O desenvolvimento histórico da escala Fahrenheit e o imaginário de professores e de estudantes de Física

Alexandre Medeiros

Resumo


No presente trabalho mostra-se o desencontro entre a complexa história do desenvolvimento da escala Fahrenheit e o pouco caso que dela fazem livros textos, professores e estudantes de Física. Inicialmente, foi feito um apanhado dos posicionamentos de vários livros textos de Física, dirigidos ao ensino médio. Um levantamento da opinião de um conjunto de professores de Física do ensino médio e de estudantes de licenciatura em Física foi feito através de uma série de entrevistas semi-estruturadas que buscavam mapear suas compreensões a respeito da utilidade da escala Fahrenheit e da razão de ser dos valores 32 e 212, nela assinalados respectivamente para os pontos de fusão do gelo e de ebulição da água. Os resultados das nossas análises revelam um enorme desconhecimento histórico aliado a uma capacidade de engendrar ou simplesmente reproduzir, versões pseudohistóricas que pareçam plausíveis. Mostramos, ainda, que uma análise histórica mais acurada do desenvolvimento da escala Fahrenheit pode ser bastante instrutiva no que diz respeito à compreensão do que vem a ser uma pesquisa histórica. Em particular, a necessidade de reconstruções racionais e os papéis atribuídos aos contextos da descoberta e da justificativa são claramente ressaltados nesta investigação.

Palavras-chave


Fahrenheit; História da Física; History of Physics

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5007/%25x

 


Cad. Bras. Ens. Fís. UFSC, Florianópolis, SC, Brasil - - - eISSN 2175-7941 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons
> > > > >