De O Paiz do Carnaval para Il Paese del Carnevale e Le Pays du Carnaval: os paratextos das traduções italiana e francesa

Autores

  • Sandra Bagno Università degli Studi di Padova

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7968.2017v37n2p17

Palavras-chave:

Paratexto, Tradução, Lexicografia italiana, O paiz do carnaval

Resumo

Recordamos neste 2017 os 90 anos da “Ata de incineração” que destruiu mais de 1600 livros de Jorge Amado, e entre eles 214 exemplares de O Paiz do Carnaval, romance cuja primeira tradução – para o italiano, como de propósito escolhido pelo escritor – apareceria somente em 1984, com uma “nota” de Luciana Stegagno Picchio. Partindo do pressuposto que, antes da publicação da primeira edição do romance (1931), o lexicógrafo italiano Panzini já rejeitara, para a Itália, as antigas alcunhas inglesas carnival land e land of carnival; este artigo visa focalizar quais interpretações foram veiculadas, além do paratexto da tradução italiana também por aquele da tradução francesa (1990), da autoria de Alice Raillard. Tradutora que, porém, se beneficiou no seu paratexto da sua célebre entrevista Conversando com Jorge Amado (1990) que abriria novos rumos à crítica amadiana internacional.

Biografia do Autor

Sandra Bagno, Università degli Studi di Padova

Possui graduação e mestrado em Lettere e Filosofia pela Universitàdegli Studi di Padova, Itália. Atualmente é professsora-associada do Dipartimento di Studi Linguistici e Letterari (DiSLL) da Università degli Studi di Padova. Pádua, Pádua, Itália. E-mail: sandra.bagno@gmail.com

Downloads

Publicado

2017-05-10

Edição

Seção

Artigos