Em busca do tradutor: Proust e Mérimée por Mário Quintana.

Claudia Borges de Faveri, Eleonora Castelli

Resumo


Este artigo pretende estudar as traduções feitas pelo poeta brasileiro Mário Quintana de Carmen, de Prosper Mérimée e de À sombra das raparigas em flor (À l’ombre des jeunes filles en fleur), de Marcel Proust. Com base na análise das etapas do processo tradutório empreendida por Antoine Berman e na abordagem do “tradutor de carne e osso” de Anthony Pym, busca-se a voz tradutor sem acessar os originais, partindo da premissa de que o texto traduzido é capaz de falar por si só. Enfim, tendo em vista a estreita ligação do trabalho de tradução de Quintana com a Editora Globo de Porto Alegre, certo traço da história da tradução no Brasil se fará perceber.

Palavras-chave


história da tradução, literatura traduzida, tradutores-escritores.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.