Aspectos ontológicos e epistemológicos em terminologias clínicas: em busca de interoperabilidade semântica no ambiente clínico

Livia Marangon Duffles Teixeira, Maurício Barcellos Almeida

Resumo


A melhoria no atendimento continuado a uma enorme população em hospitais e postos de saúde é um desafio para a sociedade brasileira. Um dos problemas que profissionais de saúde não podem resolver sozinhos é a dificuldade de integração entre os diversos registros médicos para o mesmo paciente, dispersos em diferentes sistemas, espalhados por diferentes regiões geográficas e temporais. O presente artigo investiga a ambiguidade inerente às terminologias clínicas, a qual impacta na possibilidade de interoperabilidade semântica entre prontuários eletrônicos de pacientes. Como solução, estuda-se como “ancorar” termos representativos de entidades médicas com semântica pouco definida a recursos ontológicos semanticamente bem definidos. O duplo processo de ancoragem criado objetiva reduzir a ambiguidade dos termos e expressões, de forma a mitigar a falta de interoperabilidade semântica entre sistemas de informação médicos. Espera-se que essa pesquisa promova avanços para os sistemas de informação usados em unidades de saúde e, em última instância, para o atendimento e o cuidado continuado ao cidadão, através de técnicas da Ciência da Informação

Palavras-chave


Terminologia Clínica; Ontologia; Epistemologia; Interoperabilidade Semântica; Prontuário Eletrônico do Paciente

Texto completo:

Artigo PDF/A Parecer

Referências


ALMEIDA, M. B.; ANDRADE, A. Information, reality and epistemology: an ontological take. In: OBML, 2011, Proceedings… Berlin: Universität Leipzig, 2011. Disponível em: http://mba.eci.ufmg.br/downloads/partOBML11.pdf. Acesso em: 21 mar. 2018.

ALMEIDA, M.B.; ANDRADE, A.Q. Organização da informação em prontuários de pacientes: uma abordagem Popperiana. Informação & Tecnologia, v.1, n.1, p.29-41, 2014.

ANDRADE, A. Q. de. A linguagem médica utilizada em prontuários e suas representações em Sistemas de Informação: as ontologias e os modelos de informação. Tese (doutorado) – UFMG, Escola de Ciência da Informação, 2013.

BACELAR, G.; CORREIA, R. As bases do openEHR: versão 1.0. Porto: Virtual Care, 2015. Disponível em: https://site.medicina.ufmg.br/cins/wp-content/uploads/sites/4/2015/10/ebook-openEHR-UFMG-v1.2.pdf. Acesso em: 06 mar. 2018

BARRA, D. C. C.; SASSO, G. T. M. D. Padrões de dados, terminologias e sistemas de classificação para o cuidado em saúde e enfermagem. Rev. bras. enferm., v.64, n.6., 2015.

BEALE, T.; HEARD, S. An ontology-based model of clinical information. Stud Health Technol Inform, v.129, 2007. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17911819. Acesso em: 10 mar.2018

BODENREIDER, O.; SMITH, B.; BURGUN, A. The Ontology-Epistemology divide: a case study in medical terminology. In: Proceedings… International Conference on Formal Ontology and Information Systems - FOIS, 2004.

BOWKER, G. C. The history of information infrastructures: the case of the international classification of diseases. Information Processing & Management, v.32, n.1, 1996.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 2073, de 31 de agosto de 2011. Regulamenta o uso de padrões de interoperabilidade e informação em saúde para sistemas de informação em saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde, nos níveis Municipal, Distrital, Estadual e Federal, e para os sistemas privados e do setor de saúde suplementar. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2073_31_08_2011.html. Acesso em: 27 mar.2018

CASCÃO, A. M.; Di NUBILA, H. B. V.; LAURENTI, R. Manual de treinamento: codificação em mortalidade (aluno). São Paulo: USP. FSP. Centro Brasileiro de Classificação de Doenças, 2014.

CEUSTERS, W.; SMITH, B.; KUMAR, A.; DHAEN, C. Ontology-based error detection in SNOMED CT. In: 11 MEDINFO, 2004, Proceedings... Disponível em: http://ebooks.iospress.nl/publication/21030. Acesso em: 16 abr.2018

DIAS, T. F. de F. Método para mapeamento entre terminologias em saúde, visando a interoperabilidade entre sistemas de informação. Dissertação (Mestrado em Bioengenharia) - USP, São Carlos, 2014. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/82/82131/tde-28032016-135323/pt-br.php. Acesso em: 05 fev.2018

Di NUBILA, H. B. V. Aplicações das classificações CID-10 e CIF nas definições de deficiência e incapacidade. Tese (Doutorado). Faculdade de Saúde Pública, USP, 2007. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6132/tde-09042007-151313/pt-br.php. Acesso em: 21 ago.2017

FREITAS, F.; SCHULZ, S.; MORAES, E. Pesquisa de terminologias e ontologias atuais em biologia e medicina. RECIIS – R. Eletr. de Com. Inf. Inov. Saúde, v.3, n.1, p.8-20, mar., 2009. Disponível em: https://www.academia.edu/7329012/Pesquisa_de_terminologias_e_ontologias_atuais_em_biologia_e_medicina. Acesso em: 22 jan.2018

GÓMEZ-PÉREZ, A.; FERNÁNDEZ-LÓPEZ, M.; CORCHO, O. Ontological engineering: with examples from the areas of knowledge management, e-commerce and the semantic web. London: Springer-Verlag, 2004.

GUIZZARDI, G. On Ontology, ontologies, conceptualizations, modeling languages, and (Meta) models. Frontiers in Artificial Intelligence and Applications, Databases and Information Systems IV. IOS Press: Amsterdam, 2007. Disponível em: https://www.inf.ufes.br/~gguizzardi/FAIA.pdf. Acesso em: 04 abr.2018

HOVENGA, E.; GARDE, S.; HEARD, S. Nursing constraint models for electronic health records: a vision for domain knowledge governance. Int J Med Inform, v.74, n.11-12, 2005. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S138650560500119X. Acesso em 20 mar.2018

INSTITUTO ITACA; VERATECH FOR HEALTH. Introdução a modelagem de informação clínica ISO 13606. [s.d.]. Disponível em: https://site.medicina.ufmg.br/cins/wp-content/uploads/sites/4/2015/12/IntroModelInfoClinISO13606_0a5.pdf. Acesso em: 13 mar.2018

JUPP, S. Document Navigation: Ontologies or Knowledge Organisation Systems. University of Manchester, 2007.

KALRA, D. Electronic health record standards. Methods of Information in Medicine, v.45, p.136-144, 2006. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/02e0/2e30852ce08db115e12dd782438fba745fa0.pdf. Acesso em: 15 mar.2018

KEIZER, N.F.de; ABU-HANNA, A.; ZWETSLOOT-SCHONK, J.H.M. Understanding terminological systems I: terminology and typology. Methods of Information in Medicine, v.39, p.16–21, 2000. Disponível em: https://pure.uva.nl/ws/files/3425359/21469_105809y.pdf. Acesso em: 12 out.2017

LAURENTI, R.; CASCÃO, A. M.; OLIVEIRA, H. de; GRASSI, P. R.; FERNANDES, W. J.; OLIVEIRA, B. Z. de; CARRÉ, M. L. Manual de treinamento: codificação em mortalidade. São Paulo: Centro Brasileiro de Classificação de Doenças; 2007.

LAURENTI, R.; DI NUBILA, H. B. V.; QUADROS, A. A. J.; CONDE, M. T. R. P.; OLIVEIRA, A. S. A Classificação Internacional de Doenças, a Família de Classificações Internacionais, a CID-11 e a Síndrome Pos-Poliomielite. Arq. Neuro-Psiquiatr, v.71, n.9A, p. 3-10, 2013.

LEE, D.; KEIZER, N. de; LAU, F.; CORNET, R. Literature review of SNOMED CT use. J Am Med Inform Assoc; n.21, p.e11–e19 , 2014. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3957381/. Acesso em: 06 fev.2018

MARCO-RUIZ, L.; MALM-NICOLAISEN, K.; PEDERSEN, R.; MAKHLYSHEVA, A.; BAKKEVOLL, P. A. Alignment of information models and domain ontologies. In: Ontology-based terminologies for healthcare: Impact assessment and transitional consequences for implementation - project report. cap.8. Norwegian Centre for E-health Research, 2017.

MELIONE, L. P. R; MELLO JORGE, M. H. P. Confiabilidade da Informação sobre hospitalizações por causas externas de um hospital público em São José dos Campos, São Paulo, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v.11, n. 3, p. 379-392, 2008.

OLIVEIRA, J. P.; ALMEIDA, M. B.; QUINTELA, E. L. Uma visão geral sobre fontes de informações em saúde. In: I Congresso ISKO Espanha e Portugal 2013. Atas... Disponível em: http://www.iskoiberico.org/wp-content/uploads/2014/09/porto13.pdf. Acesso em 30 jan.2018

RECTOR, A. L.; QAMAR, R.; MARLEY, T. Binding ontologies and coding systems to electronic health records and messages. Applied Ontology, v.4, n.1, p.51-69, 2009 Disponível em: http://ceur-ws.org/Vol-222/krmed2006-p02.pdf. Acesso em: 20 mar.2018.

STENZHORN, H.; SCHULZ, S.; BOEKER, M.; SMITH, B. Adapting clinical ontologies in real-world environments. J Univers. Comput Sci., v.14, n.22, 2008.

SMITH, B. et al. “The OBO foundry: coordinated evolution of ontologies to

support biomedical dataintegration”. Nature Biotechnology, v. 25, n. 11, 2007.

SYSTEMATIZED NOMENCLATURE OF MEDICINE - SNOMED INTERNATIONAL. 2018. Disponível em: https://www.snomed.org/. Acesso em: 29 jan.2018

SYSTEMATIZED NOMENCLATURE OF MEDICINE - SNOMED CT. SNOMED CT: starter guide. 2017. Disponível em: https://confluence.ihtsdotools.org/display/DOCSTART/SNOMED+CT+Starter+Guide. Acesso em: 29 jan.2018

TOMIMATSU, M. F. A. I.; ANDRADE, S. M.; SOARES, D. A. Qualidade da informação sobre causas externas no sistema de informações hospitalares. Revista de Saúde Pública, v.43, n.3, p.413-420, 2009.

VERAS, C. M. T.; MARTINS, M. S. A confiabilidade dos dados nos formulários de autorização de internação hospitalar (AIH). Rio de Janeiro, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v.10, n.3, p.339-355, 1994.

WORLD HEALTH ORGANIZATION - WHO. Classifications. 2016. Disponível em:

http://www.who.int/classifications/icd/en/. Acesso em: 21 ago.2017




DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2019.e57996



Direitos autorais 2019 Livia Marangon Duffles Teixeira, Maurício Barcellos Almeida

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN 1518-2924.

Conteúdos do periódico licenciados sob uma Licença Creative Commons 4.0 By  (mais informação)