Linguística Documental Espanhola no Brasil: uma leitura crítica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/1518-2924.2020.e65397

Palavras-chave:

Documentação, Linguística, Linguística Documental, Ciência da Informação Brasileira

Resumo

Objetivo: Analisar as contribuições da linguística documental via García Gutiérrez para os estudos da linguística documental desenvolvidos no Brasil. Pretende identificar as aproximações entre o contexto espanhol e o brasileiro, destacando os possíveis subsídios das perspectivas traçadas no âmbito da Ciência da Informação Brasileira.

Método: Orienta-se pelo levantamento da produção bibliográfica em anais e bases de dados nacionais (Enancibs e Brapci) e internacionais (ISKO Espanha/Porto e Dialnet) com o intuito de identificar os autores da linguística documental. Destaca, do lado espanhol, as contribuições de García Gutiérrez e, do lado brasileiro, a proposta que tem sido desenvolvida por Lara, entre os autores que manifestam a visão brasileira desse intento disciplinar.

Resultado: A documentação, no âmbito espanhol ou da Ciência da Informação brasileira, tem a função de sistematizar as informações de determinada áera do conhecimento. Os problemas documentais aproximam-se da linguística com a intenção de constituir uma teoria documental, todavia com a autonomia do seu objeto de investigação. A linguística documental é apresentada como uma disciplina formada a partir do diálogo da documentação com a linguística.

Conclusões: Notamos uma inclinação para algumas perspectivas das vertentes francesas e inglesas, embora consideramos que os poucos pesquisadores brasileiros se esforçam para fazer uso de teorias e conceitos de acordo com suas realidades a fim de superá-las. O fato é que o termo utilizado para analisar os processos documentais é “análise documental”, terminologia que comprova a carência de estudos da linguística documental na Ciência da Informação brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Cândido de Almeida, Departamento de Ciência da Informação-UNESP, Campus de Marília, SP.

Docente do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Estadual Paulista, campus de Marília, com atuação nos cursos de Graduação em Arquivologia e Biblioteconomia e no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - UNESP. Pós-Doutorado em Biblioteconomía y Documentación pela Universidad de Zaragoza, Espanha. Doutor em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista e Mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduação em Biblioteconomia pela Universidade Estadual de Londrina. Tem interesse nas áreas: Epistemologia da Ciência da Informação, Semiótica, Comunicação, Organização da Informação, Organização do Conhecimento e Mediação.

Mona Cleide Quirino da Silva Farias, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho- Campus Marília

Doutorado em Ciência da Informação, Mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquista Filho- Campus Marília. Graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal de Alagoas. Membro do Grupo de Pesquisa Fundamentos Teóricos da Informação - FTI na UNESP, Campos de Marília, SP. Interesse nas áreas da Semiótica, Mediação, Comunicação e Organização do Conhecimento.

Ilana Lopes Matias, Graduanda em Biblioteconomia- UNESP, campus Marília-SP.

Graduanda em Biblioteconomia pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Campus Marília. Possui experiência em Semiótica na Documentação Espanhola, sob orientação do Prof. Dr. Carlos Cândido de Almeida. Possui interesse de pesquisa nos seguintes temas: Semiótica, Comunicação, Epistemologia da Ciência da Informação, Mediação da Informação, Teoria da Ação Cultural, Análise de Imagem, Organização do Conhecimento.

Referências

CERVANTES, B. M. N. A construção de tesauros com a integração de procedimentos terminográficos. 2009. 209 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Marília, 2009.

CUNHA, I. M. R. F. Análise documentária. In: Smit, J. W. (org.) Análise documentária: a análise da síntese. Brasília: IBICT, 1987. cap. 3.

DODEBEI, V.L.D. Tesauro: linguagem de representação da memória documentária. Niterói: Intertexto; Rio de Janeiro: Interciência, 2002.

FIORIN, José Luiz (org.). Linguística? Que é isso?. São Paulo: Contexto, 2013.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Entropía, Relevancia y Pertinencia del Descriptor en el Mensaje Comunicativo-Documental. Documentación de las ciencias de la información, n. 7, p. 215-224, 1983.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Linguística documental. Barcelona: Mitre, 1984.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Documentación Automatizada en los Medios Informativos. Paraninfo, 1987.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Estructura lingüística de la documentación: teoría y método. Murcia: Universidad, Secretariado de Publicaciones, 1990.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Análisis Documental del Discurso Periodístico. CTD, 1992.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Análisis y representación del texto en documentación: apuntes para el cambio. Processamiento del lenguaje natural, n. 13, p. 25-28, 1993.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. La investigación documentológica: hacia un ajuste interdisciplinar. Scire: Representación y organización del conocimiento, v. 1, n. 2 p. 11-20, 1995.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. La Documentación Como Modo de Comunicación. Valeriana. Cracovia, Polonia: Universidad Jagiellonska.1996. p. 170-181.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Principios de Lenguaje Epistemográfico. Granada: Comares e Instituto Andaluz del Patrimonio Histórico, 1998a.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Elementos de lingüística en sistemas de información y documentación. Revista Latina de Comunicación Social, n. 7, 1998b.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Introducción a la Documentación Informativa y Periodística. Alcalá de Guadaira, Sevilla: Editorial MAD, 1999a.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Aproximación al Concepto y al Objeto de la Información/ Documentación. Introducción a la Documentación Informativa y Periodística. Alcalá de Guadaira, Sevilla: Editorial MAD, 1999b. p. 23-61.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Notas sobre processos reflexivos y funciones em los nuevos especialistas de información: aproximación a los perfiles formativo e investigador. Revista Latina de Comunicación Social, n. 31, 2000.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. La Memoria Subrogada: Mediación, Cultura y Conciencia en la Red Digital. Granada. Universidad de Granada, 2002.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Otra Memoria Es Posible. Buenos Aires, Argentina: La Crujía, 2004.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Fijaciones: Estudios Críticos Sobre Políticas, Culturas y Tecnologías de la Memoria. Biblioteca Nueva, 2005.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Desclasificados. Rubí, Barcelona: Anthropos, 2007.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Outra Memória É Possível: Estratégias Descolonizadoras Do Arquivo Mundial. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2008.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Epistemología de la Documentación. Stonberg, 2011a.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Pensar en la Transcultura. Plaza y Valdés, 2011b.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Desclassification in Knowledge Organization: a Post-Epistemological Essay. Transinformação, v. 23, n. 1, p. 5-14, 2011c.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. La organización del conocimiento desde la perspectiva pós-colonial: Itinerarios de la paraconsistencia. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 18, n. 4, p. 93-111, 2013.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Declassifying Knowledge Organization. Knowledge Organization, v. 41, n. 5, p. 393-409, 2014a.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Contribuciones de la dialéctica a la organización del conocimiento. Scire: Representación y organización del conocimiento, v. 20, n. 1, p. 33-51, 2014b.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Análisis documental de noticias de prensa en sistemas de información factual. Revista española de Documentación científica, v. 37, n. 2, p. 377-394, 2014c.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Formación crítica de documentalistas de medios de comunicación. Profesional de la Información, v. 23, n. 5, p. 493-500, 2014d.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. Critical Organization of Knowledge in Mass Media Information Systems. Knowledge Organization, v. 41, n. 3, p. 205-216, 2014e.

GARCÍA GUTIÉRREZ, A. En pedazos: El sentido de la desclasificación. Madrid: Asociación cultural y cientifica ibero-americana, 2018.

GARDIN, J. C. Document analysis and linguistic theory. Journal of Documentation, v. 29, n. 2, p. 137-68, 1973.

GUIMARÃES, J. A. C.; SALES, R. Análise documental: concepções do universo acadêmico brasileiro em ciência da informação. DataGramaZero, v. 11, n. 1, 2010. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/v/a/8345. Acesso em: 01 fev. 2018.

GUIMARÃES, J. A. C.; SALES, R.; GRÁCIO, M. C. C. A. Dimensão interdisciplinar da análise documental nos contextos brasileiro e espanhol no âmbito da organização do conhecimento. DataGramaZero, v. 13, n. 6, 2012. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/v/a/14538. Acesso em: 01 fev. 2018.

GREGOLIN, M. do R. V. A análise do discurso: conceitos e aplicações. Alfa, São Paulo, n. 39, p. 13-21,1995.

GREGOLIN, M. do R. V. Análise do discurso: enfrentamentos teóricos. In: FERNANDES, C. A.; SANTOS, J. B. C. (org.). Teorias linguísticas: problemáticas contemporâneas. 2. ed. Uberlândia: EDUFU, 2015.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. ISO 1087: Terminology work and terminology science – vocabulary. Geneva: International Organization Standardization, 2019. Disponível em: https://www.iso.org/obp/ui/es/#iso:std:iso:1087:ed-2:v1:en. Acesso em: 14 out. 2019.

IZQUIERDO ARROYO, J. M. Esquemas de lingüística documental. Barcelona: DM, 1990.

KOBASHI, N. Y. A contribuição da terminologia para a construção de linguagens de indexação: estudo exploratório. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFROMAÇÃO, II ENANCIB,1995. Valinhos, Anais [...]. Valinhos, SP: ANCIB, 1995.

LARA, M. L. G. Representação documentária: em jogo a significação. 1993. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1993.

LARA, M. L. G. Metodologia para a construção de linguagem documentária: políticas culturais. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFROMAÇÃO, II ENANCIB, 1995. Valinhos, Anais [...]. Valinhos, SP: ANCIB, 1995.

LARA, M. L. G. Representação e linguagens documentárias: bases teórico-metodológicas. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFROMAÇÃO, IV ENANCIB, 2000. Brasília, Anais [...]. Brasília: ANCIB, 2000.

LARA, M. L. G. O processo de construção da informação documentária e o processo de conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, v.7, n.2. p.127-139, 2002. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/v/a/1685. Acesso em: 01 fev. 2018.

LARA, M. L. G. Diferenças conceituais sobre termos e definições e implicações na organização da linguagem documentária. Ciência da Informação, v. 33, n. 2, p. 91-96, 2004a. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/v/a/1153. Acesso em: 01 fev. 2018.

LARA, M. L. G. Linguagem documentária e terminologia. Transinformação, v.16, n.3, 2004b. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/v/a/20421. Acesso em: 01 fev. 2018.

LARA, M. L. G.; Tálamo, M. F. T. G. A. M. Linguística documentária e terminologia: experiência didática na interface das disciplinas. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFROMAÇÃO, VII ENANCIB 2006. Marília, Anais [...]. Marília: ANCIB, 2006.

LARA, M. L. G.; Tálamo, M. F. T. G. A. M. Uma experiência na interface linguística documentária e terminologia. DataGramaZero, v.8, n.5, 2007. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/v/a/7759. Acesso em: 01 fev. 2018.

LARA, M. L. G. Linguística documentária: seleção de conceitos. 2009. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

LARA, M. L. G. Conceitos de organização e representação do conhecimento na ótica das reflexões do Grupo Tema. Informação e Informação, Londrina, v. 16, n. esp., p. 92-121, jan./jun. 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2011v16n2p92. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/10391/9285. Acesso em: 15 out. 2019.

LÓPEZ YEPES, J.; ROS GARCÍA, J. ¿Qué es documentación?: teoria e historia del concepto en España. Madrid: Síntesis, 1993. 157 p.

MAIMONE, G. D.; TÁLAMO, M. F. G. M. Linguística e terminologia: contribuições para a elaboração de tesauros em ciência da informação. DataGramaZero, v. 12, n. 2, abr. 2011. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000010072. Acesso em: 15 out. 2019.

MANINI, M. Análise documentária de fotografias: proposta de uma nova metodologia. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFROMAÇÃO, IV ENANCIB, 2000. Brasília, Anais [...]. Brasília: ANCIB, 2000.

MOREIRA, W.; LARA, M. L. G. Relações conceituais e categorias filosóficas: aportes das ontologias e da terminologia para a representação do conhecimento. In: ENCONTRO, NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFROMAÇÃO, XII ENANCIB, 2011. Brasília, Anais [...]. Brasília: ANCIB, 2011.

MOREIRA, W. Relações conceituais como ponto de inflexão entre linguagens documentais, terminologia e ontologias. Scire: Representacíon y organización del conocimiento, v.18, n. 2, p. 123-127, 2012.

MOREIRA, W. Teoria da classificação e ontologias: em busca do diálogo necessário. Scire: Representacíon y organización del conocimiento, v. 19, n. 2, p. 69-76, jul./dez. 2013. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/114694. Acesso em: 15 out. 2019.

NATALI, J. W. Documentação e lingüística: inter-relação e campos de pesquisa. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 11, n. 1-2, p. 33-42, jan./jun. 1978. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/download/43838. Acesso em: 15 out. 2019.

TÁLAMO, M. F. G. M. Linguística documentária: delimitação do campo e conceitos teóricos e metodológicos. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFROMAÇÃO, 3., 1997, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: ANCIB, 1997. Disponível em: http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/iiienancib/schedConf/presentations?searchField=&searchMatch=&search=&track=71. Acesso em: 15 out. 2019.

TÁLAMO, M. F. T. G. A. M.; LARA, M. L. G. O campo da linguística documentária. Transinformação, v. 18, n. 3, p. 203-211, 2006. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/v/a/443. Acesso em: 01 fev. 2018.

TÁLAMO, M; F; G. M.; LARA, M. L. G. Interface entre linguística, terminologia e documentação. Brajis: Brazilian Journal of Information science: research trends, v. 3, n. 2, p. 58-74, jul./dez. 2009. DOI: https://doi.org/10.36311/1981-1640.2009.v3n2.04.p56. Disponível em: http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/bjis/article/view/361. Acesso em: 15 out. 2019.

TERRA, M. V.S. C.; SABBAD, D. M. A.; ALMEIDA, C. C. de. Análise do discurso francesa na Organização da Informação e do Conhecimento no Brasil: considerações epistemológicas à análise documentária. RDBCI: Rev. Digt. Bibliotecono. Cienc. Inf., Campinas, v. 17, p. 1-26, 2018.

VOGEL, M. J. M. A noção de estrutura lingüística e de processo de estruturação e sua influência no conceito e na elaboração de linguagens documentárias. 2007. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

Publicado

2020-01-03

Como Citar

ALMEIDA, Carlos Cândido de; FARIAS, Mona Cleide Quirino da Silva; MATIAS, Ilana Lopes. Linguística Documental Espanhola no Brasil: uma leitura crítica. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, [S. l.], v. 25, p. 01–19, 2020. DOI: 10.5007/1518-2924.2020.e65397. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2020.e65397. Acesso em: 24 jun. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.