Atividades secretas em noites sombrias: memória do universo dos garotos de programa

Autores

  • Francisco Ramos de Farias Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2013v10n1p344

Palavras-chave:

Homossexualidade, Prostituição, Memória social, Crime, Desejo

Resumo

Este estudo destina-se a explicar as relações entre dois tipos de atividades sexuais, caracterizadas pela ação de um homem em determinados lugares para oferecer e prestar serviços sexuais, dispondo do corpo para aluguel temporário, identificado como proprietário, e a de outro que frequenta esses lugares em buscas desses serviços, identificado como inquilino. Ambos celebram um contrato determinado pelo proprietário, restando ao inquilino aceitá-lo ou não, mas jamais modificar quaisquer cláusulas. A ação desses homens e suas consequências relatadas pelo proprietário, em cinco encontros, anotada pelo pesquisador, constituem uma escrita sobre as várias ocorrências que têm lugar na calada das noites em espaços de grandes cidades onde ocorre a prostituição masculina. Conclui-se que o contrato entre ambos não os transforma em aliados devido à assimetria da relação que se estabelece entre duas posições subjetivas diferentes e que o proprietário utiliza-se de subterfúgios para negar a sua homossexualidade.

Biografia do Autor

Francisco Ramos de Farias, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

Doutor em Psicologia, área Psicologia Cognitiva, pela Fundação Getúlio Vargas - RJ, Programa de Pós-Graduação em Memória Social - Área Interdisciplinar - Linha de Pesquisa: Memória, Subjetividade e Criação - Temas de estudo: Violência, Trauma, Criminalidade, Perversão.  Consultor Ad Hoc da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro, professor adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, do Departamento de Fundamentos da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Memória Social.

Downloads

Publicado

2013-06-19

Edição

Seção

Artigos