Arquitetura para integração de bibliotecas digitais geográficas por meio de mecanismos de geoprocessamento no contexto da ciência da informação.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2020.e70807

Palavras-chave:

Biblioteca Digital Geográfica, Geoprocessamento, Sistema de Informação Geográfica, SIG, Metadados, Geo-ontologias

Resumo

Objetivo: Construir uma arquitetura conceitual, com elementos para a criação de uma Biblioteca Digital Geográfica, utilizando os padrões e os conceitos da Ciência da Informação em conjunto com o Geoprocessamento.

Método: Por meio de um estudo teórico, exploratório e bibliográfico nas áreas de Ciência da Informação e Geoprocessamento, foi possível desenvolver um modelo conceitual de arquitetura para a Biblioteca Digital Geográfica.  A proposta foi estruturada em três camadas: a Cliente, responsável pelo processo de visualização; a Aplicação, que possui os processos de gerenciamento e análise; e a camada de dados, que contempla os serviços Web de dados, com foco na recuperação de metadados, via protocolo PMH (Protocol Metadata Harvesting).

Resultado: A arquitetura conceitual criada atendeu os requisitos de representação da informação, as formas de comunicação com o protocolo de coleta de metadados e objetos digitais, possibilitando assim, o compartilhamento dos acervos informacionais geográficos distribuídos em diferentes Bibliotecas Digitais Geográficas ao redor do mundo. Os elementos informacionais enfocados no Geoprocessamento e as formas de representação temática e descritiva, de organização e recuperação de informação da Ciência da Informação confirmou-se o potencial de utilização recíproca e compartilhada de conceitos e ferramentas destas duas áreas.

Conclusões: Os principais aspectos da pesquisa foram: com a implantação das três camadas e quatro processos, é possível a utilização de sistema de informações geográficas e aplicativos de interface ao usuário para facilitar o processo de compartilhamento e recuperação da informação. A utilização do gerenciador e do padrão de metadados proporciona a recuperação de informação precisa, juntamente com o editor de geo-ontologia único para todas as bibliotecas participantes.

Biografia do Autor

Marcel Santos Silva, Faculdade de Tecnologia Prof. Antonio Seabra

Professor na área de Computação.

Silvana Aparecida Borsetti Gregorio Vidotti, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP

Docente do Departamento de Ciência da Informação.

Assessora da Pró-Reitoria de Graduação da Unesp - PROGRAD

Referências

ABAD, F.; GARCÍA-CONSUEGRA, J.D.; MARTÍNEZ, A. Una Introducción a las bibliotecas digitales geográficas. JBIDI: Primeras Jornadas de bibliotecas digitales, nov. 2000.

ALVARENGA, L. A teoria do conceito revisitada em conexão com ontologias e metadados no contexto das bibliotecas tradicionais e digitais. DataGramaZero, v.2, n.6, dez. 2001. Disponível em: http://www.dgz.org.br/dez01/Art_05.htm. Acesso em: jan. 2005.

CÂMARA, G. Representação computacional de dados geográficos. In: CASANOVA, M. A. et al. Banco de dados geográficos. Curitiba: Mundogeo, 2005, p. 11-52.

CASANOVA, M. A. et al. Integração e interoperabilidade entre fontes de dados geográficos. In: CASANOVA, M. A. et al. Banco de dados geográficos. Curitiba: Mundogeo, 2005, p. 315-352.

FGDC (Federal Geographic Data Committee), 2019. Disponível em: https://www.fgdc.gov/metadata. Acesso em: jul. 2019.

FONSECA, F.; EGENHOFER, M.; BORGES, K. Ontologias e interoperabilidade semântica entre SIGs. In: WORKSHOP BRASILEIRO EM GEOINFORMÁTICA (GEOINFO), 2., São Paulo, 2000. São José dos Campos: INPE, 2000. p.45-52.

GARDELS, K. Open GIS and on-line environmental libraries. ACM SIGMOD Record. v. 26, p.32-38. 1997. doi: https://doi.org/10.1145/248603.248610

ISO 19115-1:2014. Geographic information - Metadata - Part 1: Fundamentals.

ISO 19115-2:2019. Geographic information - Metadata - Part 2: Extensions for acquisition and processing.

ISO/TS 19115-3:2016. Geographic information - Metadata - Part 3: XML schema implementation for fundamental concepts.

LING, J.; JIANYA, G.; BIN, L.; MIN, M. GeoReferencing the Semantic Web Based on Geoontology. IEEE International Symposium on Geoscience and Remote Sensing, Denver, CO, 2006, pp. 1545-1548, doi: 10.1109/IGARSS.2006.398.

OLIVEIRA, J.P.M.; LAMB, L.C. Um framework de apoio à colaboração no projeto distribuído de sistemas integrados. Revista de Informática Teórica e Aplicada e as Tecnologias de Informação, v. 8, n. 1, 2001.

OSSES, J.R.; PAIVA, J.A.C; CÂMARA, G. Arquiteturas cliente-servidor para bibliotecas geográficas digitais. In: BRAZILIAN SYMPOSIUM ON GEOINFORMATICS (GEOINFO), 2. 2000. Disponível em: http://www.geoinfo.info/proceedings_geoinfo2000.split/paper9.pdf. Acesso em: jul. 2019.

PAYETTE, S.; BLANCHI, C.; LAGOZE, C.; OVERLY, E.A. Interoperability for digital objects and repositories. D-Lib Magazine, v. 5, n.5, 1999. ISSN 1082-9873. Disponível em: http://www.dlib.org/dlib/may99/payette/05payette.html. Acesso em: jun. 2020.

ROSENFELD, L; MORVILLE, P; ARANGO, J. Information architecture: For the Web and beyond. Canadá: O’Reilly Media, 2015.

SENSO, J.A.; ROSA PIÑERO, A. de la. El concepto de metadato - algo más que descripción de recursos electrónicos. Revista Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n.2, p.95-106, 2003.

SMITH, B.; MARK, D. Ontology e geographic kinds. In: INTERNATIONAL SYMPOSIUM ON SPATIAL DATA HANDLING. VANCOUVER, Canadá, 1998. p.308-320. Disponível em: http://www.dpi.inpe.br/gilberto/references/SmithMark_SDH1998.pdf. Acesso em: jul. 2019.

TAKAHASHI, T. (Org.). Sociedade da informação no Brasil. Brasília: Ministério da Ciência e Tecnologia, 2000.

TAMBASSI, T. A Geographical taxonomy for geo-ontologies. Axiomathes 27, 355–374 (2017). Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s10516-016-9309-z. Acesso em jun. 2020.

TOLK, A. D., DIALLO, S. Y., TURNITSA, C. D. Applying the Levels of Conceptual Interoperability Model in Support of Integrability, Interoperability, and Composability for Systems of Systems Engineering. Systemics, Cybernetics and Informatics, v. 5, no. 5, 2007.

VIDOTTI, S. A. B. G. et al. Web, Web Semântica e Web Pragmática: um posicionamento da Arquitetura da Informação. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 29, n. 1, 2019.

WEBER, E.; ANZOLCH, R.; LISBOA FILHO, J.; COSTA, A.C.; IOCHPE, C. Qualidade de dados geoespaciais. UFRGS. 1999. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/317385706_Qualidade_de_Dados_GeoespaciaisAcesso em: jul. 2019.

Publicado

2020-09-02

Edição

Seção

Artigo