Uma ética ambiental: a partir da natureza como um movimento vital

Autores

  • Doris Gomes Núcleo Florianópolis de Bioética, Florianópolis, SC
  • Sônia Terezinha Felipe Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2014v11n1p213

Palavras-chave:

Ética, Ética biocêntrica, Bioética ambiental, Considerabilidade moral, Agente mora

Resumo

Uma seleção de artigos da bioética ambiental contemporânea produziu algumas perguntas e debates sobre a ética biocêntrica. Desenvolvem-se dois eixos de análise: o primeiro que mostra a relação entre o agente moral e o paciente, com a universalização das máximas morais, incluindo todos os seres vivos, racionais e não racionais, na considerabilidade moral. Os seres vivos são inter-relacionados e precisam um do outro, mas somente os seres humanos são capazes de julgamentos morais e, portanto, podem ser considerados como agentes morais, embora ele deve ser considerado moral do ponto de vista do paciente. O segundo eixo aborda o interesse na manutenção da vida, que engloba esta relação de reciprocidade, onde matar outro ser vivo pode se tornar um problema operacional de sobrevivência natural, quer certo ou errado, e os valores naturais e humanos são inseridos nestas preocupações. Podemos concluir que a luta para preservar o ambiente e o respeito pela natureza devem caminhar de mãos dadas com a possibilidade de emancipação social da humanidade. A construção de um novo agente moral também envolve a construção de uma nova vida social, que é onde o benefício está -  no centro do pensamento filosófico e nas atitudes do agente moral.


Biografia do Autor

Doris Gomes, Núcleo Florianópolis de Bioética, Florianópolis, SC

Graduada em Odontologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1994), Especialista em Odontologia Coletiva pela ABO, Mestre em Saúde Pública com ênfase em Ciências Sociais pela UFSC (2002) e Doutora em Enfermagem pela UFSC na área de concentração: filosofia, saúde e sociedade. Desenvolve trabalho e docência na área de Saúde Coletiva, Bioética e Ética e Legislação.

Sônia Terezinha Felipe, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC

Graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1976), mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1979) e doutorado em Filosofia - Universität Konstanz (1991). Atualmente é Associado II da Universidade Federal de Santa Catarina, aposentada, atuando na orientação de teses e dissertações, e coordenando projetos de investigação e de extensão. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Teoria Política, atuando principalmente nos seguintes temas: ética animal, igualdade, especismo, justiça e ética ambiental.

Downloads

Publicado

2014-06-13

Edição

Seção

Artigos