Dificuldades semióticas na construção de gráficos cartesianos em cinemática

Autores

  • Paulo Sérgio de Camargo Filho Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Educação Matemática – UEL Departamento de Física – UEL Londrina – PR
  • Carlos Eduardo Laburu Departamento de Física – UEL Londrina – PR
  • Marcelo Alves de Barros Instituto de Física de São Carlos – USP São Carlos – SP

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2011v28n3p546

Palavras-chave:

Ensino de Física, Gráficos Cartesianos, Representação Semiótica, Graduação em Física

Resumo

Este trabalho relata um quadro teórico de análise para a investigação do desempenho de estudantes na produção manual de gráficos cartesianos a partir de tabelas, combinando a perspectiva dos registros de representação semiótica de Raymond Duval e os níveis de processamento da informação gráfica de Postigo e Pozo. Com base no referencial analítico, um estudo de caso foi realizado, considerando para tal fim as produções escritas e entrevistas complementares de estudantes de licenciatura e bacharelado em Física. A análise se deu por etapas de produção do gráfico cartesiano, que foram divididas em três grupos de ações associadas às atividades cognitivas semióticas respectivas a cada uma delas. Os resultados permitiram classificar de uma maneira inovadora o domínio semiótico da representação gráfica dos estudantes com um grau de refinamento analítico superior aos propostos pelos últimos autores.

Downloads

Publicado

2011-01-01

Edição

Seção

Pesquisa em Ensino de Física