O ensino do judô paralímpico: a percepção dos técnicos brasileiros

Gabriela Simone Harnisch, Jalusa Andreia Storch, Douglas Roberto Borella, Maria Luiza Tanure Alves, José Júlio Gavião de Almeida

Resumo


O objetivo do estudo foi verificar as práticas pedagógicas utilizadas por professores no ensino do judô para pessoas com deficiência visual. Para tanto, a pesquisa caracterizou-se como qualitativa descritiva, tendo como instrumento para coleta de dados um questionário aplicado à 14 professores e/ou técnicos participantes em uma das etapas do Campeonato Nacional do Judô Paralímpico. Em relação aos resultados, 11 professores afirmaram que tentam inicialmente trabalhar de forma verbal, e posteriormente, pautam-se no tato. Outros 3 professores utilizam-se somente do tato. Apenas 2 professores utilizam-se da tutoria. Assim, percebeu-se que a maior parte dos professores têm adequado suas práticas pedagógicas frente as características que seus alunos apresentam, porém, muitos avanços ainda são necessários.

 


Palavras-chave


Esporte para pessoas com deficiência; Artes marciais; Ensino; Docentes

Texto completo:

PDF/A

Referências


ALMEIDA, J. J. G; MIRANDA, T. J.; MUNSTER, M. A.; DUARTE, E. Educação Física e Esportes Adaptados à Pessoas com Deficiência Visual. In: SAMPAIO, M. W.; HADDAd, M. A. O.; COSTA FILHO, H. A.; SAIULYS, M. P. C. In: Baixa Visão e Cegueira: os caminhos para a reabilitação, a educação e a inclusão. Rio de Janeiro: Cultura Médica : Guanabara Koogan, 2010. 497-509

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: edições 70, 2011.

BRANCATTI, P. R. Atividade Motora Adaptada para pessoas deficientes visuais. In: MARQUEZINE, M. C.; ALMEIDA, M. A.; TANAKA, E. D. O. Perspectivas Multidisciplinares em Educação Especial III. Londrina: UEL, 2001.

BUENO, S. T. Motricidade e Deficiência Visual. In: MARTÍN, M. B.; BUENO, S. T. Deficiência Visual: Aspectos Psicoevolutivos e Educativos. São Paulo: Santos, 2003. p. 145-154.

CERQUEIRA, D.; GOMES, M.S.P.; ALMEIDA, J.J.G. Judô. In: WINCKLER, C. (orgs). Esporte Paralímpico. São Paulo: Atheneu, 2012. 161-168.

COBO, A. D.; RODRIGUEZ, M. G.; BUENO, S. T. Desenvolvimento cognitivo e deficiência visual. In: MARTIN, M. B.; BUENO, S. T. Deficiência visual: aspectos psicoevolutivos e educativos. São Paulo: Santos, 2003. p. 128-144.

COMITÊ OLÍMPICO BRASILEIRO - COB. Esportes: Judô. Disponível em: . Acesso em: 26/03/2015.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE JUDÔ - CBJ. Regulamento para exame e outorga de faixas e graus. 2011. Disponível em: https://docs.google.com/file/d/0B1JDeQMYqKmrY2Q2Njg4YWEtMTgzOC00MDFiLWFmYWUtMDhjNGI0MjJmNzZk/edit?hl=pt_BR, acesso em 20/07/2014.

______. Normas Gerais para Eventos Nacionais 2013. Disponível em: http://www.cbj.com.br/painel/arquivos/documentos_oficiais/113458250213normas-gerais_eventos-nacionais_2013(1).pdf. Acesso em 20/07/2014.

CONFEF – Conselho Federal de Educação Física – Disponível em: http://www.confef.org.br/extra/conteudo/default.asp?id=471, acesso em 08/06/2014.

DRIGO, A. J. et al. Artes marciais, formação profissional e escolas de ofício: Análise documental do judô brasileiro. Motricidade. v.7, n.4, out. 2011

GAMA E SILVA, Marco Aurélio da. As Perspectivas do Imaginário Social das Crianças e Jovens Praticantes de Judô na cidade do Rio de Janeiro. 1999,107 f. Dissertação (Mestrado em Educação Física) Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

GOMES, F. R. F et al. Influência da formação em Educação Física em professores de Judô. Science in Health, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 36-44, jan./abr. 2013. Disponível em: . Acesso em 15 nov. 2014.

GOMES, M. S. P., MORATO, M. P.; ALMEIDA, J. J. G. Judô paraolímpico: comparações e relexões sobre as realidades de diferentes seleções femininas. Revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP v. 9, n. 2, p. 85-109, 2011.

GONZÁLEZ, M. Z.; GUTIÉRREZ-SANTIAGO, A.; AYÁN, C. Are judokas with visual impairment training properly? Findings from an observational study. Journal of visual impairment & blindness. v. 106, n. 4, 2012. 224-234

GROSSO, F.; SANTOS, L. J. M.; DANTAS, P.; FERNANDES FILHO, J. Perfil somatotípico e composição corporal de atletas de judô brasileiros masculinos cegos e deficientes visuais. Revista Educación Física y Deportes, Buenos Aires, ano 11, n. 106, Março de 2007.

GUTIÉRREZ-SANTIAGO, A; PRIETO, I; AYÁN, C.; CANCELA, J. M. T-Pattern Detection in Judo Combat: An Approach to Training Male Judokas with Visual Impairments According to their Weight category. International Journal of Sports Science & Coaching, v. 8, n. 2, 2013. 385-394.

HARNISCH, G. S. et al. Práticas pedagógicas utilizados por professores de judô no ensino de crianças com deficiência visual. ConScientiae Saúde, São Paulo. v. 13, p. 52-55, 2014. Disponivel em: . Acesso em 30 nov. 2014.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência, 2010. Disponível em: http://loja.ibge.gov.br/censo-demografico-2010-caracteristicas-da-populac-o-e-dos-domicilios-resultados-do-universo.html. Acesso em 15/03/2013.

MESQUITA, C. W. Identificação de incidências autoritárias existentes na prática do judô e utilizadas pelo professor. Dissertação de mestrado. UFRJ. RJ. 1994.

MUNSTER, M. A. V.; ALMEIDA, J. J. G. Um olhar sobre a inclusão de pessoas com deficiência em programas de atividade motora: do espelho ao caledoscópio. In: RODRIGUES, D. Atividade Motora Adaptada: a alegria do corpo. São Paulo: Artes Médicas, 2006. 81-91

OLIVEIRA FILHO, C. W.; ALMEIDA, J. J. G. Pedagogia do Esporte: um enfoque para pessoas com deficiência visual. In: PAES, R. R.; BALBINO H. F. Pedagogia do Esporte. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005. 91-110

PEDRINELLI, V.J.; NABEIRO, M. A prática do esporte pela pessoa com deficiência na perspectiva da inclusão. In: WINCKLER, C. (orgs). Esporte Paralímpico. São Paulo: Atheneu, 2012. 21-25.

RUFFONI, R. Análise metodológica na prática do Judô. 2004. 109f. Dissertação (Mestrado em Motricidade Humana) – Pós Graduação em Motricidade Humana, Universidade Castelo Branco, Rio de Janeiro.

RUSSO, W. ; SANTOS, L. J. M. O Judô como atividade pedagógica desportiva complementar, em um processo de orientação e mobilidade para portadores de deficiência visual. Revista Educación Física y Deportes, Buenos Aires, ano 7, n. 35, Abr. 2001.

SILVA, A.; VITAL, R.; MELLO, M.T. Deficiência, incapacidades e limitações que influenciam na prática do esporte paralímpico. In: WINCKLER, C. (orgs). Esporte Paralímpico. São Paulo: Atheneu, 2012. 20-61.

THOMAS, J. R.; NELSON, J. K.; SILVERMAN, S. J. Métodos de pesquisa em atividade física. .6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.




DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8042.2018v30n55p140



R. Motriviv., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, ISSNe: 2175-8042.

Os textos publicados na Revista Motrivivência estão licenciados com uma Licença Creative Commons de atribuição não comercial compartilhar igual: CC BY-NC-SA