Para traduzir o Cânone Pāli: a <em>Reine Sprache</em> do outro lado da fita de Möbius

Autores

  • Nils Goran Skare Universidade Federal do Paraná (UFPR). Curitiba, Paraná, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2018v38n2p61

Palavras-chave:

Pāli, Língua pura, Walter Benjamin, Budismo, Carma

Resumo

O presente estudo se propõe a analisar algumas potencialidades de tradução do cânone pāli, língua em que estão os escritos do budismo Theravāda. Para tanto, utilizamos o conceito de língua pura (reine Sprache) tal qual formulado por Benjamin. Depois disso, procedemos a uma leitura do conceito à luz da doutrina budista. Assim, defendemos uma Revelação sem Criador, o que nos conduz à ideia de língua pura como parâmetro cármico. Na nossa discussão, apontamos para o traduzir como prática. Em nossa conclusão, traduzimos alguns versos do Dhammapada e os discutimos, e respondemos a algumas possíveis objeções.

Biografia do Autor

Nils Goran Skare, Universidade Federal do Paraná (UFPR). Curitiba, Paraná, Brasil

Nils Skare estudou C. Sociais e Letras na UFPR. É tradutor, escritor e editor. Já traduziu obras de E. E. Cummings, A. Strindberg e A. Ryunosuke.

Referências

ADORNO, Theodor W. Der Essay Als Form. In: ROHNER, Ludwig. Deutsche Essays – Band 1: Essays avant la lettre. Berlin: DTV, 1972.

BAKER, Mona (Ed.). Routledge Encyclopedia of Translation Studies. London; New York: Routledge, 2000.

BENJAMIN, Walter. Die Aufgabe des Übersetzers. In: ______. Gesammelte Schriften. Bd. IV/1. Frankfurt: Main, 1972.

______. Origem do Drama Trágico Alemão. Tradução de João Barrento. Lisboa: Assírio & Alvim, 2004.

BUDA. Ensinamentos do Buda: uma antologia do cânone páli. Organização e tradução de Nissim Cohen. São Paulo: Devir Livraria, 2008.

_______. Darmapada: a doutrina budista em versos. Tradução de Fernando Cacciatore de Garcia. Porto Alegre: L&PM Editores, 2009

______. Yamakavagga: Pairs (Dhp I). Tradução de Thanissaro Bhikkhu. Access to Insight (Legacy Edition), 30 nov. 2013a. Disponível em: <http://www.accesstoinsight.org/tipitaka/kn/ dhp/dhp.01.than.html>.

______. Yamakavagga: Pairs (Dhp I). Tradução de Acharya Buddharakkhita. Access to Insight (Legacy Edition), 30 nov. 2013b. Disponível em: <http://www.accesstoinsight.org/tipitaka/kn/ dhp/dhp.01.budd.html>.

CAMPOS, Haroldo de. Qohélet = O-que-sabe. São Paulo: Perspectiva, 1991.

COHEN, Nissim. Introdução. In: BUDA. Ensinamentos do Buda: uma antologia do cânone páli. Organização e tradução de Nissim Cohen. São Paulo: Devir Livraria, 2008.

DERRIDA, Jacques. O que é uma tradução “relevante”? Tradução de Olivia Niemeyer Santos. Alfa, São Paulo, v. 44, n. esp., 2000.

DURKHEIM, Émile. Les Formes Élémentaires de la Vie Religieuse: le système totémique en Australie. Paris: Presses Universitaires de France, 1968.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Hollanda. Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1963.

GAIR, James W.; KARUNATILLAKE, W. S. A New Course in Reading Pāli: Entering the Word of the Buddha. Delhi: Motilal Banarsidass Publishers, 2013.

HANH, Thich Nhat. A Arte do Poder. Tradução de Claudia Gerpe Duarte. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

HUMPHRIES, Jeff. The Karmic Text: A Buddhist Reading of Jacques Derrida and Paul de Man Reading Walter Benjamin’s “The Task of the Translator”. University of Toronto Quarterly, v. 66, n. 3, 1997.

KOJÉVE, Alexandre. Introdução à Leitura de Hegel. Tradução de Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: UERJ; Contraponto, 2002.

MORGAN, Diane. Essential Buddhism: a Comprehensive Guide to Belief and Practice. Santa Barbara: Greenwood Publishing Group, 2010

ŽIŽEK, Slavoj. First as Tragedy, Then as Farce. London; New York: Verso, 2009.

Downloads

Publicado

2018-05-11