Arnold Gehlen, reflexões sobre ser humano

Autores

  • Javier Ignacio Vernal Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2009v6n1p74

Palavras-chave:

abertura humana para o mundo, homem como ser em ação

Resumo

http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2009v6n1p74

 

Este manuscrito trata da concepção de Arnold Gehlen sobre ser humano. A tese de Gehlen é a do homem biologicamente deficiente que através da atividade de transformação da matéria e do meio de acordo com suas necessidades, se constitui diverso dos outros animais. Esse agir humano, que gera a distância progressiva em relação aos outros animais, pressupõe a abertura especificamente humana para o mundo. A cultura é considerada por Gehlen como o espaço e o ambiente necessários para a vida humana. Na atualidade, nem a visão biológica, nem a abordagem cultural conseguem definir o que é ser humano. Este trabalho contrapõe a preocupação de Gehlen com o que nos diferencia dos demais animais, com uma visão contemporânea que destaca nossas características comuns e que poderia dar origem ao fim da exceção humana.

Palavras-chave: Abertura humana para o mundo; Homem como ser em ação; Ser humano.

 

Biografia do Autor

Javier Ignacio Vernal, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Ciências Biológicas.

Atualmente finalizando o curso de Filosofia na UFSC.

Downloads

Publicado

2009-07-06

Edição

Seção

Dossiê: "O debate sobre a Condição Humana na Modernidade" - Organização: Prof. Dr. Selvino Assmann