Os estudos da tradução e da interpretação de línguas de sinais: novo campo disciplinar emergente?

Carlos Henrique Rodrigues, Hanna Beer

Resumo


Considerando que as pesquisas brasileiras sobre a tradução e a interpretação de/para/entre línguas de sinais podem ser reunidas sobre o que se apresenta como Estudos da Tradução e da Interpretação de Línguas de Sinais (ETILS), realizamos uma reflexão sobre a emergência desse novo campo disciplinar em relação à sua vinculação direta aos Estudos da Tradução (ET) e aos Estudos da Interpretação (EI). Para tanto, apresentamos a interdependência e distinção fundamental entre os ET e os EI, realizamos uma busca por referências à interpretação e à tradução de línguas de sinais em importantes obras dos ET e dos EI e traçamos uma reflexão sobre os ETILS no contexto brasileiro. Essa reflexão tomou como base: as pesquisas sobre a tradução e a interpretação de línguas de sinais feitas na pós-graduação e as quatro edições do Congresso Nacional de Pesquisas em Tradução e Interpretação de Sinais. Vimos que, ao mesmo tempo em que os ETILS se singularizam por seu objeto de estudo envolver uma língua gesto-visual, eles mantêm uma inegável e necessária vinculação com suas origens, já que não têm existência para além dos campos disciplinares dos ET e dos EI.


Palavras-chave


Tradução; Interpretação; Língua de Sinais; Estudos da Tradução; Estudos da Interpretação

Texto completo:

PDF/A

Referências


BAKER, M. (Org.) Routledge Encyclopedia of Translation Studies. Londres e Nova York: Routledge, 1998.

BAKER, M., SALDANHA, G. (Eds.). Routledge Encyclopedia of Translation Studies. 2.ed. Londres: Routledge, 2009.

HOLMES, J. S. The Name and Nature of Translation Studies, 1972. In: VENUTI, L. The Translation Studies Reader. Londres: Routledge, 2000.

KOLLER, W. Übersetzen, Übersetzung und Übersetzer. Zu schwedischen Symposien über Probleme der Übersetzung, Babel, n.17, 1971.

MUNDAY, J. (Ed.). The Routledge Companion to Translation Studies. Londres, Nova York: Routledge, 2009.

PEREIRA, M. C. P. Produções Acadêmicas sobre Interpretação de Língua de Sinais: dissertações e teses como vestígios históricos. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 2, n. 26, p. 99-117, out. 2010.

PÖCHHACKER, F. The role of theory in simultaneous interpreting. In: DOLLERUP, C.; LINDEGAARD, A. (eds.). Teaching translation and interpreting: training, talent and experience. Amsterdam: Benjamins, 1992. p. 211-220.

PÖCHHACKER, F., SHLESINGER, M. The Interpreting Studies Reader. Londres: Routledge, 2002.

SANTOS, S. A. Intérpretes de língua de sinais: Um estudo sobre as identidades. Dissertação (Mestrado em Educação) – Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), 2006.

SANTOS, S. A. Tradução e interpretação de língua de sinais: deslocamentos nos processos de formação. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 2, n. 26, p. 145-164, out. 2010.

VASCONCELLOS, M. L. Tradução e Interpretação de Língua de Sinais (TILS) na Pós-Graduação: a afiliação ao campo disciplinar “Estudos da Tradução”. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 2, n. 26, p. 119-143, out. 2010.

VENUTI, L. The Translation Studies Reader. Londres: Routledge, 2000.

WILLIAMS, J.; CHESTERMAN. A. The Map: a beginner’s guide to doing research in Translation Studies, Manchester: St. Jerome Publishing, 2002.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-7968.2015v35nesp2p17



Cadernos de Tradução, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 2175-7968.