Estudo Exploratório da Competência Tradutória de Tradutores Ouvintes Intermodais em Relação à sua Prática - Versão Sintética em Libras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2021.e85298%20

Palavras-chave:

Competência tradutória, Intermodalidade linguística, Língua de Sinais, Tradutores ouvintes, Português-Libras

Resumo

A competência tradutória (intermodal) é a reunião de atitudes, habilidades e saberes especializados imprescindíveis ao tradutor para a transposição de informações entre línguas, distintas ou não. Segundo o grupo PACTE, tal competência é constituída por componentes que poderão ser tensionados a partir de aspectos como a direcionalidade do processo tradutório, o tipo e o gênero textual, e as modalidades (de uso) das línguas envolvidas. Sendo assim, empreendemos uma pesquisa de ordem exploratória na qual oito tradutores ouvintes, da região Sudeste e Sul do país, responderam a uma entrevista semiestruturada na qual abordava questões referentes à sua prática tradutória. Os dados demonstram que, apesar desses tradutores preferirem atuar na direção do português escrito para a Libras oral, a manifestação corporal, gestual e visual e o uso do espaço são considerados desafiadores, principalmente por envolver o registro desse produto em vídeo. Além disso, independentemente dos textos a serem traduzidos, as consultas em fontes documentais, lexicais e terminológicas são ações essenciais no trabalho desses profissionais. Diante disso, ressaltamos a importância em tratar a competência tradutória intermodal, defendida por Rodrigues (308), de maneira a oferecer aos tradutores formações que englobem atividades nas duas direções, emprego de ferramentas de busca e maior variedade de textos.

Biografia do Autor

Thaís Fleury Avelar, Universidade Federal de Goiás

Atualmente é professora doutora adjunta nos cursos de Licenciatura em Letras: Libras e Bacharelado em Letras: Tradução e Interpretação em Libras/Português da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Goiás (FL/UFG). Possui graduação em Turismo pela Faculdade Cambury de Goiânia (2003) e Mestrado de Programa de Pós-Graduação em Estudos de Tradução da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina - 2010) e graduação em Licenciatura de curso de Letras-Libras, modalidade à distância pela UFSC (2010).

Referências

ALVES, Fábio. Ritmo cognitivo, meta-função e experiência: parâmetros de análise processual no desempenho de tradutores novatos e experientes. In: PAGANO, Adriana; MAGALHÃES, Célia; ALVES. Fábio. (Org.). Competência em tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: UFMG, 2005: 109-169.

ANDRADE, Betty Lopes L’Astorina de. Literatura surda em Língua Brasileira de Sinais: tradução com foco no antropomorfismo. In: RIGO, Natália Schleder. (Org.). Textos e Contextos Artísticos e Literários: tradução e interpretação em Libras, 3 (2020): 16-31.

ARAUJO, Sofia Paiva de; FONSECA, Norma Barbosa de Lima. Conhecimento de domínio e subcompetências bilíngue, instrumental e conhecimento sobre tradução na avaliação de qualidade de traduções de manuais de instrução: um estudo sob a perspectiva do avaliador. Letras & Letras, 35 2 (2019): 79-103, Uberlândia: UFU. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/50856/28219. Acesso em 10/04/2020.

AVELAR, Thaís Fleury. Análise da tradução intermodal de texto acadêmico do português escrito para a Libras em vídeo. 2020, 218 f. Tese (Doutorado em Estudos da Tradução) - Centro de Comunicação e Expressão. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2020.

BARROS, Mariângela Estelita. Elis - Sistema brasileiro de escrita das línguas de sinais. São Paulo: Editora Penso, 2015, pp. 144.

BENASSI, Cláudio Alves. O despertar para o outro: entre as escritas de sinais. Rio de Janeiro: Autografia, 2017.

CAMPOS, Tania Liparini; LEIPNITZ, Luciane. Competência Tradutória: o desenvolvimento da subcompetência sobre conhecimentos em tradução. Domínios de Lingu@gem, 11 5 (2017): 1727-1745, Uberlândia: UFU. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/37449/21497. Acesso em 23/06/2019.

CARNEIRO, Teresa Dias; VITAL, Dafny Saldanha Hespanhol; SOUZA, Rodrigo Pereira Leal de. O processo de produção de textos traduzidos para Libras em vídeo no Departamento de Letras-Libras (UFRJ) comparado ao processo de produção de traduções editoriais entre línguas orais. Belas Infiéis, 9 5 (2020): 135-166, Brasília: UnB. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/31990/27818. Acesso em 09/10/2021.

DIAS, Vitor de Souza; NASCIMENTO, Vinícius. Tradução comentada da Escala de Ansiedade a Matemática (eam) para a Língua Brasileira de Sinais (Libras): questões teóricas e implicações formativas. Revista Espaço, 51 (2019): 59-81, Rio de Janeiro: INES. Disponível em: http://www.ines.gov.br/seer/index.php/revista-espaco/article/view/600/pdf. Acesso em 07/04/2020.

DUARTE, Rosália. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Revista Educar, 24 (2004): 213-225.

FARIA, Juliana Guimarães; GALÁN-MAÑAS, Anabel. Um estudo sobre a formação de tradutores e intérpretes de Línguas de Sinais. Trabalhos em Linguística Aplicada, 57 1 (2018): 265-286, Campinas: Unicamp. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8651551/17747. Acesso em: 20/05/2019.

FERREIRA, Alice Maria Araújo; SILVA-NETO, Virgílio Soares da. Tradução de teatro para línguas de sinais: ensaio sobre corpo e (in)visibilidade. Cadernos de Tradução, 40 1 (2020): 72-90, Florianópolis: UFSC. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2020v40n1p72/42359. Acesso em: 18/04/2020.

FERREIRA, Aline Alves. Direcionalidade em tradução: o papel da subcompetência bilíngue em tarefas de tradução L1 e L2. 2013, 164 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

FONSECA, Norma Barbosa de Lima; GONÇALVES, José Luiz Vila Real; ZAMPIER, Pedro. Investigando o esforço cognitivo, o conhecimento sobre tradução e a satisfação na tradução Libras-Português. Cadernos de Tradução, 39 3 (2019): 20-49, Florianópolis: UFSC. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2019v39n3p20/40840. Acesso em 05/03/2020.

GALÁN-MAÑAS, Anabel. Learning portfolio in translator training: the tool of choice for competence development and assessment. The Interpreter and Translator Trainer, 2016, pp. 1-22. Disponível em: https://doi.org/10.1080/1750399X.2015.1103108. Acesso em 18/05/2019.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008, pp. 201.

GONÇALVES, José Luiz Vila Real. Repensando o desenvolvimento da competência tradutória e suas implicações para a formação do tradutor. Revista Graphos, 17 1 (2015): 114-130, João Pessoa: UFPB. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/graphos/article/view/25053. Acesso em 28/02/2019.

HURTADO ALBIR, Amparo. A aquisição da competência tradutória: aspectos teóricos e didáticos. In: PAGANO, Adriana; MAGALHÃES, Célia; ALVES. Fábio. (Org.). Competência em tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: UFMG, 2005, pp.19-57.

HURTADO ALBIR, Amparo. Traducción y traductología. Madrid: Gredos, 5. ed, 2011, pp. 696.

KIRALY, Donald. C. Translation into a non-mother tongue: From collaboration to competence. In: GROSMAN, Meta; KRADIC, Mira; KOVACIC, Irena; SNELL-HORNBY, Mary. (Org.). Translation into non-mother tongues in professional practice and training, Tubingen: Stauffenburg Verlag, 2000, pp. 117-124.

KLAMT, Marilyn Mafra. Tradução comentada do poema em Língua Brasileira de Sinais “Voo sobre rio”. Belas Infiéis, 3 2 (2014): 107-123, Brasília: UnB. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/11285/9930. Acesso em: 16/10/2018.

LESSA-DE-OLIVEIRA, Adriana Stella Cardoso. Libras escrita: o desafio de representar uma língua tridimensional por um sistema de escrita linear. ReVel, 10 9 (2012): 150-184. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/4566006ab74ecff8dc54d92e9649eb86.pdf. Acesso em 01/05/2019.

LOGUERCIO, Sandra Dias; SILVA, Márcia Moura. Estudo exploratório: que temas são traduzidos e/ou pesquisados em cursos de tradução no Brasil?. Cultura e Tradução, 6 1 (2020): 69-85, João Pessoa: UFPB. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/ct/article/view/49179/30089. Acesso em 10/05/2020.

MANZINI, Eduardo José. Considerações sobre a elaboração de roteiro para entrevista semi-estruturada. In: MARQUEZINE, Maria Cristina; ALMEIDA, Maria Amélia; OMOTE; Sadao. (Org). Colóquios sobre pesquisa em Educação Especial. Londrina: Eduel, 2003, pp. 11-25.

McCLEARY, Leland; VIOTTI, Evani; LEITE, Tarcísio de Arantes. Descrição das línguas sinalizadas: a questão da transcrição dos dados. Revista Alfa, 54 1 (2010): 265-289, Unesp. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/2880/2654. Acesso em: 05/05/2019.

NASCIMENTO, Marcus Vinícius Batista. Interpretação da língua brasileira de sinais a partir do gênero jornalístico televisivo: elementos verbo-visuais na produção de sentidos. 2011, 148 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) - Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.

NASCIMENTO, Vinícius; NOGUEIRA, Tiago Coimbra. Tradução Audiovisual e o direito à cultura: o caso da comunidade surda. PERcursos Linguísticos, 9 21 (2019): 105-132, Vitória: UFES. Disponível em: http://periodicos.ufes.br/percursos/article/view/23740. Acesso em: 10/02/2020.

NORD, Christiane. Análise textual em tradução: bases teóricas, métodos e aplicação didática. Coordenação da tradução e adaptação de Meta Elisabeth Zipser. São Paulo: Rafael Copetti Editor, 2016, pp. 441.

PAVLOVIĆ, Nataša; JENSEN, Kristian Tangsgaard Hvelplund. “Eye tracking translation directionality.” In: PYM, Anthony; PEREKRESTENKO, Alexander. (Org.) Translation Research Projects. Intercultural Studies Group, 2 ed. 2009, pp. 93-109.

QUADROS, Ronice Muller de; SOUZA, Saulo Xavier. Aspectos da tradução/ encenação na Língua de Sinais Brasileira para um ambiente virtual de ensino: práticas tradutórias do curso de Letras-Libras In: QUADROS, Ronice Muller de. (Org). Estudos Surdos III. Petrópolis, Rio de Janeiro: Arara-Azul, 2008, pp. 168-207.

QUADROS, Ronice Muller de; PIZZIO, Aline Lemos. Língua brasileira de sinais IV. Curso de graduação de Letras Libras. Universidade Federal de Santa Catarina, 2009.

RIGO, Natália Schleder. Tradução de Libras para Português de texto acadêmicos: considerações sobre a prática. Cadernos de Tradução, 35 2 (2015): 428-478, Florianópolis: UFSC. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p458/30721. Acesso em: 19/03/2016.

RIGO, Natália Schleder. Tradução de textos acadêmicos de Português para Língua Brasileira de Sinais: o emprego de elementos do design editorial como soluções tradutórias. Translatio, 15 (2018): 173-196, Porto Alegre: UFRGS. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/translatio/article/view/81442/48550. Acesso em: 24/01/2019.

RODRIGUES, Carlos Henrique. A interpretação para a Língua de Sinais Brasileira: efeitos de modalidade e processos inferenciais. 2013, 255 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) – Faculdade de Letras. Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

RODRIGUES, Carlos Henrique. Competência em tradução e línguas de sinais: a modalidade gestual-visual e suas implicações para uma possível competência tradutória intermodal. Trabalhos em Linguística Aplicada, 57 1 (2018a): 287-318, Campinas: Unicamp. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/tla/v57n1/0103-1813-tla-57-01-0287.pdf. Acesso em: 03/02/2019.

RODRIGUES, Carlos Henrique. Formação de intérpretes e tradutores de língua de sinais nas universidades federais brasileiras: constatações, desafios e propostas para o desenho curricular. Translatio, 15 (2018b): 197-222, Porto Alegre: UFRGS. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/translatio/article/view/79144/48558. Acesso em 24/01/2019.

RODRIGUES, Carlos Henrique. Translation and sign language: highlighting the visual-gestural modality. Cadernos de Tradução. Florianópolis, 38 2 (2018c): 294-319, Florianópolis: UFSC. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ct/v38n2/2175-7968-ct-38-2-0294.pdf. Acesso em: 25/01/2019.

RODRIGUES, Carlos Henrique; BEER, Hanna. Os Estudos da Tradução e da Interpretação de Línguas de Sinais: novo campo disciplinar emergente? Cadernos de Tradução, 35 2 (2015): 17-45, Florianópolis: UFSC. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p17. Acesso em: 19/03/2016.

RODRIGUES, Carlos Henrique; FERREIRA, João Gabriel Duarte. Tradutores, intérpretes e guias-intérpretes surdos: prática profissional e competência. Revista Espaço, 51 (2019): 109-125, Rio de Janeiro: INES. Disponível em: http://www.ines.gov.br/seer/index.php/revista-espaco/article/view/604/662. Acesso em: 07/04/2020.

SANTOS, Emerson Cristian Pereira dos. No princípio era a palavra, mas a palavra foi traduzida para os sinais. Cadernos de Tradução, 38 3 (2018): 93-124, Florianópolis: UFSC. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2018v38n3p93/37388. Acesso em: 13/07/2019.

SANTOS, Silvana Aguiar dos. Tradução/Interpretação de Língua de Sinais no Brasil: uma análise das teses e dissertações de 1990 a 2010. 2013, 313 f. Tese (Doutorado em Estudos da Tradução) - Centro de Comunicação e Expressão. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

SANTOS, Silvana Aguiar dos. Estudos da Tradução e Interpretação de Línguas de Sinais nos programas de pós-graduação em Estudos da Tradução. Revista da Anpoll, 1 44 (2018): 375-394. Disponível em: https://revistadaanpoll.emnuvens.com.br/revista/article/view/1148/959. Acesso em: 14/03/2019.

SANTOS, Sheila Maria dos; ROMANELLI, Sergio. Sobre a (in)visibilidade do escritor-tradutor: em busca de Mario Quintana e Fernando Py. Letras & Letras, 32 1 (2016): 267-282, Uberlândia: UFU. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/32989/18700. Acesso em: 10/04/2020.

SEGALA, Rimar Romano; QUADROS, Ronice Muller de. Tradução intermodal, intersemiótica e interlinguística de textos escritos em Português para a Libras oral. Cadernos de Tradução, 35 2 (2015): 354- 386, Florianópolis: UFSC. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/21757968.2015v35nesp2p354/30718. Acesso em: 19/03/2016.

SOUZA, Saulo Xavier. Performances de tradução para a Língua Brasileira de Sinais observadas no curso de Letras-Libras. 2010, 174 f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução) – Centro de Comunicação e Expressão. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

SPOONER, Ruth Anna; SUTTON-SPENCE, Rachel; LERNER, Miriam Nathan; LERNER, Kenny. Invisible no More: Recasting the Role of the ASL-English Literary Translator. Translation and Interpreting Studies, 13 1 (2018): 110-129.

STONE, Christopher. Entrevista – interview. In: RODRIGUES, Carlos. Henrique; SUTTON-SPENCE, Rachel Louise. (Org.). Coleção palavras de Tradutor. Tradução inglês-português de Vitória Tassara e Hanna Beer; Tradução português-libras João Gabriel Ferreira e Victória Pedroni, 1. ed. Curitiba: Medusa, 2020, pp. 152. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1S1neDsfM-xeIBuN9olYDFCi_WSpeBX-D/view. Acesso em 06/05/2020.

STUMPF, Marianne Rossi. Aprendizagem da escrita de língua de sinais pelo sistema de SignWriting: língua de sinais no papel e no computador. 2005, 330 f. Tese (Doutorado em Informática na Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

SUTTON-SPENCE, Rachel. Considerations for translating “grande sertão veredas” into Libras. Revista da Anpoll, 1 (2018): 192-206. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/e8a5/457f8a200778898bca4225ea9402b86b0496.pdf. Acesso em: 14/03/2019.

VALE, Luciana Marques. A importância da terminologia para o tradutor/intérprete de Língua de Sinais Brasileira. Translatio, 15 (2018): 305-320, Porto Alegre: UFRGS. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/translatio/article/view/81599/48548. Acesso em 08/09/2020.

Publicado

2021-12-24