A produção científica sobre educação de adultos em Portugal: o que nos dizem as teses de doutoramento?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2020.e66106

Palavras-chave:

Educação de adultos, Produção de conhecimento, Tese de doutoramento

Resumo

A educação de adultos apresenta-se como um domínio científico simultaneamente complexo e heterogêneo. Não possuindo uma delimitação claramente definida, constitui um campo híbrido. Ao contemplar contributos teóricos de outras ciências sociais, assume-se também como uma subdisciplina. Apesar desta circunstância, enquanto domínio do conhecimento científico, tem vindo a conquistar o seu espaço. Este artigo procura responder à seguinte questão: como se caracteriza a produção acadêmica no domínio da educação de adultos nas últimas duas décadas em Portugal, no caso particular das teses de doutoramento? Este texto tem como finalidades a descrição e a análise de teses de doutoramento apresentadas publicamente em universidades portuguesas, entre 2000 e 2018, cujos dados empíricos remetam para este país. Procura-se por esta via compreender o desenvolvimento da produção científica a partir de trabalhos que, em regra, se apoiam em discussões teóricas e empíricas robustas e denotam uma natureza inovadora do ponto de vista da produção do conhecimento. A análise de conteúdo foi a técnica de tratamento de dados selecionada. A discussão dos dados aponta para um aumento de teses, mesmo que irregular, relacionado com o protagonismo da política pública de educação de adultos em desenvolvimento desde 2000. De entre as teses analisadas, aquelas que interpretam práticas de educação de adultos e que se centram sobre os atores deste campo estão em maior número. Finalmente, os dados apontam para a importância das teses que procuram compreender fenômenos relacionados com a aprendizagem (ao longo da vida) e as competências dos adultos.

Biografia do Autor

Ágata Regiane Quissini, Instituto Federal Catarinense, Campus Camboriú, SC

Instituto Federal Catarinense - Campus Camboriú.


Referências

ANÍBAL, A. Aprender com a Vida: Aquisição de Competências de Literacia em Contexto Informais. 2014. Tese (Doutorado em Sociologia) – Instituto Universitário de Lisboa, Instituto Superior de Ciências Sociais do Trabalho e da Empresa, Lisboa, 2014.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARROS, R. Políticas para a Educação de Adultos em Portugal: A Governação Pluriescalar da ‘Nova Educação e Formação de adultos’. Braga: Universidade do Minho, 2009.

BOTO, A. P. A Mediação e a Mediatização das Políticas Educativas: o Papel da Imprensa Escrita na Iniciativa Novas Oportunidades. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2015.

CANÁRIO, R. Educação de Adultos. Um Campo, uma Problemática. Lisboa: Educa, 1999.

CANÁRIO, R. O que é a Escola? Um Olhar Sociológico. Lisboa: Educa, 2005.

CARVALHO, L. M. A Construção de Conhecimento sobre Políticas Públicas de Educação em Portugal. Um Estudo Descritivo e interpretativo das Teses de Doutoramento Realizadas na Área Científica da Educação em Universidade Portuguesas (2000-2012). Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, 2014.

COLUCCI, V. L. Impulsão para a escrita: o que Freud nos ensina sobre fazer uma tese. In: BIANCHETTI, L.; MACHADO, A. M. N. (org.). A Bússola do Escrever. Desafios e Estratégias na Orientação e Escrita de Teses e Dissertações. Florianópolis/São Paulo: Editora UFSC/Cortez Editora, 2006. p. 383-408.

CORREIA, J. A. & CARAMELO, J. Autonomias e dependências do campo da investigação educacional em Portugal. Sísifo – Revista de Ciências da Educação, n. 12, p. 27-36, 2010.

ECO, U. Como se Faz uma Tese. São Paulo: Perspectiva, 1977.

FEJES, A.; NYLANDER, E. How pluralistic is the research field of adult education? Dominating bibliometrical trends, 2005-2012. RELA - European Journal for Research on the Education and Learning of Adults, v. 6, n. 2, p. 103-123, 2015. Disponível em: http://twixar.me/Wq8n. Acesso em: 01 abr. 2019.

FEJES, A. & NYLANDER, E. Mapping out the Research Field of Adult Education and Learning. Suiça: Springer, 2019.

FOLEY, G. Dimensions of Adult Learning. Adult Education and Learning in a Global Era. Crows Nest, New South Wales: Allen & Unwin, 2004.

KAPPLINGER, B. Adult education research between field and rizhome - a bibliometrical analysis of conference programs of ESREA. RELA - European Journal for Research on the Education and Learning of Adults, v. 6, n. 2, p. 139-157, 2015. Disponível em: http://twixar.me/hq8n. Acesso em: 01 abr. 2019.

LARSSON, S. Invisible colleges in adult education research world. RELA – European Journal for Research on the Education and Learning of Adults, v. 1, n. 1-2, p. 97-112, 2010. Disponível em: http://twixar.me/1q8n. Acesso em: 01 abr. 2019.

RODRIGUES, S. I. P. Formação e Exercício do Trabalho: Práticas e Lógicas de Formação profissional Contínua numa Grande Empresa. 2016. Tese (Doutorado em Educação) – Instituto de Educação, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2016.

RUBENSON, K.; ELFERT, M. Adult education research: exploring an increasingly fragmented map. RELA - European Journal for Research on the Education and Learning of Adults, v. 6, n. 2, p. 125-138, 2015. Disponível em: http://twixar.me/Dq8n. Acesso em: 01 abr. 2019.

SALLING OLESEN, H. Lifelong learning – a political agenda! Also a research agenda? In: 8ª CONFERÊNCIA “ADULTS LEARNING MATHEMATICS”, 8. 2001, Roskilde (Dinamarca). Roskilde: [s.n.], 2001 Disponível em: http://twixar.me/lq8n. Acesso em: 30 out. 2017).

SAVA, S.; NOVOTNY, P. Researches in Adult Learning and Education: the European Dimension. Florença: Firenze University Press, 2016.

LIMA, L. C. Aprender para Ganhar, Conhecer para Competir. Sobre a Subordinação da Educação na “Sociedade da Aprendizagem”. São Paulo: Cortez Editora, 2012.

LOUREIRO, A. “Novos” territórios e agentes educativos em sociologia da educação: o caso da educação de adultos. Revista Lusófona de Educação, v. 20, n. 20, p. 123-139, 2012. Disponível em: http://twixar.me/vq8n. Acesso em: 01 abr. 2019.

CALHA, A. Entre Brobdingnag e Lilliput: a Apresentação de Si na Narrativa Autobiográfica Produzida nos Processos de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competência. 2014. Tese (Doutorado em Sociologia) – Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2014.

FORRETA, M. F. Pode Alguém Ser Quem não é? Percursos de Transição para a Vida Adulta de Indivíduos Classificados na Categoria Deficiência Intelectual. 2018. Tese (Doutorado em Educação) – Instituto de Educação, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2018.

LOUREIRO, A. O Trabalho, o Conhecimento, os Saberes e as Aprendizagens dos Técnicos de Educação de Adultos Numa ONGDL. Contribuições etnográficas para uma renovação da Sociologia da Educação. 2006. Tese (Doutorado em Educação) – Departamento de Educação e Psicologia, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Vila Real, 2006.

UIL. UNESCO Institute of Lifelong Learning. Global Report on Adult Learning and Education. Hamburgo: UNESCO, 2009.

Downloads

Publicado

2020-03-27

Edição

Seção

Dossiê Pesquisas sobre produção acadêmica em educação de jovens e adultos