Pedagogia do corpo e construção do gênero na prática de musculação em academias

Patricia Lessa, Cassia Cristina Furlan, Julia Bellini Capelari

Resumo


 

Neste artigo apresentamos uma análise dos discursos acerca do corpo que homens e mulheres têm ao procurar a prática de musculação. Os objetivos da investigação foram analisar as relações de gênero presentes no ambiente das academias; verificar a prática da musculação como uma pedagogia de corpo que constrói modelos de feminino e de masculino e conhecer o perfil dos praticantes de musculação da academia da UEM. Justifica-se pela baixa produção acadêmica na Educação Física de estudos direcionados para a compreensão das nuances e variáveis que envolvem a musculação de academia, sendo esse um lócus privilegiado para o estudo das relações de gênero e reprodução de valores masculinos e femininos, bem como um espaço pedagógico onde se constroem representações de corpo e de gênero. Os dados encontrados indicam que as mulheres valorizam o padrão do corpo magro e entre os 30 homens pode-se afirmar que o corpo ideal é o corpo hipertrofiado, porém ambos distorcem ou mesmo fragmentam o corpo.


Palavras-chave


Educação Física. Esporte. Lazer

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2011v23n37p41



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA