O Mercado de Trabalho de Tradutores e de Intérpretes de Libras-português: uma revisão de publicações recentes - Versão Sintética em Libras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2022.e89768

Palavras-chave:

Mercado de trabalho, Interpretação, Tradução, Libras

Resumo

Neste artigo, apresenta-se uma revisão sistemática que identificou artigos, dissertações e teses brasileiras que tinham como tema principal: o mercado de trabalho de tradutores e/ou de intérpretes de Libras-
-português. A pesquisa adota uma abordagem quanti-qualitativa e os dados
foram analisados com base no método Reporting Items for Systematic
Reviews and Meta-Analyis (PRISMA). A busca foi realizada por meio
dos descritores “tradutor de Libras”, “tradução de Libras”, “intérprete
de Libras” e “interpretação de Libras” em quatro plataformas de busca:
Capes, SciELO Bitra e BDTD. Após a adoção de todos os critérios de exclusão, foram selecionados nove trabalhos que abordam a temática investigada, porém, de forma tangencial e não específica. A análise foi realizada
conforme os seguintes critérios: temática recorrente, ano de publicação e
região geográfica do estudo. Os resultados apontam a predominância de
três temáticas: trajetória de consolidação da carreira profissional; perfil
profissional; e atribuições e condições de trabalho. Indicam, também, que
no ano de 2015 encontra-se a maior quantidade de publicações e que os
estudos se concentram, predominantemente, nas regiões Sul e Sudeste.
Concluiu-se que há uma lacuna de abordagem da temática, a qual precisa ser preenchida em favor de um melhor conhecimento do mercado de
trabalho e de direcionamentos em prol da formação de tais profissionais.

Referências

Bardin, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. 4. ed. Lisboa: Lisboa Edições 70, 2007.

Brasil. Decreto 5626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília-DF. 23/09/2010. Seção 1: 28-30.

Brasil. Lei 12.319, de 01 de setembro de 2010. Regulamenta a profissão de Tradutor e Intérprete da Língua Brasileira de Sinais - Libras. Diário Oficial da União, Poder Legislativo, Brasília-DF. 02/09/2010. Seção 1: 1.

Dean, R. K. e Pollard Jr, R. Q. “Application demand-control theory to sign language interpreting: implications for stress and interpreter training”. Journal of Deaf Studies and Deaf Education, 6: 1 (2001): não paginado. Portal da University of Rochester School of Medicine, NY., 17/06/2020. DOI:10.1093/SURDO/6.1.1 Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/6535/88a7436e1808d118759a45b5caf793890b8e.pdf?_ga=2.244317957.1490731828.1592329942-526624097.1592329942.

Gil, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

Gondim, Sônia Maria Guedes. “Perfil profissional e mercado de trabalho: relação com a formação acadêmica pela perspectiva de estudantes universitários”. Estudos da Psicologia, 7. 2. jul./dez. (2002): 299-309. Portal da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. 18/10/2021. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=26170211.

Libâneo, José Carlos. Adeus professor, adeus professora? novas exigências educacionais e profissão docente. São Paulo: Cortez, 1998.

Martins, V. R. de O. Posição-Mestre: desdobramentos foucautianos sobre a relação de ensino do intérprete de língua de sinais educacional. 2013. 256 f. Tese (Doutorado em Educação) Universidade Estadual de Campinas, Campinas-SP, 2013.

Martins, V. R de O. e Nascimento, V. “Da formação comunitária à formação universitária (e vice e versa): novo perfil dos tradutores e intérpretes de língua de sinais no contexto brasileiro”. Cadernos de Tradução. 35. 2 jul a dez. (2015): 78-112. Portal de Periódicos da UFSC. 18/10/2021. DOI:10.5007/2175-7968.2015v35nesp2p78. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/285638999_Da_formacao_comunitaria_a_formacao_universitaria_e_vice_e_versa_novo_perfil_dos_tradutores_e_interpretes_de_lingua_de_sinais_no_contexto_brasileiro.

Nogueira, T. C. Intérpretes de Libras-português no contexto de conferência: uma descrição do trabalho em equipe e as formas de apoio na cabine. 2016. 213 f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Tradução)  Base de Dados da Universidade Federal de Santa Catarina, 2016.

Nóvoa, Antônio. Os professores e a sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1992. Lisboa.

Pöchhacker, F e Queiroz, M. “Conexões fundamentais: afinidade e convergência nos estudos da interpretação”. Scientia Traductionis, 7 (2010): 61-75. Base de Dados da Universidade de Coimbra. 20/10/2021. Disponível em: https://digitalis.uc.pt/pt-pt/artigo/conex%C3%B5es_fundamentais_afinidade_e_converg%C3%AAncia_nos_estudos_da_interpreta%C3%A7%C3%A3o.

Quadros, Ronice Müller de. O tradutor e intérprete de Língua Brasileira de Sinais e Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEESP, 2004.

Rodrigues, Carlos Henrique e Beer, Hanna. “Os estudos da tradução e da interpretação de línguas de sinais: novo campo disciplinar emergente? Cadernos de Tradução 35 (2015): 17-45. Portal de Periódicos da UFSC. 19/07/2021. DOI:10.5007/2175-7968.2015v35nesp2p17. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/285639160_Os_estudos_da_traducao_e_da_interpretacao_de_linguas_de_sinais_novo_campo_disciplinar_emergente.

Publicado

2022-06-30

Edição

Seção

Artigos