Histórias em quadrinhos de super-heroínas: do movimento feminista às questões de gênero

Autores

  • Gelson Vanderlei Weschenfelder Centro Universitário La Salle-Unilasalle
  • Ana Colling Centro Universitário La Salle-Unilasalle

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2011v8n1p200

Palavras-chave:

Gênero, Histórias em quadrinhos, Mulher-Maravilha, Super-Heroína, X-men

Resumo

As discussões que ocorriam no passar da história nestes últimos cem anos eram sempre refletidas nas páginas das histórias em quadrinhos de super-herói (conhecidos como Comics, e aqui no Brasil carinhosamente chamados de Gibis) -  Principalmente a questão sobre a diferença e gênero. Estas foram as primeiras a trazer tal discussão para os meios de comunicação de massa. A mulher sempre teve seu papel nas histórias em quadrinhos de super-heróis, primeiramente como coadjuvante, sendo o objeto das maquinações dos vilões, e após um tempo, com as marchas dos movimentos feministas e os movimentos pelos direitos humanos, como papel principal, sendo a super-heroína das histórias.

Biografia do Autor

Gelson Vanderlei Weschenfelder, Centro Universitário La Salle-Unilasalle

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Educação do Centro Universitário La Salle -
Unilasalle

Ana Colling, Centro Universitário La Salle-Unilasalle

Professora titular do Centro Universitário La Salle - Unilasalle no curso de História e Mestrado em Educação. Doutora em História pela PUC- RS

Downloads

Publicado

2011-07-13

Edição

Seção

Artigos