O mito de Don Juan e a subjetividade moderna

Paulo Victor Bezerra, José Sterza Justo

Resumo


http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2014v11n2p72

A lendária figura de Don Juan habita o imaginário popular com vivacidade e extensão dignas de um mito, apesar de seu pouco reconhecimento enquanto tal, na literatura científica. O objetivo deste artigo é verificar se Don Juan pode ser entendido como um mito moderno; compreender sua natureza mítica e a sua relação com o homem moderno. Buscamos nos orientar por uma análise estruturalista e histórica de duas obras literárias sobre Don Juan: a escrita por Tirso de Molina, em 1630, e a de Molière, escrita em 1665. As análises realizadas permitem sustentar que Don Juan é um mito tipicamente moderno ao se constituir por narrativas que pinçam, dão forma, concretude e inteligibilidade a um mundo e a um homem nascentes sob os signos do individualismo, da burla da lei, do hedonismo, da arrogância e ousadia, forjados a partir da sexualidade.


Palavras-chave


Mito; Don Juan; Subjetividade; Modernidade; Estruturalismo

Texto completo:

PDF/A


DOI: https://doi.org/10.5007/1807-1384.2014v11n2p72

Direitos autorais



R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil, eISSN 1807-1384

 

Licença Creative CommonsConteúdos do periódico licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.