Ensino de física térmica: ciclos de reflexão de um professor de física sobre a sua prática pedagógica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5007/2175-7941.2020v37n2p593

Palavras-chave:

Prática Pedagógica, Ciclos de Reflexão, Competências

Resumo

A presente pesquisa foi motivada pela insatisfação de um professor de física relativa à sua prática pedagógica no sentido de propiciar aos alunos o desenvolvimento das competências elencadas na proposta pedagógica elaborada pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Frente a essa insatisfação, esse professor realizou esta pesquisa, por meio de ciclos de análise e reflexão dessa prática, com alunos da segunda série do Ensino Médio, da escola da rede estadual de ensino onde trabalhava, com o objetivo de assumir uma postura em sala de aula que viabilizasse a eles tal desenvolvimento. Para tanto, primeiramente, analisou e refletiu sobre a sua prática até o ano de 2016. A partir de tal reflexão, identificou alguns pontos carentes de mudança relativos a ela, que serviram de base para a elaboração da Sequência de Aprendizagem 1, aplicada em 2017. A aplicação dessa sequência em sala de aula passou a ser objeto de análise e reflexão, o que resultou em novos pontos carentes de mudança, que serviram de base para a elaboração da Sequência de Aprendizagem 2, aplicada no ano de 2018. Ao analisar e refletir a aplicação dessa última sequência, o professor percebeu a necessidade de novas mudanças, o que aponta para a importância de que tal processo seja contínuo. Os resultados desta pesquisa mostraram que o processo de análise e reflexão da própria prática modificou e aprimorou a postura pedagógica desse professor em sala de aula, o que propiciou aos alunos o desenvolvimento das competências mencionadas.

Biografia do Autor

Aguinaldo Capeletti Moura, EEEI Dr. Pio Antunes de Figueiredo, Lourdes, SP

Possui graduação em Licenciatura em Física pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira (FEIS), Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE), Mestrado e Doutorado em Educação para a Ciência pela UNESP, Faculdade de Ciências, Campus de Bauru. Atualmente, é professor de Física do Ensino Médio, na escola Estadual Dr. Pio Antunes de Figueiredo, na cidade de Lourdes, SP. Possui experiência na área de Educação, com ênfase no Ensino de Física.

Alice Assis, Universidade Estadual Paulista, Guaratinguetá

Possui graduação em Licenciatura em Física; Mestrado e Doutorado em Educação para a Ciência, pela Universidade Estadual Paulista, UNESP, Faculdade de Ciências, Campus de Bauru. Atualmente é professora assistente doutora da UNESP, Campus de Guaratinguetá e docente do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, UNESP, Bauru. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação em Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: Enfoque CTS, formação inicial e continuada de professores, ensino e aprendizagem de ciências, uso de atividades experimentais e de leitura de textos em sala de aula. É líder do grupo de pesquisa Ensino e Aprendizagem, com enfoque na linha de pesquisa Ciência, Tecnologia, Ambiente e Desenvolvimento Humano. Coordena o Projeto UNATI da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá.

Referências

ALARCÃO, I. (org.). Formação reflexiva de professores. Estratégias de supervisão. Porto Portugal: Porto Editora LTDA, 1 996.

DORIGON, T. C.; ROMANOWSKI, J. P. A reflexão em Dewey e Schön. Revista Intersaberes, Curitiba, ano 3, n. 5, p. 8-22, jan/jul 2008.

DIAS, I. S. Competências em educação: conceito e significado pedagógico. Psicologia Escolar e Educacional, Campinas, v. 14, n. 1, p. 73-78, Jun. 2010. Disponível em:

<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572010000100008&lng =en&nrm=iso>. Acesso em: 04 mai. 2020.

ENGEL, G. I. Pesquisa-ação. Educar, Curitiba, n. 16, p. 181-191, 2000.

FAGUNDES, T. B. Os conceitos de professor pesquisador e professor reflexivo: perspectivas do trabalho docente. Revista Brasileira de Educação, v. 21, n. 65, abr.-jun. 2016.

FERRAZ, A. P. C. M.; BELHOT, R. V. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gestão & Produção, São Carlos, v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010.

FRANCO, M. A. S. Pedagogia da pesquisa-ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 483-502, set./dez. 2005.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessário à pratica educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 40. ed. 2009.

HADJI, C. Avaliação Desmistificada. Tradução: Patrícia C. Ramos. Porto Alegre: Artmed, 2001.

MORAES, R. Uma tempestade de luz: a compreensão possibilitada pela análise textual discursiva. Ciência & Educação, Bauru, SP, v. 9, n. 2, p. 191-211, 2003.

MORETTO, V. P. PROVA: um momento privilegiado de estudos, não um acerto de contas. 9. ed. Rio de Janeiro, Lamparina, 2010. 192p.

PERRENOUD, P. O que fazer da ambiguidade dos programas escolares orientados para as competências. Pátio: Revista pedagógica. Porto Alegre, n. 23, p. 19-31, set. 2002. Disponível em: <https://www.unige.ch/fapse/SSE/teachers/perrenoud/php_main/php_2002/2002_28.html>. Acesso em: 04 mai. 2020.

PERRENOUD, P. A formação dos professores no século XXI. Tradução Cláudia Schilling, Fátima Murad. In: PERRENOUD, P.; THURLER, M.G. (Orgs.). As competências para ensinar no século XXI (recurso eletrônico): a formação dos professores e o desafio da avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2007. p. 11-33. Disponível em:

<https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=t_nZpaOwj1YC&oi=fnd&pg=PA11 &ots=VrX_k7r2C2&sig=IXC_C2K1U8ZQ78UPq6r3F7L6ouQ&redir_esc=y#v=onepage&q&f=false>. Acesso em: 04 mai. 2020.

POZO, J. I; CRESPO, M. A. G. A aprendizagem e o ensino de ciências: do conhecimento cotidiano ao conhecimento científico. Tradução: Naila Freitas. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. 296p.

RICARDO, E. C.; ZYLBERSZTAJN, A. O ensino das ciências no nível médio: um estudo das dificuldades da implementação dos parâmetros curriculares nacionais. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 19, n. 3, p. 351-370, dez. 2002.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Tradução: Lólio Lourenço de Oliveira. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3. p. 443-466, set/dez. 2005.

VILLATORRE, A. P.; HIGA, I.; TYCHANOWICZ, S. D. Didática e Avaliação em Física. 1. ed. São Paulo: Saraiva, 2009. 166p.

ZABALA, A.; ARNAU, L. Como aprender e ensinar competências. Tradução: Carlos H. Lucas Lima. Porto Alegre: Artmed, 2010. 197p.

ZEICHNER, E. M. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação & Sociedade, Campinas, v. 29, n. 103, p. 535-554, mai/ago. 2008.

Downloads

Publicado

2020-08-12

Edição

Seção

Formação inicial e continuada do professor de Física