Informação, Verdade e Pós-Verdade: uma crítica pragmaticista na Ciência da Informação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2020.e65505

Palavras-chave:

Informação, Pragmatismo Peirceano, Verdade, Ciência da Informação, Semiose

Resumo

Objetivo: O artigo procura destacar os critérios de verdade contidos nos processos informacionais, tanto os científicos os que circulam nas representações dos fatos na sociedade, e manter a Ciência da Informação (CI), como provedora da comprovação verdadeira da realidade. Dada a disseminação de conteúdos nas redes que fazem parte da internet e são chamados informação sem a devida correlação com os fatos, deve-se elencar elementos dentro do campo científico para entender estes conteúdos, que tendem a ser aceitos como verdadeiros sem esta comprovação.

Método: A atuação dos usuários em rede de computadores noticiado como informação, assim como a abordagem na CI da difusão de conhecimento dentro da sociedade, tem na revisão bibliográfica a revisão da fundamentação do Pragmatismo Peirceano para utilização do Método Pragmático como possibilidade de instrumento da CI.

Resultado: A divulgação de conhecimento científico determinado verdadeiro é o paradigma contido na CI, que deve ser estendido para as relações informacionais divulgadas para a sociedade. O conceito de informação implica nas maneiras de comunicação. Esta inter-relação da informação e seu caráter epistemológico estão implícitos no processo de significação. A inter-relação entre mensagem e informação é parte fundamental da semiose verdadeira. A produção de inferência que produz conhecimento para o sujeito, mediada pelo signo, implica em informação.

Conclusões: Cabe à CI promover o método científico de fixação da verdade, e aqui é considerada a proposta Pragmatista como aquela que dá conta de tratar tanto a verdade científica quanto a verdade dos fatos.

Biografia do Autor

Sonia Cristina Bocardi Moraes, unesp- universidade do estado de são paulo

Doutoranda em Ciencia da Informação, Mestre em Filosofia pela UNESP, Arquiteta e Urbanista -PUC Campinas, Docente do curso de Arquitetura e Urbanismo na UNIMAR Universidade de Marilia

Carlos Candido Almeida, unesp- universidade do estado de são paulo

Docente do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista, campus de Marília, com atuação nos cursos de Graduação em Arquivologia e Biblioteconomia e no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - UNESP.

Referências

ASCHER, F. Os novos princípios do urbanismo. São Paulo: Romano Guerra, 2010.

BIRD, O. Peirce's theory of methodology. Philosophy of Science, v. 26, n. 3, p. 187-200, 1959. Disponível em: http://www.journals.uchicago.edu/t-and-c. Acesso em: 05 ago. 2018.

BORKO, H. Information Science: what is it? American Documentation, v. 19, n. 1, p. 3-5, Jan. 1968. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/mod/resource/view.php?id=1329191. Acesso em: 9 maio 2018. Tradução Livre.

BUCCI, E. Pós-política e corrosão da verdade. Revista USP, São Paulo, n. 116, p. 19-30, jan./mar. 2018. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/146574/140220. Acesso em: 20 out. 2018.

BUCKLAND, M. Information is thing. Journal of the American Society for Information Science, v. 42, p. 351-360, 1991. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2532319/mod_resource/content/1/Informa%C3%A7%C3%A3oComoCoisa.pdf. Acesso em: 02 ago. 2018. Tradução livre de Luciane Artêncio.

CAPURRO, R.; HJORLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 12, n. 1, p. 148-207, jan./abr. 2007. Tradução de: Ana Maria Pereira Cardoso; Maria da Glória Achtschin Ferreira; Marco Antônio de Azevedo. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/54. Acesso em: 06 abr. 2018.

CAPURRO, R. Past, present, and future of the concept of information. Creative Commons License, v. 7, n. 2, p. 125-141, 2009. Disponível em: http://www.capurro.de/infoconcept.pdf. Acesso em: 29 out. 2018.

CHAPMAN, M. Fake news, echo chambers and filter bubbles: what you need to know. Better Internet for Kids. Disponível em: https://www.betterinternetforkids.eu/web/portal/practice/awareness/detail?articleId=1990814. 2017. Acesso: 27 out. 2018.

COLAPIETRO, V. M. Peirce’s approach to the self: a semiotic perspective on human subjectivity. New York: State University of N.Y. Press, 1989.

ENGLISH OXFORD LIVING DICTIONARIES. Big Data. 201?. Disponível em: https://en.oxforddictionaries.com/definition/big_data. Acesso em: 29 out. 2018.

FACEBOOK chega a 2,13 bilhões de usuários em todo o mundo. Disponível em: https://link.estadao.com.br/noticias/empresas,facebook-chega-a-2-13-bilhoes-de-usuarios-em-todo-o-mundo,70002173062. Acesso em: 29 out. 2018.

FERREIRA, A. B. de H. Verdade. In: FERREIRA, A. B. de H. Miniaurélio Século XXI Escolar: o minidicionário da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001. p. 707.

GENESINI, S. A pós-verdade é uma notícia falsa. Revista USP, São Paulo, v. 1, n. 116, p. 45-58, jan./mar. 2018. Disponível em: https://jornal.usp.br/wp-content/uploads/5-Silvio-Genesini.pdf. Acesso em: 29 out. 2018.

HARVEY, D. 17 Contradições e o Fim do Capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2016.

HJORLAND, B. Principia Informatica: Foundational Theory of Information and Principles of Information Services. Digital Library of Information Science & Technology, Tucson, p. 109-121. 2002. Disponível em: https://repository.arizona.edu/handle/10150/105735. Acesso em: 06 abr. 2018.

HJORLAND, B.; ALBRECHTSEN, H. Toward a new horizon in information science: Domain-analysis. Journal of the American Society for Information Science, v. 46, n. 6, p. 400-425, jul. 1995. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/%28SICI%291097-4571%28199507%2946%3A6%3C400%3A%3AAID-ASI2%3E3.0.CO%3B2-Y. Acesso em: 06 abr. 2018.

HOUSER, N .Peirce’s Contrite Fallibilism, In: Semiotics and Philosophy in Charles Sanders Peirce. New Castle: Cambridge Scholar Press, p. 1-21, 2006. Disponível em: https://www.academia.edu/people/search?utf8=%E2%9C%93&q=PEIRCE%E2%80%99S+CONTRITE+FALLIBILISM+. Acesso em: 06 abr. 2018.

KOFMAN, A. Bruno Latour, the Post-Truth Philosopher, Mounts a Defense of Science. Disponível em: https://www.nytimes.com/2018/10/25/magazine/bruno-latour-post-truth-philosopher-science.html?fbclid=IwAR3IPNBhQzRGjAXIuyKFW1tGada4ybEF7KfqgHzADG0mmuVXRIRPLMtTGdQ. Acesso em: 25 out. 2018.

KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. 7. ed. São Paulo: Perspectiva, 2003.

NEHMY, R. M. Q. et al. A Ciência da Informação como disciplina científica. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 9-25, jan./jun. 1996. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/239/26. Acesso em: 16 jun. 2018.

NEWSWHIP. The Rise of Hyper-Political Publishers. 2017. Disponível em: https://www.newswhip.com/wp-content/uploads/2017/05/The-Rise-Of-Hyper-Political-Publishers.pdf. Acesso em: 25 out. 2018.

PEIRCE, C. S. Collected Papers of Charles Sanders Peirce. Ed. Hartshorne, Charles; Weiss, Paul; Burks, Arthur. Cambridge, MA: Harvard University Press, 1931-1958. 8 v. (Quarta reimpressão, 1974).

PHILBECK, I. Connecting the unconnected: Working together to achieve Connect 2020 Agenda Targets. In: Special session of the Broadband Commission and the World Economic Forum at Davos Annual Meeting. Davos, 2017. Disponível em: https://www.broadbandcommission.org/Documents/ITU_discussion-paper_Davos2017.pdf. Acesso em: 29 out. 2018

PINHEIRO, L. V. R. Campo Interdisciplinar da Ciência da Informação: fronteiras remotas e recentes. In: PINHEIRO, L. V. R. (Org.). Ciência da Informação, Ciências Sociais e Interdisciplinaridade. Brasília ; Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência da Informação, 1999. Cap. 9. p. 155-182.

SANTAELLA, L. A Pós-verdade é verdadeira ou falsa?. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2018.

SANTOS, B. S. O que são os Iluminismos?. 2018. Disponível em: http://alice.ces.uc.pt/en/index.php/opinion/boaventura-de-sousa-santos-o-que-sao-os-iluminismos-jornal-de-letras-1254/. Acesso em: 29 out. 2018.

SANTOS, M. A urbanização brasileira. São Paulo: Hucitec, 1993.

SARACEVIC, T. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-62, jan./jun. 1996. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/235/22. Acesso em: 06 abr. 2018.

SARACEVIC, T. Educação em ciência da informação na década de 1980. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 3-12, dez. 1978. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/120. Acesso em: 06 abr. 2018.

SARACEVIC, T. Information Science. Journal of the American Society for Information Science, Hoboken, p. 1051-1063, out. 1999. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.1002/%28SICI%291097-4571%281999%2950%3A12%3C1051%3A%3AAID-ASI2%3E3.0.CO%3B2-Z. Acesso em: 06 abr. 2018.

SARACEVIC, T. Introduction to information science. New York: Bowker, 1970.

TWITTER tem pior crescimento em número de usuários. Disponível em: https://forbes.uol.com.br/negocios/2018/08/twitter-tem-pior-crescimento-em-numero-de-usuarios/. Acesso em: 29 out. 2018.

SILVEIRA, L. F. B. Curso de semiótica geral. São Paulo: Quartier Latin, 2007.

TRUMP anuncia saída dos EUA do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas. 2017. Disponível em: https://g1.globo.com/natureza/noticia/trump-anuncia-saida-dos-eua-do-acordo-de-paris-sobre-mudancas-climaticas.ghtml. Acesso em: 25 out. 2018.

WHATSAPP atinge marca de 1 bilhão de usuários ativos por dia. 2017. Disponível em: https://g1.globo.com/tecnologia/noticia/whatsapp-atinge-marca-de-1-bilhao-de-usuarios-ativos-por-dia.ghtml. Acesso em: 29 out. 2018.

Publicado

2020-01-03

Edição

Seção

Artigo