Questões de gênero no processo de assistencialismo religioso: a violência contra a mulher e a Santa Casa de Misericórdia

Autores

  • Maria Beatriz Nader Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2009v6n2p86

Resumo

Tomando como referência a prática caritativa de assistência às mulheres nas instituições religiosas, a pesquisa tem como objetivo mostrar como a história da Santa Casa de Misericórdia, desde sua criação, pode fornecer a compreensão do significado daquele estabelecimento enquanto expressão de anseio e de proteção para as mulheres capixabas (do Espírito Santo - Brasil) vítimas de agressão masculina. Considerando essa questão e tomando como referência os paradigmas do método indiciário pode-se visualizar a possibilidade de se alcançar uma reconstituição dos fatos históricos por meio de pesquisas realizadas em documentos, relatórios de provedores, teses e obras que tratam da história de mulheres e de relações de gênero, todos fundamentados em institutos de assistência às mulheres vítimas de violência. Ainda em fase de desenvolvimento, a pesquisa infere que durante o Antigo Regime, tanto em Portugal, quanto no Brasil, as instituições caritativas religiosas ou leigas, em formato de hospital ou de recolhimento, se consagraram também em asilar mulheres que sofriam violência, na época não entendida como de gênero.

Biografia do Autor

Maria Beatriz Nader, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

 Professora Associada da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e membro da Academia Feminina Espírito-Santense de Letras. Doutora em História Econômica e mestre em História e Filosofia da Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Possui graduação em História e Pós-graduação em Avaliação de Sistemas Educacionais e em História do Brasil.

Downloads

Publicado

2009-01-01

Edição

Seção

Dossiê: "A interdisciplinaridade nos Estudos de Gênero" - Organização: Profª Drª Joana Maria Pedro