Algumas diferenças comunicativas entre o português e o inglês

Autores

  • Cristiane Roscoe-Bessa Universidade de Brasília (UnB), Brasil
  • Márcia Ney Pessoa Universidade de Brasília (UnB), Brasil
  • Izabel Cristina Brum Dias Universidade de Brasília (UnB), Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2016v36n2p91

Palavras-chave:

Diferenças Comunicativas, Inglês e Português, Tradução

Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar diferenças ou similaridades comunicativas entre o inglês e o português, a partir do pressuposto de que tal conhecimento pode ser útil na atividade do tradutor em sua tentativa de melhor traduzir os fenômenos discursivos.  Acreditamos que a conscientização de diferenças comunicativas dentro de um par linguístico pode evitar inconsistências de discurso e até mesmo desentendimentos entre falantes de línguas distintas. Constatamos que a literatura enfatiza as diferenças estruturais entre o inglês e o português, porém não as diferenças discursivas. Por isso, propomos uma identificação preliminar dessas diferenças a partir das pesquisas de House (1997), Le Berre (2008), Negrão (2001), Piccolo (2002) e Nogueira (2013) com quem dialogamos para fundamentar nosso trabalho. 

Biografia do Autor

Cristiane Roscoe-Bessa, Universidade de Brasília (UnB), Brasil

Cristiane Roscoe-Bessa possui graduação em Tradução-Inglês pela Universidade de Brasília (1988), Mestrado em Linguística Aplicada pela Universidade de Brasília (2000) e Doutorado em Linguística pela Universidade de São Paulo (2006), com pesquisa sanduíche na Universidade de Hamburgo, Alemanha, sob a orientação de Juliane House. Realizou Pesquisa de Pós-Doutorado na Faculdade de Letras da K.U. Leuven - Universidade de Leuven, Bélgica (agosto de 2010 a abril de 2011), sob a supervisão de José Lambert. É professora adjunta da Universidade de Brasília e professora do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PosTrad)-LET-IL da UnB. Tem experiência na área de Ensino de Línguas e Linguística Aplicada, com ênfase em tradução. Linha de Pesquisa - tradução de textos de caráter pragmático e estudo dos aspectos funcionais envolvidos para a criação de técnicas que auxiliem no ato tradutório. Identificação desses padrões tradutórios para discussão e descrição do fenômeno dentro de uma perspectiva teórica. Descrição do fenômeno tradução-substituição. Tradução de rótulos de produtos industrializados.

Márcia Ney Pessoa, Universidade de Brasília (UnB), Brasil

Mestranda em Estudos da Tradução, Postrad, Universidade de Brasília (UnB), Brasil

 

Izabel Cristina Brum Dias, Universidade de Brasília (UnB), Brasil

Mestranda em Estudos da Tradução, Postrad,Universidade de Brasília (UnB), Brasil

Referências

BAKER, Mona. Reframing conflict in translation. In: BAKER, Mona (Ed.). Critical readings in translation studies. New York & London: Routledge, 2010, p. 113-129.

FRED. Usos avançados e curiosos de “You”. Publicado em 20 novembro de 2013. Disponível em http://www.inglesnosupermercado.com.br/usos-avancados-e-curiosos-dos-pronomes-i-you-he-she-it-we-they/. Acesso em 13 jun. 2015.

HOUSE, Juliane. Translation quality assessment: a model revisited. Tübingen: Narr, 1997, 93 p.

IBM..COM.. Instruções para instalação nos sistemas operacionais Windows. Disponível em https://www.trusteer.com/pt-br/support/win-install-instructions. Acessos em: 15 jun. 2015 e 5 set. 2015.

KRZESZOWSKI Tomasz P. Contrasting Languages: The Scope of Contrastive Linguistics. Berlin: Mouton de Gruyter, 1990.

LE BERRE, Carla Chiappetta. Formulação de atos diretivos, em língua oral, no português do Brasil. Dissertação (Mestrado em Letras): Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2008. p. 71-72 Disponível em: http://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/11177/11177_4.PDF Acessos em: 31 mai. 2015 e 23 ago. 2015.

NEGRÃO, Esmeralda Vailati. O princípio de projeção estendida no português brasileiro. Revista Letras, n.56, Curitiba, jul/dez 2001. p.141-155

NOGUEIRA, Alessandra Sartori. Diferenças culturais percebidas por brasileiros no uso da língua inglesa no exterior e seu tratamento em livros didáticos. Belo Horizonte: Revista brasileira de linguística aplicada, vol.13, nº.1, Jan./Mar. 2013, p. 345-368. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbla/v13n1/aop1612.pdf. Acesso em 13 jun. 2015.

PICCOLO, Alexandre Prudente. (19) A alternância entre os pronomes “você” e “senhor” (2002). Disponível em: http://www.unicamp.br/iel/site/alunos/publicacoes/textos/a00005.htm. Acesso em 13 jun. 2015. p. 1-5.

REZENDE, Márcio. Caros estudantes de inglês: Aqui estão 5 coisas que você deve saber sobre a palavra “dear”. The conversation, a blog from livemocha. 14 fev. 2013. Disponível em http://livemocha.com/blog/2013/02/14/caros-estudantes-de-ingles-aqui-estao-5-coisas-que-voce-deve-saber-sobre-a-palavra-dear/?lang=pt-br. Acesso em 15 jun. 2015

ROSCOE-BESSA, Cristiane. A tradução-substituição. Brasília: Editora Centro, 2010. 107 p

Downloads

Publicado

2016-05-09