Arendt sobre Hobbes como o verdadeiro filósofo da burguesia

Autores

  • Adriano Correia Universidade Federal de Goiás, Goiania, GO

DOI:

https://doi.org/10.5007/1807-1384.2015v12n1p147

Palavras-chave:

Arendt, Imperialismo, Burguesia, Hobbes, Força

Resumo

Em As origens do totalitarismo, quando examina os elementos e origens da dominação total, Hannah Arendt dedica especial atenção à emancipação política da burguesia. Para Arendt o imperialismo é a verdade da compreensão burguesa da política, consoante a qual a política não deve ser mais que uma força policial bem organizada. A verdade da política burguesa é a redução da política a mera força. Nosso propósito consiste em reconstruir esse percurso a partir da perspectiva privilegiada de apropriação arendtiana de Hobbes, “o verdadeiro filósofo da burguesia”.

 

Biografia do Autor

Adriano Correia, Universidade Federal de Goiás, Goiania, GO

Doutor em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas. Realizou estágio durante o doutorado na Universidade Nova de Lisboa, com bolsa da Fapesp. Professor de filosofia da Universidade Federal de Goiás desde 2006. Atuou como pesquisador visitante na Freie Universität Berlin em 2011, com bolsa CAPES/DAAD. Desenvolve pesquisas nas áreas de filosofia política, ética, história da filosofia, filosofia do direito e estética.

Downloads

Publicado

2015-07-08

Edição

Seção

Artigos