A guerra no prato: uma breve análise sobre o problema de abastecimento de carne verde no Rio Grande do Sul, durante a Segunda Guerra Mundial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1984-9222.2019.e67086

Palavras-chave:

Segunda Guerra Mundial, Carne, Economia

Resumo

A Era Vargas, ao longo dos anos, tem se mostrado um período bastante importante para se pesquisar a história do movimento operário e a legislação trabalhista brasileira, porém, não se pode olhar para esse período sem considerar a conjuntura externa. No período de 1939 a 1945, eclodiu a Segunda Guerra Mundial. O Brasil se manteve neutro até 1942, contudo, os reflexos desse conflito foram sentidos pelos brasileiros desde os primeiros momentos. A escassez de gêneros de primeira necessidade passou a fazer parte do cotidiano da população. A carne verde, base da alimentação da classe trabalhadora, sofreu majoração de preços; por outro lado, essa foi uma oportunidade para os criadores de gado e para os donos de frigoríficos. Desse modo, o objetivo, neste artigo, é analisar de que forma esse novo contexto foi administrado pelo governo e pelos trabalhadores. Para isso, serão utilizados um processo da Justiça do Trabalho de Porto Alegre e notícias do jornal Correio do Povo.

Biografia do Autor

Tamires Xavier Soares, Universidade Federal de Santa Maria

Atualmente é doutoranda do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Santa Maria, na linha de Cultura, Migrações e Trabalho; é professora de história da Prifeitura Municipal de Lajeado, além disso, está na ocupação de vice-diretora do GT Mundos do Trabalho, ligado a Associação Nacional de Historiadores. Concluiu, em janeiro de 2016, o mestrado em História pelo Programa de Pós-graduação em História da PUC/RS, na linha de Sociedade, Urbanização e Imigração; possui graduação em História Licenciatura pela Universidade Federal de Pelotas- UFPel. Principais áreas de interesse para pesquisa: História Social, História do Trabalho, História do Brasil.

Referências

ALCANTARA, Patrícia. Os conflitos de um conflito: processos trabalhistas ajuizados nas Juntas de Conciliação e Julgamento de Belo Horizonte durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). 2018. 155 f. (Dissertação)

Mestrado em História- Instituto de Ciências Humanas e Sociais – Instituto Multidisciplinar,

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, Rio de Janeiro, 2018.

CORSI, Francisco L. Os rumos da economia brasileira no final do Estado Novo. 1991. Dissertação (Mestrado em Economia) - Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1991. p.42.

COSTA. Hélio. Em busca da memória: comissão de fábrica, partido e sindicalismo no pós-guerra. São Paulo: Scritta, 1995.

DALMOLIN, Cátia. Em nome da Pátria: as manifestações contra o Eixo em Santa Maria, no dia 18 de agosto de

2006. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo-RS, 2006.

FACHEL, José P. As violências contra os alemães e seus descendentes, durante a Segunda Guerra Mundial, em Pelotas e São Lourenço do Sul. 2002. Tese (Doutorado em História) - Instituto de Ciências Humanas, Pontifícia

Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

FERREIRA, Jorge. Brasil, 1942 estado e sociedade contra o reich. Acervo, Rio de Janeiro, v. 30, n. 2, p. 89-109, jul./dez. 2017.

FONSECA, Pedro Cezar Dutra. Vargas: o capitalismo em construção 1906-1954. São

Paulo: Hucitec, 2014.

FORTES, Alexandre. Os impactos da Segunda Guerra Mundial e a regulação das relações de

trabalho no Brasil. Nuevos Mundos, 2014.

FORTES, Alexandre. Revendo a legislação dos sindicatos: metalúrgicos de Porto Alegre (1931-1945). In: FORTES,

Alexandre et al. Na luta por direitos. Estudos recentes em história social do trabalho.

Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

KOIFMAN, Fábio; ODA, Humberto. A declaração brasileira de guerra ao Japão. In: XXVII SIMPÓSIO

NACIONAL DE HISTÓRIA, 2013. Natal. Anais [...]. Natal: ANPUH 2013. p. 1-16.

KONRAD, Glaucia. Os trabalhadores e o Estado Novo no Rio Grande do Sul: um retrato da

sociedade e do mundo do trabalho (1937-1945). Tese (Doutorado em História) – Instituto

de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.

LEOPOLDI, Maria Antonieta. Estratégias de ação empresarial em conjunturas de mudança

política. In: PANDOLFI, Dulce. Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: FGV, 1999.

LIRA, Clarice. O Piauí em tempos de Segunda Guerra: mobilização local e as experiências do contingente

piauiense da FEB. Jundiaí, SP: Paco, 2017.

PAOLI, Maria Célia. Os trabalhadores urbanos na fala dos outros. Tempo, espaço e classe

na história operária brasileira. In: LOPES, José S. L. Cultura & Identidade Operária:

aspectos da cultura da classe trabalhadora. Rio de Janeiro: PROED; Marco Zero; Museu

Nacional, 1987.

SECRETO, María Verónica. Soldados da borracha: trabalhadores entre o sertão e a

Amazônia no governo Vargas. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2007.

SILVA, Fernando Teixeira da. A carga e a culpa: os operários das docas de Santos, direitos e cultura de solidariedade, 1937-1968. Dissertação (Mestrado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas,

Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1992.

SOARES, Tamires Xavier. Lei para todos: tensões trabalhistas entre “súditos do Eixo” e empregadores, durante a Segunda Guerra Mundial, em Pelotas. 2016. Dissertação (Mestrado em História) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

SILVA, Nauber. O "mínimo" em disputa: salário mínimo, política, alimentação e gênero na

cidade de Porto Alegre (c. 1940 - c. 1968). 2014. Tese (Doutorado em História) – Instituto de

Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

SILVEIRA, Maria. Economia culinária. Rio de Janeiro: Off Graphic Mauá, 1940.

SPERANZA, Clarice Gontarski. Cavando direitos: as leis trabalhistas e os conflitos entre os mineiros de carvão e seus patrões no Rio Grande do Sul (1940-1950). São Leopoldo-RS: Oikos, 2014.

Downloads

Publicado

2019-12-17

Edição

Seção

Dossiê 2019.1 - "Trabalhadores e Segunda Guerra Mundial"