Democratização e uso das tecnologias digitais nas escolas do campo: um estudo de caso

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2020.e63059

Palavras-chave:

Educação do campo, Escolas rurais, Ensino e aprendizagem

Resumo

Este artigo, fruto de um recorte de dissertação de mestrado defendida em 2019, tem como objetivo investigar como os educandos das escolas do campo compreendem as tecnologias digitais de informação e comunicação no espaço escolar, de forma que a tecnologia aproxima a prática educativa e os contextos do campo. Para tanto, esta pesquisa é um estudo de caso, em que se aplicou questionários para educandos de nove escolas do campo do Ensino Fundamental e Médio da 8ª Coordenadoria Regional de Educação, identificando e categorizando o uso das tecnologias, bem como analisando a concepção e a compreensão dos educandos em relação à existência e à utilização das tecnologias digitais. Notou-se que os educandos têm consciência do quanto são importantes as tecnologias aliadas ao ensino e à aprendizagem. Entretanto há vários fatores que comprometem os avanços das tecnologias nessas escolas do campo, como: sinal da internet fraco ou inexistente, computadores sucateados e com falta de manutenção, educadores despreparados e ausência de ambiente adequado. Esses são alguns percalços no caminho da democratização das tecnologias digitais no contexto escolar, principalmente nas escolas do campo, escopo desta pesquisa.

Biografia do Autor

Cíntia Moralles Camillo, Universidade Federal de Santa Maria, UFSM

Mestra em Tecnologias Educacionais em Rede pela Universidade Federal de Santa Maria, UFSM

 

Liziany Muller, Universidade Federal de Santa Maria/UFSM

Professora Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural/CCR da Universidade Federal de Santa Maria/UFSM

Doutorado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria/UFSM

Referências

AALBACH, Juliana. Os usos que os jovens fazem da Internet: Relações com a escola. Revista Eletrônica de Educação, v. 8, n. 2, p. 138-159, 2014.

ARROYO, Miguel. Outros Sujeitos, Outras Pedagogias. 2. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

ARROYO, Miguel et al. Por uma Educação do Campo. Editora Vozes, 5° ed., 6ª reimpressão, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e da Cultura. Lei n°9394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN). Brasília: DF: 1996.

CAMILLO, Cíntia. Análise comparativa da frequência das palavras por meio da linguística de corpus e da linguística computacional. Texto Livre, v. 7, p. 1, 2018.

CAMILLO, Cíntia; SEVERO, Jeronimo; MEDEIROS, Liziany. Análise da Tendência do uso das TDICs no Brasil. Anais 7º Fórum Internacional Ecoinovar. 2018.

CAMILLO, Cíntia. Metodologias ativas no Ensino de Ciências: Fanzines com o uso do Software Gimp. Texto Livre, v. 7, p. 1, 2018.

CAMILLO, Cíntia; MULLER, Liziany. Educomunicação e as práticas de extensão na Educação do Campo em Assentamentos Rurais. Revista Brasileira de Tecnologias Sociais, v. 5, p. 100, 2018.

CAMILLO, Cíntia; MULLER, Liziany. Potencialidades e desafios do Moodle na Pedagogia da Alternância. Congresso Interinstitucional Brasileiro de Educação Popular e do Campo - CIBEPOC, v. V1, p. 1-354, 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/20073-pnad-continua-tic-2016-94-2-das-pessoas-que-utilizaram-a-internet-o-fizeram-para-trocar-mensagens. Acesso em: 06 de dezembro de 2018.

INEP MEC. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Notas Estatísticas – Censo Escolar 2017. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/censo_escolar/notas_estatisticas/2017/notas_estatisticas_censo_escolar_da_educacao_basica_2016.pdf. Acesso em: 17 de maio de 2018.

GROSSI, M. G.; GONÇALVES, C. F.; TUFY, S. P. Um panorama das tecnologias digitais da informação e comunicação na educação: desafios, habilidades e incentivos estatais. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 32, n. 2, 645-665, maio/ago. 2014.

KENSKI, Vânia. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 8. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

LEITE, Bruno. Tecnologias no ensino de química: teoria e prática na formação docente. Curitiba: Appris, 2015.

LOPES, Ana Helena; MONTEIRO, Maria; MILL, Daniel. Tecnologias Digitais no contexto escolar: Um estudo bibliométrico sobre seus usos, suas potencialidades e fragilidades. Revista Eletrônica de Educação, v. 8, n. 2, p. 30-43, 2014.

LWANGA, Stephen.; LEMESHOW, Stanley. Sample size determination in health studies:a practical manual. Geneva, World Health Organization, 1991.

MARCONI, Maria; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica. 7º ed. São Paulo: Atlas, 2011.

MUNARIM, Ibraim. As tecnologias digitais nas escolas do campo: contextos, desafios e possibilidades. 2014. Tese de doutorado. Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação. Florianópolis, SC.

NETO, Danilo Piccoli; DA SILVA, Silvio Domingues Mendes. Ensino e Utilização das categorias geográficas de território e paisagem para a licenciatura em educação do campo na área da ciência da natureza e humana. PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 36, n. 4, p. 1169-1185, out./dez. 2018.

PEREIRA, Júlio Cesar. Análise de dados qualitativos: estratégias metodológicas para as ciências da saúde. humanas e sociais, 3' edição, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, BOAVENTURA DE SOUSA; MENESES, MARIA PAULA (Org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010. p. 84–130.

Downloads

Publicado

2020-10-28