Indicadores e equidade social: propriedades dos indicadores de sustentabilidade e ausência do princípio de justiça social em estudos sobre mudança climática e C02

Gilberto Montibeller-Filho

Resumo


O principal objetivo deste artigo é verificar a transformação radical de resultados decorrente de utilização de indicadores quando um princípio-chave não é considerado. Para isso são analisados alguns estudos sobre emissão de CO2 na sua relação com mudança climática, que não incorporam o princípio da equidade social. Inicialmente é feita pesquisa na literatura especializada acerca das propriedades, existentes ou desejadas, e importância dos indicadores. Constata-se, dentre outros fatores, o papel destes nos processos de decisão em políticas públicas, suficiente para justificar a preocupação no presente artigo. Em seguida, para a demonstração da hipótese, é feita a análise da forma como alguns autores e instituições utilizam o indicador ambiental dióxido de carbono. Finalmente, como conclusão, é apontada a necessidade de se explicitar o princípio da busca da equidade social no conjunto das propriedades básicas dos indicadores, como forma de evitar indesejados vieses, como o detectado nos estudos referidos.


Palavras-chave


Indicadores; Propriedades; Índices de sustentabilidade; mudança climática; Equidade social

Texto completo:

PDFA


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2010v7n1p199

Direitos autorais



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.