Identificando o tema da sustentabilidade em textos jornalísticos: análise indiciária

Autores

  • Monica Filomena Caron Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, SP
  • Gabriela Rosa Lopes Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2014v11n1p192

Palavras-chave:

Sustentabilidade, Paradigma Indiciário, Discurso jornalístico, Tendências jornalísticas, Grande mídia

Resumo

Desde que o termo sustentabilidade foi criado, em reuniões governamentais internacionais do século XX, a mídia tem dado especial atenção ao tema, que se tornou recorrente nas notícias veiculadas, principalmente nas duas últimas décadas. Por esse motivo, objetivou-se analisar: as formas como são apresentadas as notícias a respeito do tema; o embasamento que ocorre na sua abordagem a partir das designações, abrangência, profundidade e alcance; as tendências e diversas manifestações ideológicas presentes no noticiar dos jornais Folha de São Paulo e O Estado de São Paulo. Para tanto, utilizou-se como metodologia de pesquisa o Paradigma Indiciário, descrito inicialmente por Ginzburg (1986), e que prevê a identificação e discussão de indícios, pistas, sintomas e singularidades. Foi possível perceber, a partir das análises, que o tema da sustentabilidade é tratado de forma negligente pelos jornais, pois deixa-se de lado (silencia-se) sobre importante contextualização para o entendimento adequado da parte do leitor e legitima-se a existência de interesses político-econômicos no trato do tema, priorizando-se algumas variáveis (em detrimento de outras), conduzindo o leitor a conclusões equivocadas, desrespeitando a necessária imparcialidade que o texto jornalístico deveria sustentar.


Biografia do Autor

Monica Filomena Caron, Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, SP

Possui graduação (1995) em Psicologia pela USP, campus Ribeirão Preto/SP - Bacharelado, Licenciatura e Formação de Psicólogo, pós-graduação lato-senso (1996) em Psicopedagogia Aplicada à Neurologia Infantil, na Faculdade de Medicina da UNICAMP, pós-graduação lato-senso (2003), no Laboratoire d´Études sur l´Acquisition et la Pathologie su Langage (LEAPLE) - Université René Descartes, Faculté des Sciences Humaines et Sociales - Sorbonne - Paris V, mestrado (2000) e doutorado (2004) em Linguística Aplicada ao Ensino/Aprendizagem de Língua Materna, pela UNICAMP, no Instituto de Estudos da Linguagem. Pós-doutorado (2012) em andamento em Linguística no Instituto de Estudos da Linguagem, UNICAMP, junto ao Projeto Integrado em Neurolinguística: práticas com a linguagem e documentação de dados.

 

Professora Adjunto IV

UFSCAR campus Sorocaba

Departamento de Geografia, Turismo e Humanidades

Gabriela Rosa Lopes, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP

Mestranda em Sustentabilidade na Gestão Ambiental, com pesquisa voltada ao monitoramento de áreas restauradas na cidade de Sorocaba, SP. Bacharelado em Ciências Biológicas pela UFSCar - campus Sorocaba. Área de pesquisa voltada à abordagem do tema "sustentabilidade" em jornais impressos de grande circulação, como os conceitos são mobilizados, que ideologias são construídas no leitor e quais as implicações de tais construções. Atualmente trabalho na Fundação Parque Zoológico de São Paulo (Divisão de Produção Rural) como bióloga atuando na manutenção da ISO 14001 e do Sistema de Gestão Ambiental, e na manutenção do Programa Fazenda Legal (Educação Ambiental).

Downloads

Publicado

2014-06-13

Edição

Seção

Artigos