Uso do padrão MARC em bibliotecas universitárias da região Sul do Brasil

Autores

  • Gisele Vasconcelos Diekaniak Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil
  • Jackson da Silva Medeiros Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil
  • João Paulo Borges da Silveira Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil
  • Maria Firmina Fortes Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil- membro do Grupo EDUTEC
  • Virginia Oliveira Borges Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2008v13n26p188

Palavras-chave:

Padrão MARC, Bibliotecas Universitárias, Interoperabilidade, Protocolo de comunicação Z39.50.

Resumo

Analisa a utilização do padrão MARC (MAchine Readable Cataloging record) pelas bibliotecas universitárias que compreendem a Região Sul do Brasil, bem como se propôs a identificar o uso da interoperabilidade entre elas. Para tanto, baseou-se na hipótese de que, apesar das bibliotecas, ao escolherem um padrão de metadados para descreverem seus acervos, optarem, em sua maioria, pelo padrão MARC, tais bibliotecas não têm por principal objetivo a interoperabilidade. A pesquisa considera este recurso de grande importância porque através dele é possível manter a padronização de bases de dados, realizar a catalogação cooperativa, reduzir esforços e evitar o re-trabalho. Aborda vantagens no uso de protocolos de comunicação aliados a padrões de metadados. Quanto aos resultados, a pesquisa demonstrou que o Estado pesquisado que mais utiliza o padrão MARC é o Paraná (PR), onde 68% das bibliotecas entrevistadas afirmam utilizá-lo; o Rio Grande do Sul (RS) é o Estado que menos utiliza o padrão, sendo usado por 60% das bibliotecas respondentes. Quanto ao princípio da interoperabilidade pode-se perceber que o PR utiliza este recurso em cerca de 85% das bibliotecas respondentes, seguido de Santa Catarina, que interopera através do MARC em 66% das bibliotecas respondentes. Considerando que a maioria das bibliotecas consultadas são informatizadas (usuárias de softwares gerenciadores de bibliotecas) e estes softwares possibilitarem (70% deles) a realização da catalogação via padrão MARC, as bibliotecas universitárias da Região Sul do Brasil ainda realizam a interoperabilidade de maneira tímida; Como sugestão para amenizar esta baixa utilização e baixo aproveitamento de recursos do MARC a pesquisa concluiu que o desenvolvimento de cooperativas entre bibliotecas seria uma das saídas para dividir despesas e lucros com o desenvolvimento de softwares que possibilitem a interoperabilidade e a padronização via uso do MARC.

Biografia do Autor

Gisele Vasconcelos Diekaniak, Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil

Professora no Curso de Biblioteconomia da FURG, Rio Grande, RS. Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC. Líder no Grupo de Pesquisa Educação, Conhecimento e Tecnologia - EDUTEC.

Jackson da Silva Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil

Acadêmico do Curso de Biblioteconomia da FURG, membro do Grupo EDUTEC.

João Paulo Borges da Silveira, Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil

Acadêmico do Curso de Biblioteconomia da FURG, membro do Grupo EDUTEC.

Maria Firmina Fortes, Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil- membro do Grupo EDUTEC

Acadêmicado Curso de Biblioteconomia da FURG, membro do Grupo EDUTEC.

Virginia Oliveira Borges, Universidade Federal do Rio Grande (FURG) - RS - Brasil

Acadêmica do Curso de Biblioteconomia da FURG, membro do Grupo EDUTEC.

Downloads

Publicado

2008-01-01

Edição

Seção

Artigo