Tradução, Capitalismo, Psicanálise

Nils Goran Skare

Resumo


Este artigo defende que o discurso do tradutor é o inverso do discurso do capitalista. Apresentamos a teoria dos discursos do psicanalista Jacques Lacan: o discurso do mestre, do universitário, da histérica e do analista, bem como do capitalista. Desenvolvemos as características do tradutor e sua ética do Real, e apresentamos formalmente seu discurso. Opomos os discursos do tradutor e o do capitalista, explorando o campo da narrativa. Concluímos que a letra pode questionar o discurso hegemônico.


Palavras-chave


tradução; capitalismo; psicanálise; Lacan; discurso

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2013v1n31p15



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.