Onda, rizoma e “sororidade” como metáforas: representações de mulheres e dos feminismos (Paris, Rio de Janeiro: anos 70/80 do século XX)

Autores

  • Suely Gomes Costa UFF

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2009v6n2p1

Palavras-chave:

Feminismos, Ondas, Rizomas, Sororidade, Rupturas, Continuidades

Resumo

Este artigo examina noções de onda, rizoma e “sororidade” como metáforas de representações sobre mulheres e seus movimentos, em diferentes lugares e tempos históricos. Associa-se à crítica a tendências analíticas que acentuam experiências feministas conjunturais que podem tornar invisíveis tensões e rupturas entre gerações de mulheres e de feministas. Problematiza, ainda, a metáfora da “sororidade”: por solidariedades presumidas com a experiência comum da maternidade, exclui contingências que, subterraneamente, podem mover mulheres e feminismos em diferentes direções. Destaca, enfim, a perspectiva da longa duração histórica e dos tempos múltiplos como modo de perceber a história das mulheres e dos feminismos em suas continuidades e rupturas.

Biografia do Autor

Suely Gomes Costa, UFF

Possui graduação em Serviço Social (1962) e em Economia pela Universidade Federal Fluminense (1978), mestrado em História (1988) e doutorado em História (1996) pela mesma Universidade. Professora titular do Departamento de Serviço Social da UFF, credenciada nos Programas de Pós-Graduação em Política Social e de História dessa Universidade. Nessa dupla inserção, desenvolve pesquisas associadas aos Núcleo Transdisciplinar de Estudos de Gênero (NUTEG) e ao Núcleo de Estudos e Pesquisas em História Cultural (NUPEHC) sobre proteção social, história das mulheres e relações de gênero, em torno dos seguintes temas:políticas públicas, movimentos e memórias feministas, proteção social e cidadania, tendo por foco relações de gênero, práticas e representações sociais. É membro da Editoria da revista Gênero. Como pesquisadora do CNPq, coordena o projeto "Dilemas da Proteção Social no Brasil: cuidados públicos e privados," na história contemporânea.
Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense (1962), graduação em Economia pela Universidade Federal Fluminense (1978), mestrado em História (1988) e doutorado em História (1996) pela mesma Universidade .Professora titular do Departamento de Serviço Social da UFF, credenciada nos Programas de Pós-Graduação em Política Social e de História dessa Universidade. Nessa dupla inserção, desenvolve pesquisas associadas aos Núcleo Transdisciplinar de Estudos de Gênero (NUTEG) e ao Núcleo de Estudos e Pesquisas em História Cultural (NUPEHC) sobre proteção social, história das mulheres e relações de gênero, em torno dos seguintes temas:políticas públicas, movimentos e memórias feministas, proteção social e cidadania, tendo por foco relações de gênero, práticas e representações sociais. É membro da Editoria da revista Gênero. Como pesquisadora do CNPq, coordena o projeto "Dilemas da Proteção Social no Brasil: cuidados públicos e privados," na história contemporânea.

Downloads

Publicado

2009-01-01

Edição

Seção

Dossiê: "A interdisciplinaridade nos Estudos de Gênero" - Organização: Profª Drª Joana Maria Pedro