Tradução e Língua de Sinais: a modalidade gestual-visual em destaque

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2018v38n2p294

Palavras-chave:

Língua de Sinais, Modalidade, Tradução, Interpretação, Intermodal

Resumo

Os Estudos Linguísticos e os Estudos da Tradução e da Interpretação de Línguas de Sinais têm colocado em evidencia as características e efeitos da modalidade gestual-visual. Considerando isso, realizamos uma breve reflexão sobre os processos tradutórios e interpretativos que ocorrem entre uma língua gestual-visual e outra vocal-auditiva, os quais têm sido denominados de intermodais, em oposição àqueles processos que se realizam numa mesma modalidade de língua: os intramodais. Para tanto, diferenciamos a tradução, propriamente dita, da interpretação, demonstrando que, embora esses processos compartilhem diversas características, eles se distinguem operacional e cognitivamente. A partir dessa diferenciação, refletimos sobre a questão da modalidade em relação à categorização dos processos tradutórios e interpretativos intermodais e de seus impactos sobre eles. Vimos que o trabalho com a modalidade e com seus efeitos sobre o processo de tradução e de interpretação precisa ser concebido como um dos elementos que compõem a Competência Tradutória do profissional tradutor ou intérprete intermodal.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Rodrigues, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

Doutor em Linguística Aplicada (Estudos da Tradução) e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Líder e pesquisador do InterTrads – Grupo de Pesquisa em Interpretação e Tradução de Línguas de Sinais, docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução - PGET e professor da área de Estudos da Tradução e da Interpretação de Línguas de Sinais do Curso de Letras Libras EaD da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Referências

ALVES, F. and Pagura, R. The interface between written translation and simultaneous interpretation: instances of cognitive management with a special focus on the memory issue. Proceedings of the XVI World Congress of the International Federation of Translators: Ideas for a New Century. Vancouver: University of British Columbia, (2002): 73-80.

BAKER, M. and Saldanha, G. (Eds.). Routledge Encyclopedia of Translation Studies. 2.ed. Londres: Routledge, 2009.

BARROS, M. E. Elis – Escrita das Línguas de Sinais: proposta teórica e verificação prática. Thesis (Doctorate in Linguistics), 2008.

BRITO, L. F. Por uma gramática de língua de sinais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1995.

CAVALLO, P. and Reuillard, P. C. R. Estudos da Interpretação: tendências atuais da pesquisa brasileira. Letras & Letras, [S.l.], v. 32, n. 1 (2016): 353- 368. Available at: <http://www.seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/33199>. Accessed 26 jan. 2017.

GILE, D. Conference and simultaneous interpreting. Org. Baker, M. Routledge encyclopedia of translation studies. Londres; Nova York: Routledge, (1998): 40-45.

GILE, D.Translation Research versus Interpreting Research: Kinship, Differences and Prospects for Partnership. Ed. Schäffner, C. Translation Research and Interpreting Research: Traditions, Gaps and Synergies. Clevedon, Buffalo and Toronto: Multilingual Matters LTD, (2004): 10-35.

GILE, D.Conference Interpreting: historical and cognitive perspectives. Eds.

BAKER, M., Saldanha, G. Routledge Encyclopedia of Translation Studies. 2.ed. Londres: Routledge, (2009): 51-56.

HURTADO Albir, A. A aquisição da competência tradutória: aspectos teóricos e didáticos. In: Alves, F., Magalhães, C., Pagano, A. Competência em Tradução: cognição e discurso. Belo Horizonte: UFMG (2005): 19-58.

KADE, O. Kommunikationswissenschaftliche Probleme der Translation. Beihefte zur Zeitschrift Fremdsprachen II, VEB Verlag Leipzig, (1968): 3-19.

KLIMA, E., and Bellugi, U. The Rate of Speaking and Signing. Eds. Klima, E., Bellugi, U. The Signs of Language. Cambridge: Harward University Press (1979): 181-194.

LESSA-DE-OLIVEIRA, A. S. C. Libras escrita: o desafio de representar uma língua tridimensional por um sistema de escrita linear. ReVEL, v.10, n. 19 (2012). Available at: <http://www.revel.inf.br/files/4566006ab74ecff8dc54d92e9649eb86.pdf>. Accessed on: 30 de nov. 2016.

MARCUSCHI, L. A. Oralidade e Escrita. Signótica, 9 (1997): 119-145.

MCBURNEY, S. L. Pronominal reference in signed and spoken language: are grammatical categories modality-dependent? Eds. Meier, R. P., Cormier, K., Quinto-Pozos, D. Modality and structure in signed and spoken languages. Cambridge: Cambridge University Press. (2004): 329-369.

MEAD, P. Interpreting: The Lexicographers’ View. The Interpreters Newsletter. n.9 (1999): 199-209.

MEIER, R. P. Why different, why the same? Explaining effects and non-effects of modality upon linguistic structure in sign and speech. Eds. Meier, R. P., Cormier, K., Quinto-Pozos, D. Modality and structure in signed and spoken languages. Cambridge: Cambridge University Press (2004): 1-25.

NICODEMUS, B. and Emmorey, K. Direction asymmetries in spoken and signed language interpreting. Bilingualism: Language and Cognition, 16.3 (2013): 624-636. Available at: <http://vl2.gallaudet.edu/research/center-papers/nicodemus-emmorey-2013/>. Accessed on: 10 jan. 2017.

PADDEN, C. A. Simultaneous Interpreting across modalities. Interpreting. n.5, v.2 (2000): 169-185.

PAGURA, R. J. A Interpretação de Conferências: interfaces com a tradução escrita e implicações para a formação de intérpretes e tradutores. DELTA, v.19 (2003): 209-236. Available at: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502003000300013&lng=en&nrm=iso>. Accessed on: 20 mar. 2017.

PAGURA, R. J. Tradução & Interpretação. Eds. Amorim, L. M., Rodrigues, C. C., Stupiello, E. N. A. Tradução &: perspectivas teóricas e práticas. São Paulo: Unesp Digital (2015): 183-207.

PINHEIRO de Souza, J. Teorias da tradução: uma visão integrada. Revista de Letras. v.1, n.20 (1998): 51-67.

PIRES Pereira, M. C. Reflexões sobre a tipologia da interpretação de línguas de sinais. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2 (2015): 46- 77. Available at: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p46>. Accessed on: 13 jan. 2017.

PÖCHHACKER, F. Introducing interpreting studies. London: Routledge, 2004.

PÖCHHACKER, F. Issues in Interpreting Studies. Ed. Munday, J. The Routledge Companion to Translation Studies. London: Routledge, (2009): 128-140.

PÖCHHACKER, F., Shlesinger, M. (Ed.) The interpreting studies reader. London and New York: Routledge, 2002.

QUADROS, R. M. Efeitos de Modalidade de Língua: as Línguas de Sinais. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v.7, n.2 (2006): 168-178. Available at: <http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/801>. Accessed on: 15 dez. 2016.

QUADROS, R. M. and Karnopp, L. B. Língua de Sinais Brasileira: estudos lingüísticos. Porto Alegre: ARTMED, 2004.

QUADROS, R. M.; Souza, S. X. Aspectos da tradução/ encenação na língua de sinais brasileira para um ambiente virtual de ensino: práticas tradutórias do curso de Letras Libras. Quadros, R. M. (Org.). Estudos Surdos III. Petrópolis: Editora Arara Azul, v. III (2008): 170-209.

RODRIGUES, C. H. A interpretação para a Língua de Sinais Brasileira: efeitos de modalidade e processos inferenciais. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

RODRIGUES, C. H. and Beer, H. Os estudos da tradução e da interpretação de línguas de sinais: novo campo disciplinar emergente? Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2 (2015): 17-45. Available at: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p17>. Accessed on: 26 abr. 2017.

SCHLEDER Rigo, N. Tradução de libras para português de textos acadêmicos: considerações sobre a prática. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2 (2015): 458-478. Available at: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p458>. Accessed on: 18 set. 2016.

SEGALA, R. R. and Quadros, R. M. Tradução intermodal, intersemiótica e interlinguística de textos escritos em Português para a Libras oral. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2 (2015): 354-386. Available at: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p354 >. Accessed on: 13 out. 2016.

VENUTI, L. (ed.) The translation studies reader. London and New York: Routledge, 2000.

WURM, S. Translation across Modalities: The Practice of Translating Written Text into Recorded Signed Language. An Ethnographic Case Study. PhD Thesis (Doctor of Philosophy) - Heriot-Watt University, Department of Languages and Intercultural Studies, 2010.

Publicado

2018-05-11