Hackear a educação por dentro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-795X.2021.e73348

Resumo

O artigo analisa as características do contemporâneo a partir do surgimento da cultura digital, em função do intenso desenvolvimento científico e tecnológico, com ênfase nas chamadas tecnologias digitais de informação e comunicação. Partindo dessa conceituação, refletimos sobre a importância da escola e, mais especificamente, sobre as possibilidades de operar profundas transformações por dentro da própria escola. Para tal, a inspiração de nossas pesquisas está nos movimentos hackers, em sua ética, cultura e pedagogia. Os hackers têm participação ativa no seu grupo social, com intensa produção de conhecimentos, fazendo-os circular para que possam ser apropriados e aperfeiçoados por todos. Ancorados em estratégias de colaboração e compartilhamento, os processos de produção desses novos aparatos buscam responder aos diferentes desafios que emergem do cotidiano. O artigo busca compreender quais as potencialidades dessa perspectiva para a educação, admitindo-as também como alternativas para intervenções desde dentro do sistema, naquilo que estamos denominando de construção de uma escola com um jeito hacker de ser. Concluímos desenvolvendo a ideia de que precisamos de uma escola que considere a perspectiva ativista de empoderamento, autoria e produção colaborativa como base para o fortalecimento da educação pública e democrática, fundamentada num ecossistema pedagógico de aprendizagem, comunicação e produção permanente de culturas e conhecimentos. O título faz referência à urgência de encontrar formas de criar cavalos de troia que desestabilizem o sistema e tomem de assalto a escola a partir de uma proposta de (re)construção colaborativa, criativa, emancipatória e democrática.

Biografia do Autor

Carla Aragão, Universidade Federal da Bahia, UFBA

Educadora, Jornalista, Pesquisadora e Ativista. Atualmente, doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da FACED/UFBA e integrante do Grupo de Pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologias (GEC). Mestre em Desenvolvimento e Gestão Social, pelo CIAGS. Consultora da AFETO - Educação, Comunicação e Juventudes.

Karla Schuch Brunet, Universidade Federal da Bahia, UFBA

Doutora em Comunicação Audiovisual, mestre em Ates Visuais. Professora do IHAC e ProfArtes UFBA.

Nelson de Luca Pretto, Universidade Federal da Bahia

Professor Titular da Faculdade de Educação da UFBA

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Stato de Eccezione 00000. [S.l.]: Bollati Boringhieri, 2003.

AGUIAR, Vicente Macedo de. Um trabalho a troco de nada? A experiência das comunidades on-line de produção do software GNOME e da Wikipédia Lusófona, à luz da teoria da dádiva. 2017. Disponível em: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/23497. Acesso em: 1 de Dez. de 2019.

ALBAGLI, Sarita; MACIEL, Maria Lucia; ABDO, Alexandre Hannud (Orgs.). Ciência Aberta, questões abertas. Brasília/Rio de Janeiro: IBICT e UNIRIO, 2015. Disponível em: http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/1060/1/Ciencia%20aberta_questoes%20abertas_PORTUGUES_DIGITAL%20(5).pdf. Acesso em: 12 de Dez. de 2019.

BAUMAN, Zygmunt. A fluidez do “mundo líquido”. In: Milênio. Rio de Janeiro: GloboNews, 2015. Disponível em: http://g1.globo.com/globo-news/milenio/videos/v/milenio-a-fluidez-do-mundo-liquido-do-zygmunt-bauman/4661254/. Acesso em: 17 de out. de 2019.

BERNERS-LEE, T. I invented the web. Here are three things we need to change to save it, 2017. The Guardian, 2017. Disponível em: https://www.theguardian.com/technology/2017/mar/11/tim-berners-lee-web-inventor-save-internet. Acesso em: 11 nov. 2019.

BIANCHETTI, Lucídio; ZUIN, Antonio A. S.; FERRAZ, Obdália. Publique, Apareça ou pereça? produtivismo acadêmico, “pesquisa administrada” e plágios nos tempos da cultural digital. Salvador, BA: Edufba, 2018.

CASTELLS, Manuel. A Era da Informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Tradução: Carlos Alberto Medeiros: Rio de Janeiro: Z, 2013.

DELEUZE, Gilles et al. Mil Platôs - Capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34, 2000. v. 1.

GALLOWAY, Alexander R. Protocol: how control exists after decentralization. Cambridge, Mass.: MIT Press, 2004.

GERE, C. Digital Culture. London: Reaktion Books, 2002.

GNU Operating System. What is free software? Disponível em: https://www.gnu.org/philosophy/free-sw.en.html. Acesso em: 1 Dez. de 2019.

GOMES, Wilson. A Democracia no Mundo Digital: História, Problemas e Temas. Edições SESC, São Paulo: 2018.

HARAWAY, Donna. A Cyborg Manifesto. In: SPILLER, NEIL (Org.). Cyber reader: critical writings for the digital era. London; New York: Phaidon, 2002.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Empire. Cambridge, Mass.: Harvard University Press, 2000.

HIMANEN, Pekka; TORVALDS, Linus; CASTELLS, Manuel. The hacker ethic and the Spirit of the Information Age. New York: Random House Trade, 2002.

ILLICH, Ivan. Sociedade sem escolas. Trad. Lúcia Mathilde Endlich Orth. 7a. Petrópolis: Vozes, 1985.

KROLL, Luisa. Os bilionários que mais aumentaram a fortuna em 2015. Forbes, 15 de dez. de 2015. Disponível em: https://forbes.uol.com.br/listas/2015/12/os-bilionarios-que-mais-aumentaram-a-fortuna-em-2015. Acessado em: 28 de junho de 2019.

LESSIG, Lawrence. The future of ideas: the fate of the commons in a connected world. 1st. ed. New York: Random House, 2001.

LESSIG, Lawrence. Free Culture: How Big Media Uses Technology and the Law to Lock Down Culture and Control Creativity. New York: Penguin Press, 2004.

LEVY, Steven. Hackers: heroes of the computer revolution. O’Reilly Media, 2010. 430.

LEVY, Steven. Os heróis da revolução: como Steve Jobs, Steve Wosniak, Bill Gates, Mark Zuckenberg e outros mudaram para sempre nossas vidas. [s.l.]: São Paulo: Évora, 2012.

MALINI, Fábio; ANTOUN, Henrique. @ internet e # rua: ciberativismo e mobilizações nas redes sociais. Porto Alegre/RS: Sulina, 2013.

MEDOSCH, Armin. Roots Culture: Free Software Vibrations “inna Babylon”. In: Sarai, Centre for the Study of Developing Societies. (Org.) Sarai Reader 05: Bare Acts. Delhi: Sarai Programme, CSDS, 2005 . Disponível em: http://sarai.net/sarai-reader-05-bare-acts/. Acesso em: 20 jun. 2019.

MESQUITA, Ligia. Denúncias de discurso de ódio online dispararam no 2º turno das eleições, diz ONG. BBC News Brasil. 09 de nov. de 2018. Disponível em https://www.bbc.com/portuguese/brasil-46146756 . Acesso em: 01 jan. 2019.

MOROZOV, Evgeny. Big tech: A ascensão dos dados e a morte da política. Tradução Claudio Marcondes. 1 ed. São Paulo, Editora Ubu, 2018.

MOROZOV, Evgeny. El desengaño de Internet. Los mitos de la libertad en la red, [s.d.]; entre outros.

OLIVÁN, Raúl; DE ARAGÓN, Gobierno; PASCALE, Pablo; et al. Abrir instituciones desde dentro. [Hacking inside Black book]. Aragón, Espanha: LAAAB, 2018. Disponível em: http://www.laaab.es/hackinginside/. p.190.

RAVITCH, Daiane. Vida e Morte do grande sistema escolar americano: como os testes padronizados e o modelo de marcado ameaçam a educação. [S.l.]: Porto Alegre: Sulina, 2011.

Relatório Informativo Oxfam 2018. Compensem o trabalho, não a riqueza. Disponível em: https://www.oxfam.org.br/assim-nao-davos. Acesso em: 28 jun 2019.

SAFATLE, Vladimir. Só mais um esforço. São Paulo, SP: Três Estrelas, 2018.

SILVEIRA, Sergio Amadeu. Tudo sobre tod@s: Redes digitais, privacidade e venda de dados pessoais. São Paulo/SP: SESC São Paulo, 2017.

SRNICEK, Nick. Capitalismo de Plataformas. Buenos Aires, Argentina: Caja Negra Editora, 2018.

STALLMAN, Richard. Free software, free society: selected essays of Richard Stallman. Boston: GNU Press, 2002.

TEMER, Luciana. Dos Riscos que ninguém falou. Folha de São Paulo, 22 de set. de 2018, pag. A3.

The Credit Suisse Global Wealth Report 2017. Zurich, Switzerland. 14 de novembro 2017. Disponível em: https://static.poder360.com.br/2017/11/global-wealth-report-2017-en.pdf. Acesso em: 28 jul. 2019.

The Economist. https://www.economist.com/briefing/2017/05/06/data-is-giving-rise-to-a-new-economy May 6th 2017. Acesso 18 jun 2019.

VÁZQUEZ PIMENTEL, Diego Alejo; MACÍAS-AYMAR, Iñigo; LAWSON, Max; et al. Reward work, not wealth: to end the inequality crisis, we must build an economy for ordinary working people, not the rich and powerful. [s.l.: s.n.], 2018.

Os 8 bilionários que têm juntos mais dinheiro que a metade mais pobre do mundo. BBC News Brasil, 2017. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-38635398. Acesso em: 28 de jun. de 2019.

Downloads

Publicado

2021-08-10

Como Citar

Aragão, C., Brunet, K. S., & Pretto, N. de L. (2021). Hackear a educação por dentro. erspectiva, 39(3), 1–17. https://doi.org/10.5007/2175-795X.2021.e73348

Edição

Seção

Dossiê Educação, Direitos Humanos e Ética Hacker