Interfaces de gênero, infância e educação infantil na pós-graduação em educação brasileira (1996 a 2015)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2020.e61812

Palavras-chave:

Relações de gênero, Educação infantil, Produção acadêmica

Resumo

Neste artigo, propôs-se uma revisão das teses e das dissertações defendidas entre 1996 e 2015 nos Programas de Pós-Graduação em Educação no Brasil e que consideraram as crianças interlocutoras em pesquisas sobre relações de gênero. O objetivo consistiu em analisar a produção acadêmica brasileira do campo da Educação com vistas a compreender as especificidades das investigações sobre gênero, infância e Educação Infantil, a partir da leitura de teses e de dissertações defendidas no período mencionado. O corpus de análise compreendeu cinco teses e 24 dissertações agrupadas nas categorias: pedagogias de gênero produzidas por adultos para as crianças; relações de gênero entre as crianças; e falta de traquejo dos adultos frente às relações de gênero vivenciadas pelas crianças. A análise destacou as principais correntes teórico-metodológicas presentes na investigação sobre a temática, ressaltou as aproximações e os distanciamentos na produção acadêmica e evidenciou a constituição recente de um campo de pesquisas na Pós-Graduação brasileira.

Biografia do Autor

Sandro Vinicius Sales dos Santos, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, UFVJM

Professor do Curso de Pedagogia da Faculdade Interdisciplinar em Humanidades da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, FIH/UFVJM

Referências

ALDERSON, Priscilla. Children as researchers: the effects of participation rights on research methodology. In: CHRISTENSEN, Pia; JAMES, Allison. (eds.). Research with children: perspectives and practices. 2. ed. London: Routledge, 2008. p. 271-290.

ARGÜELLO, Zandra Elisa Argüello. Dialogando com crianças sobre gênero através da literatura infantil. 2005. 192 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

AZEVEDO, Tânia Maria Cordeiro. Brinquedos e gênero na educação infantil - um estudo do tipo etnográfico no estado do Rio de Janeiro. 2003. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

BANKS, Marcus. Dados visuais para pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2004.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

BAUER, Martin W.; AARTS, Bas. A construção do corpus: um princípio para a coleta de dados qualitativos. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George. (orgs.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. São Paulo: Vozes, 2013. p. 39-63.

BELLO, Alexandre Toaldo. Sujeitos infantis masculinos: homens por vir?. 2006. 121 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

BERTUOL, Bruna. Coisas de menino ou de menina? Pedagogias de gênero nas escolas de Educação Infantil. 2013. 159 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Centro Universitário La Salle, Canoas, 2013.

BÍSCARO, Claudia Regina Renda. A construção das identidades de gênero na educação infantil. 2009. 138 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2009.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Lei Nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 135, p. 13563, 16 jul. 1990.

BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 248, p. 27833-27841, 23 dez. 1996.

BUSS-SIMÃO, Marcia. Relações sociais em um contexto de educação infantil: um olhar sobre a dimensão corporal na perspectiva de crianças pequenas. 2012. 312 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

CAMPOS, Maria Malta. Por que é importante ouvir a criança? A participação das crianças pequenas na pesquisa científica. In: CRUZ, Silvia Helena Vieira. (org.). A criança fala: a escuta de crianças em pesquisas. São Paulo: Cortez, 2008. p. 35-42.

CARVALHAR, Daniela Lameirinhas. Relações de gênero no currículo da educação infantil: a produção das identidades de princesas, heróis e sapos. 2009. 170 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

CARVALHO, Marília Pinto de. O conceito de gênero no dia a dia da sala de aula. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 21, n. 46, p. 401-412, 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.29286/rep.v21i46.416

CASAROTTI, Magda Helena Balbino. Sexualidade na Educação Infantil: impasses dos professores diante das questões das crianças. 2009. 143 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

CLARK-IBÁÑEZ, Marisol. Framing the social world with photo-elicitation interviews. American Behavioral Scientist [online], v. 47, n. 12, p. 1507-1527, 2004. DOI: https://doi.org/10.1177/0002764204266236

CONNELL, Raweyn; PEARSE, Rebecca. Gênero: uma perspectiva global. Tradução e revisão técnica Marília Moschkovich. São Paulo: nVersos, 2015.

COSTA, Arlete de. Cenas de meninas e meninos no cotidiano institucional da Educação Infantil: um estudo sobre as relações de gênero. 2004. 155 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

CUNHA, Elianne Madza de Almeida. Identidade de gênero em situação de brinquedo: um estudo com crianças pré-escolares. 2008. 87 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008.

FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Pequena infância, educação e gênero: subsídios para um estado da arte. Cadernos Pagu, Campinas, n. 26, p. 279-288, 2006.

FINCO, Daniela. Educação Infantil, espaços de confronto e convívio com as diferenças: análise das interações entre professoras e meninas e meninos que transgridem as fronteiras de gênero. 2010. 216 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

FINCO, Daniela. Faca sem ponta, galinha sem pé, homem com homem, mulher com mulher: relações de gênero nas brincadeiras de meninas e meninos na Educação Infantil. 2004. 171 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

FREIRE, Maria Angélica Menezes. O jeito de ser menina e menino no cotidiano da Educação Infantil. 2010. 129 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2010.

FURLAN, Cássia Cristina. Crianças e professoras com a palavra: gênero e sexualidade nas culturas infantis. 2013. 230 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2013.

GARCIA, Juliana Lopes. Gênero no cotidiano escolar de uma turma de Educação Infantil: uma análise na perspectiva histórico-cultural. 2013. 93 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2013.

GAUDIO, Eduarda Souza. Relações sociais na Educação Infantil: dimensões étnico raciais, corporais e de gênero. 2013. 242 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

GIONGO, Marina Grandi. Socialização de gênero e Educação Infantil: estudo de caso sobre a construção e reprodução dos papéis de gênero em uma escola no Rio Grande do Sul. 2015. 173 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

GOBBI, Márcia Aparecida. Lápis vermelho é de mulherzinha: desenho infantil, relações de gênero e Educação Infantil. 1997. 145 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1997.

GOMES, Renata Fernanda Fernandes. Infância e diversidade: um estudo sobre significações de gênero no brincar. 2005. 186 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Estadual Paulista, Assis, 2005.

GUERRA, Judite. Dos “segredos sagrados”: gênero e sexualidade no cotidiano de uma escola infantil. 2005. 128 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

GUIZZO, Bianca Salazar. Identidades de gênero e propagandas televisivas: um estudo no contexto da Educação Infantil. 2005. 157 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

GUIZZO, Bianca Salazar. “Aquele negrão me chamou de leitão”: representações e práticas corporais de embelezamento na educação infantil. 2011. 199 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

INTRA, Zínia Fraga. A constituição do “eu” entre crianças na Educação Infantil: diferentes modos de ser menina e de ser menino. 2007. 135 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2007.

JAMES, Allison; PROUT, Alan. A new paradigm for the Sociology of childhood? Provenance, promise and problems. In: JAMES, Allison; PROUT, Alan. (eds.). Constructing and reconstructing childhood: contemporary issues in the sociological study of childhood. 2. ed. London: The Falmer Press, 1997. p. 7-34.

MANHÃES, Marcos Aurélio Ribeiro. Menino ou menina?: um estudo sobre gênero e desenvolvimento infantil. 2004. 143 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

MARTINS FILHO, Altino José. Jeitos de ser criança: balanço de uma década de pesquisas com crianças apresentadas na ANPEd. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 33., 2010, Caxambu. Anais eletrônicos [...]. Caxambu: Hotel Glória, 2010. Disponível em: http://33reuniao.anped.org.br/33encontro/app/webroot/files/file/Trabalhos%20em%20PDF/GT07-6068--Int.pdf. Acesso em: 15 ago. 2014.

MORROW, Virginia. Understanding gender differences in context: implications for young children’s everyday lives. Children & Society [online], v. 20, p. 92-104, 2006. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1099-0860.2006.00017.x

ORIANI, Valeria Pall. Relações de gênero e sexualidade na Educação Infantil: interfaces que envolvem as práticas pedagógicas. 2015. 101 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Marília, 2015.

PACHECO, Luciana de Bem. De João à Joana: gênero e brincadeiras-atribuição de significados no contexto da educação infantil. 2009. 122 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

PEREIRA, Marina Coelho. O discurso publicitário e o dizer da criança sobre o brinquedo na construção dos sentidos sobre masculino e feminino. 2014. 100 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.

PICCOLO, Gustavo Martins. Educação Infantil: análise da manifestação social do preconceito na atividade principal de jogos. 2008. 211 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2008.

PRETTO Zuleica; LAGO, Mara C. S. Reflexões sobre a infância e gênero a partir de publicações em revistas feministas brasileiras. Revista Ártemis, João Pessoa, v. 1, n. 15, p. 56-71, 2013.

ROCHA, Eloisa Arcires Candal. 30 anos da Educação Infantil na ANPEd: caminhos da pesquisa. Zero-a-seis, Florianópolis, v. 10, n. 17, p. 52-65, 2008. DOI: https://doi.org/10.5007/1980-4512.2008n17p52

ROCHA, Eloisa Arcires Candal. A pesquisa em Educação Infantil no Brasil: trajetória recente e perspectivas de consolidação de uma pedagogia. 1999. 187 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

ROSEMBERG, Fúlvia. Teorias de gênero e subordinação de idade: um ensaio. Pro-posições, Campinas, v. 7, n. 3(21), p. 17-23, nov. 1996.

SANTOS, Sandro Vinicius Sales dos. Socialização de gênero na Educação Infantil: continuidades e rupturas vivenciadas pelas crianças na família, na igreja e na escola. Educação, Santa Maria, v. 42, n. 3, p. 731-750, set./dez. 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.5902/1984644428325

SANTOS, Sandro Vinicius Sales dos. Socialização de gênero na Educação Infantil: uma análise a partir da perspectiva das crianças. 2016. 302 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

SANTOS, Sandro Vinicius Sales dos; SILVA, Isabel de Oliveira e. Crianças na educação infantil: a escola como lugar de experiência social. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 1, p. 131-150, jan./mar. 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-9702201603137189

SILVA, Isabel de Oliveira e; LUZ, Iza Rodrigues da. Meninos na educação infantil: o olhar das educadoras sobre a diversidade de gênero. Cadernos Pagu, Campinas, n. 34, p. 17-39, 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-83332010000100003

THORNE, Berry. Gender play: girls and boys in schools. New Brunswick, NJ: Rutgers University Press, 1993.

TOMAZELLI, Lorrene Pontes. Coeducação e gênero: relações por meio das brincadeiras e do lúdico. 2013. 127 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.

WEST, Candace; ZIMMERMAN, Don H. Doing gender. Gender and Society [online], v. 1, n. 2, p. 125-151, 1987.

Downloads

Publicado

2020-03-27