. Escola Indígena: novos horizontes teóricos, novas frontieras de educação In. SILVA, Aracy Lopes da; FERREIRA, Mariana Kawall Leal. (org.) Antropologia, história e educação: a questão indígena e a escola. São Paulo: Global, 2001, p. 44-70.

VENERA, Raquel Alvarenga Sena. A construção da subjetividade cidadã, um jazz possível! Consonância e dissonância nas análises dos discursos democráticos educacionais brasileiros. Implicações no ensino de história. Tese de Doutorado. Faculdade de Educação, UNICAMP: Campinas, 2009.

VIDAL, Lux Boelitz. Homenagem a Aracy Lopes da Silva (1949 - 2000). Revista de Antropologia, São Paulo, USP, 2000, V. 43 nº 2. P. 11-16.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-795X.2019.e52426



Direitos autorais 2019 maria aparecida bergamaschi

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Perspectiva, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN print 0102-5473, ISSN 2175-795X.

Recomendamos o uso do browser Firefox_Mozilla como navegador do portal .

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.