Determinação de sacarose no xarope artificial de groselha por medidas de viscosidade: uma abordagem interdisciplinar

Autores

  • Marco Aurélio Alvarenga Monteiro UNESP - Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"/Departamento de Física e Química, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá
  • Ednilson Luiz Silva Vaz UNESP - Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"/Departamento de Física e Química, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá
  • Matheus de Moura Sampaio Colégio Técnico de Lorena
  • Eduardo Norberto Codaro UNESP - Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"/Departamento de Física e Química, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá
  • Heloisa Andréa Acciari UNESP - Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"/Departamento de Física e Química, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2013v30n3p566

Palavras-chave:

Viscosidade, Sacarose, Interdisciplinaridade

Resumo

Os Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio propõem que o desenvolvimento curricular se estabeleça a partir de uma lógica na qual as disciplinas estejam integradas e articuladas de modo a favorecer a interdisciplinaridade. Contudo, são poucas as atividades de caráter didático-pedagógicas que possibilitam aos professores, na prática, a concretizarem esse objetivo. Neste trabalho, propõe-se uma atividade experimental para ser desenvolvida com alunos do Ensino Médio, abordando o conceito de viscosidade a partir de uma perspectiva interdisciplinar entre as disciplinas de Física e Química. Para tal fim, os tempos de escoamento de soluções de sacarose de diferentes concentrações serão medidos em um copo Ford e os dados obtidos serão usados para a construção de uma curva de calibração, que será usada para medir a concentração de sacarose no xarope artificial.

Biografia do Autor

Marco Aurélio Alvarenga Monteiro, UNESP - Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"/Departamento de Física e Química, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá

Possui graduação em Licenciatura Plena Em Física pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1994), mestrado em Educação para a Ciência (Conceito Capes 5) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2002) e doutorado em Educação para a Ciência (Conceito Capes 5) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2006). Atualmente é professor assistente doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência - UNESP/Bauru (Conceito Capes 5). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Métodos e Técnicas de Ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de física, formação de professores, divulgação científica, discurso docente e novas tecnologias.

Ednilson Luiz Silva Vaz, UNESP - Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"/Departamento de Física e Química, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá

Graduado em Física, voltando sua formação à área de corrosão, físico-química e de ensino em ciências. Técnico em Mecânica Industrial.

Matheus de Moura Sampaio, Colégio Técnico de Lorena

Possui curso técnico-profissionalizante pelo Colégio Técnico de Lorena (2008). Tem experiência na área de Química.

Eduardo Norberto Codaro, UNESP - Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"/Departamento de Física e Química, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá

Possui graduação em Ciencias Químicas - Universidad Nacional de La Plata (1988) e doutorado em Ciencias Químicas Orientación Fisicoquímica - pela mesma Instituição (1996). Realizou Pós-Doutorado com bolsa da FAPESP no Instituto de Química de Araraquara - UNESP (1997-1999). Foi Jovem Pesquisador da FAPESP (1999-2003) e, posteriormente, Professor Assistente Doutor da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá - UNESP até 2006. Atualmente é Professor Adjunto da mesma Instituição. Tem experiência na área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica, com ênfase em Corrosão, atuando principalmente nos seguintes temas: materiais não-ferrosos, ligas de alumínio, ligas de titânio e biomateriais ortopédicos e dentários. Também desenvolve trabalhos na área de educação média, técnica e superior, com ênfase em físico-química.

Heloisa Andréa Acciari, UNESP - Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho"/Departamento de Física e Química, Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá

Bacharelado e Licenciatura em Química (1994), pela Universidade de São Paulo, Campus de Ribeirão Preto, Mestrado (1997) e Doutorado (2001) em Química (área de concentração Físico-Química), pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho". Primeiro estágio de Pós-Doutorado (2003) no Laboratório de Biomateriais, do Departamento de Físico-Química, do Instituto de Química de Araraquara, UNESP. Segundo estágio de Pós-Doutorado (2008) no Laboratório de Biohidrometalurgia, do Departamento de Bioquímica e Tecnologia Química, do Instituto de Química de Araraquara - UNESP. Professor Assistente Doutor no Departamento de Física e Química da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá - UNESP. Experiência na aplicação de técnicas eletroquímicas ao estudo de corrosão de materiais metálicos.

Downloads

Publicado

2013-10-17

Edição

Seção

Atividades experimentais no ensino de Física